oncontextmenu='return false'>expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Corredores da 1ª classe do Titanic

Acima: Cena de "Titanic" (1997)

Seja bem vindo ao Titanic em Foco 

Como realmente eram os corredores da 1ª classe no Titanic? Teriam sido corretamente recriados para o megasucesso "Titanic" de 1997? 

Estas são perguntas muito simples, sem qualquer importância aparente. No entanto, para adiante delas esconde-se uma curiosa resposta. 
AcompanheCorredores da 1ª classe do Titanic

As instalações para os passageiros da 1ª classe no Titanic estavam distribuídas ao longo do Convés de Botes, Convés B, C, D, E e F; em todos estes andares haviam cabines e/ou espaços comuns direcionados para o mais privilegiado grupo a bordo do transatlântico. As cabines para a 1ª classe se encontravam distribuídas em blocos separados (a bombordo e estibordo) por longos corredores longitudinais em cinco conveses: A, B, C, D e E; no entanto, as mais luxuosas cabines para a 1ª classe foram instaladas apenas nos conveses B e C; da mesma maneira, eram nestes conveses onde se encontravam os mais luxuosos corredores de trânsito para passageiros.

Ao lado - Nesta animação em computação gráfica, uma das mais recentes reconstruções dos corredores de trânsito entre as cabines da 1ª classe no Convés B do Titanic. Esta reconstrução deixa evidente que o autêntico visual destas longas passagens apaineladas era, na vida real, bastante diferente do que o cinema e a arte erroneamente têm exibido ao longo dos anos.

Os corredores localizados nos conveses B e C do Titanic basicamente percorriam o sentido do comprimento do navio, irterconectando dezenas de cabines e acomodações sanitárias (banheiros), que eram instaladas lado a lado no sentido do comprimento do transatlântico; estes corredores possibilitavam o acesso fácil direto entre as dezenas de cabines e também entre as duas escadarias: a Grande Escadaria dianteira e a Grande Escadaria traseira. Deste modo, partindo em linha reta do início de qualquer um dos corredores nos conveses B e C, era possível ir de uma escadaria a outra passando pelas portas das muitas cabines. *** As duas escadarias estavam localizadas a 63 metros de distância uma da outra. (Crédito da fotografia/animação: Titanic Lost in the Darkness)

Abaixo: Uma recente reconstituição gráfica do longo corredor da 1ª classe localizado no Convés B do Titanic. A porta dupla ao fundo acessava diretamente a Grande Escadaria. O pequeno letreiro iluminado indica a localização de um pequeno conjunto de sanitários comunitários deste convés. Curiosamente, as cabines dianteiras à frente da Grande Escadaria neste andar não possuíam banheiro privativo, todas eram servidas por um bloco de banheiros comunitários.

Acima: Para o olho destreinado, o curioso acabamento decorativo abaulado junto ao teto não parece nada além de um elemento decorativo; na realidade estes eram importantes dutos que continham uma grande quantidade de fios elétricos e condutores de ventilação. O piso aqui era recoberto com placas de linóleo geométrico, um tipo de piso largamente utilizado em todo o Titanic. Os corredores no Convés C, logo abaixo deste andar, seguiam praticamente esta mesma disposição decorativa, com mesmo design de piso geométrico e o mesmo tipo de dutos decorados e paredes apaineladas em madeira pintada de branco. (Crédito fotográfico: Titanic Lost in the Darkness)

Ao lado: Recentemente descobertas, estas peças históricas que pertenceram ao Olympic, o navio irmão do Titanic, possibilitaram as várias recriações em computação gráfica dos corredores não fotografados dos dois transatlânticos irmãos. Nesta pequena coleção pode-se observar uma peça de linóleo geométrico que recobria o piso, e também alguns frisos dourados que integravam a decoração de "disfarce" dos dutos superiores ao longo do teto dos corredores.

Estas peças foram leiloadas após a demolição do Olympic em 1935, e reaproveitadas como elementos decorativos em propriedades privadas do Reino Unido. Recentemente elas foram redescobertas e novamente leiloadas, ou direcionadas a museus e instituições históricas. Apesar de serem simples e despretensiosas, estas são relíquias que hoje valem alguns milhares de dólares, especialmente aos colecionadores de objetos náuticos históricos ao redor do mundo.

Ao lado: Uma cabine em estilo decorativo Adam, do Olympic, fotografada em maio de 1911, enquanto o navio ainda passava por processo de equipagem (o que pode ser notado especialmente pela ausência de maçanetas nas portas). Através da porta semi aberta pode-se observar um banheiro adjacente; a porta fechada acessava um pequeno closet particular. No Titanic este era o visual correspondente das cabines C 64 e C 90, ambas localizadas no Convés C.

Esta fotografia têm sido constantemente citada nos livros e fontes virtuais como um dos corredores do Titanic; a confusão de identificação é causada especialmente pela ausência de mobiliário. A comprovação de que este não é um corredor se dá pela simples observação da luz natural que se projeta pela lateral direita da fotografia, que entra através de uma das janelas da cabine ainda vazia.
.
Esquerda: Uma rara imagem de um dos corredores apainelados da 1ª classe a bordo do famoso RMS Mauretania, o navio de propriedade da Cunard Line, que era diretamente concorrente aos navios da White Star Line. A imagem certifica com clareza que os grandes navios da Cunard haviam sido também equipados com luxo e requinte. 

Direita: Um corredor do Convés B da 1ª classe do Titanic recriado para os cenários do filme "Titanic", de 1997. Muito curioso é notar que por conta da completa ausência de fotografias verídicas dos corredores luxuosos da 1ª classe do Olympic e do Titanic, a primorosa produção de arte liderada pelo perfeccionista cineasta James Cameron parece ter recorrido à fotografia do RMS Mauretania (na foto ao lado) nas pesquisas históricas para fazer sua recriação adaptada dos corredores do Titanic. O único acréscimo feito ao corredor cenográfico foi a inclusão de um frontão decorativo sobre as portas das cabines; nos demais aspectos a versão cenográfica segue quase à perfeição os corredores do navio RMS Mauretania. CURIOSIDADE - A primeira porta, à direita da fotografia acima, acessava o cenário da bela sala de estar "B 52", a famosa suíte com lareira onde a personagem "Rose" (Kate Winslet) é desenhada nua pelo parceiro "Jack" (Leonardo DiCaprio).

Considerando que o Mauretania e o Titanic eram contemporâneos (apesar de pertencerem à companhias concorrentes), a reprodução pareceu bastante apropriada. No entanto, apesar de belamente recriado para o filme, as recentes descobertas acerca do visual dos corredores do verdadeiro Titanic revelam que a versão recriada de James Cameron em verdade está bastante incorreta.

Ao lado: Nesta fotografia de extrema raridade, pode-se ver o corredor concorrente à "Scotland Road", no lado de estibordo do Convés E do RMS Olympic; por estranho que possa soar, este era também um corredor da 1ª classe. A foto foi tirada com a câmera voltada para a frente do barco (no mesmo lado em que o Titanic colidiu com o iceberg). Esta foto é freqüentemente citada como a própria Scotland Road ou como um corredor da 3º classe do Titanic, algo completamente incorreto, visto que na realidade foi tirada à bordo de seu navio-irmão, o RMS Olympic.

Este corredor percorria exatamente o mesmo sentido que a Scotland Road (que ficava do outro lado do navio, à bombordo), com o diferencial de que estava localizado no lado de estibordo; e neste caso o corredor era mais estreito e mais curto. Aqui também haviam portas à prova d'água e dormitórios (cabines da 1ª classe).

A porta com parafusos nas bordas que se vê em primeiro plano era à prova d'água; a porta que se vê ao fundo (com venezianas de ventilação) pertencia à cabine "E 66" da 1ª classe.
Curiosidade: A parede apainelada à esquerda da imagem escondia por detrás de si (a cerca de 10 metros à frente) o duto de passagem da chaminé Nº 03. *** "Scotland Road" - ou "Estrada da Escócia" - é o apelido conferido pela tripulação do Olympic e do Titanic ao gigantesco corredor de serviço que localizava-se no lado de bombordo no Convés "E" de ambos os navios; os aspectos gerais deste corredor estão cobertos na matéria "Dentro do Titanic, uma visão geral", aqui no Titanic em Foco.
 .
Ao lado: Duas belas reproduções de corredores da 1ª classe do Titanic apresentadas ao público em exposições itinerantes organizadas pela empresa RMS Titanic Inc. ao redor do mundo. Apesar da luxuosa aparência da composição, as fotos denotam que a empresa vêm baseando firmemente  suas recriações cenográficas nos cenários do filme "Titanic" (1997) que, por sua vez, foram baseados nos corredores da 1ª classe do navio RMS Mauretania. Considerando a beleza das duas fotos e o grande esforço na representação do Titanic, ambas as versões ao lado se provam completamente erradas do ponto de vista histórico: Os corredores da 1ª classe do verdadeiro Titanic em 1912 eram mais estreitos, não possuíam carpetes, não possuíam arandelas (luminárias de parede), não possuíam lustres de alto luxo em cristal lapidado e muito provavelmente também não possuíam corrimãos, segundo o que apontam as recentes pesquisas históricas... ...................................
Ao lado: À procura do engenheiro do Titanic a mocinha da ficção Rose DeWitt Bukater (Kate Winslet) percorre um corredor da 1ª classe nos cenários de "Titanic" (1997).
.
Abaixo: Nesta imagem publicitaria de 1997, o famoso casal fictício "Rose e Jack" (Kate Winslet e Leonardo DiCaprio) dentro do corredor parece adivinhar o quanto o "mundo Titanic" viraria de cabeça para baixo após o estrondoso sucesso em que se converteria o filme do qual participaram; onde até mesmo o simples detalhe da configuração de design dos corredores do famoso e trágico navio seriam esmiuçados nos anos posteriores pelos entusiastas da história verídica. Detalhes à parte, o filme vêm sendo co-responsável por um gigantesco "BUM" de novas descobertas...
Assista a cena do corredor invadido pela água 
(versão extendida com inclusão de uma sequência excluída da versão final para o cinema)

"A pequena garotinha
Cora Cartwell e seus pais encontram a morte quando a água violentamente invade o navio, os portões pantográficos na 3ª classe os mantém presos para sempre no Titanic."


Divulgação: DANA-1988
Crédito

Pesquisa, tradução, adaptação e reedição de texto e imagens -
Rodrigo, TITANIC EM FOCO
(Crédito das fotografias 02 e 03: Titanic Lost in the Darkness)

*** Esta matéria é um fragmento adaptado previamente publicado na matéria "Dentro do Titanic, uma visão geral".

46 comentários:

Dharana disse...

Muito bom esse novo post!Como em todas as matérias do seu blog tem muitas informações interessantes!
Então as suítes de luxo tão conhecidas do navio ficavam no Convés B?Sempre pensei que eram no A...por causa da cena em que a Rose desce pela Escadaria ao encontro do Jack para o jantar(Mas depois que o Titanic colide,ela,a mãe e o Cal parecem que estão vindo de um corredor do convés B.Não sei se esse é um engano meu hehe!)

Rodrigo disse...

Oi Dharana. Obrigado pela atenção à matéria.

Você é muito observadora, notou algo que há algum tempo também notei: Quando "Rose" e família descem para o jantar, eles todos estão vindo do Convés de Botes. E não há qualquer motivo aparente para isto. Afinal as cabines deles estavam situadas no Convés B. Quando "Jack" beija a mão da protaginista aos pés da escadaria, ambos estão no Convés A.

E você notou corretamente: A "Suítes Milionárias" (onde Rose hospedou-se) realmente eram no Convés B. E isto é igualmente válido para o verdadeiro navio, pois as chamadas "Suítes Milionárias" (B 51, B 53 B 55 --- B 52, B 54, B 56)realmente se localizavam no Convés B; bem junto ao início do corredor aos pés da Grande Escadaria.

Todos estes são apenas detalhes, mas gosto de detalhes, pois ajudam também a entender a história e geografia do próprio navio...

Até mais

Giovani Campos disse...

oi Rodrigo muito boas essas novas postagens adorei a do depoimento de Millvina Dean, mais por favor faz aquela postagem sobre os livros pq terminei de ler o meu ( e a orquestra continuou tocando ) e to afim de compra outro livro.
obg
abraço!!!

Leandro Marques de Assis disse...

Oi Rodrigo,adorei essa postagem sobre os corredores da primeira classe,o que eu queria saber é se a cena que é reproduzido no GIF animado acima realmente acontecer abordo do Titanic na noite da tragédia,as portas das cabines foram realmente arrancadas do lugar? Agradeço desde já!!

Rodrigo disse...

Oi Giovani, futuramente farei uma matéria com referencial de livros, e o livro seu entrará para a matéria. Infelizmente por hora não tenho previsão de quando vou montar a lista (espero que em breve). Até mais.


Oi Leandro. Olha, quem sou eu pra dizer o que aconteceu ou não dentro do navio. Nem mesmo os passageiros testemunharam os momentos finais de modo tão próximo...

Mas quanto à cena no GIF, considero que é muitíssimo provável que ela não teria acontecido; ou pelo menos não da forma que está na animação.

O gif mostra um corredor longitudinal do navio (um corredor que percorre o comprimento do Titanic), e do modo que Cameron editou a cena, o corredor é invadido pelas laterias, como se o Titanic tivesse adernado de lado e afundado violentamente. Ou seja, este é um dos muitos pequenos erros de Cameron....

Mas voltando à realidade: Creio que sim, as paredes e portas das cabines provavelmente foram arrancadas de maneira similar. Considerando que o navio naufragou de modo muito rápido depois das 2:10 da madrugada, é grande a chance de cenas similares a estas possam ter ocorrido, acho muito provável.
É o que penso.

Até mais, grato pela visita e atenção.

Leandro Marques de Assis disse...

Obrigado Rodrigo pela atenção,bom eu tbm acho que uma cena parecida deve ter ocorrido no navio na noite da tragédia,pois a força da água é mto grande.

Luciano Spears disse...

Muito bom esse post! Sempre quis saber sobre os corredores do Titanic. Achei essa reconstituição gráfica bem mais bonita que os corredores feitos pelo Cameron.
-
Aproveitando, Rodrigo:

http://www.facebook.com/photo.php?v=364444106940018

olha esse post no facebook. A imagem está ruim, mas dá pra ouvir um pouco da nova dublagem.. hehe

Rodrigo disse...

Oi Luciano. Obrigado por indicar o vídeo, não deu para ter uma noção exata, mas notei a redublagem. Não parece ter ficado tão ruim, mas certamente deve ter causado uma enorme estranheza para os que lembravam da original. Espero ver esta nova versão, o simples fato de haver redublagem causa uma sensação bem diferente, de muita estranheza à 1ª vista...

Luciano Spears disse...

Realmente, mal feita não ficou, mas foi muito estranho, afinal passamos mais de 10 anos com uma dublagem e do nada muda hehe
E ao que tudo indica, essa dublagem será a dublagem oficial dos novos lançamentos do titanic aqui no Brasil, a clássica, infelizmente está fora

Mister JD disse...

Depois que os sobreviventes foram resgatados pelo Carpathia o que foi feito com os botes salva-vidas, aonde eles foram colocados? qual é a situação atual deles?

Rodrigo disse...

Oi Mister Jd. Já de saída me desculpo pelo texto imenso.

Dos 20 botes salva-vidas do Titanic, o Carpathia recuperou para bordo apenas 13, e levou-os para New York, desembarcando todos eles na noite de 18 de abril no cais Nº 59, da White Star Line, onde o Titanic teria atracado na manhã de 17 de abril caso não tivesse naufragado. Logo após deixar os botes no cais 59, o Carpathia voltou para trás e desembarcou os 700 sobreviventes no cais Nº 54, da Cunard Line.

No dia 17 de maio, um mês depois da tragédia, o RMS Oceanic (da White Star Line) desembarcou o bote de emergência “A” em new York, que havia sido encontrado no oceano no dia 13 de maio contendo três corpos dentro (a presença dos corpos não era novidade, os oficiais do Titanic já haviam dito que abandonaram três corpos dentro de um bote durante o processo de resgate).

Durante o resgate de corpos o CS Mackay Bennet também encontrou o bote de emergência “B”, mas não o resgatou por falta de espaço.

Assim então, dos 20 botes, 14 foram resgatados e 6 foram abandonados no mar. Há relatos na imprensa da época que alguns destes botes foram vistos por outros navios em locais bem distantes do naufrágio, mas nada muito claro e nem confirmado.

Os 14 botes resgatados permaneceram armazenados num piso superior do cais de New York, onde foram avaliados, e seus valores incluídos como parte das indenizações às vítimas da tragédia. Há relatos de que até dezembro de 1912 eles estiveram armazenados em New York (aparentemente foram cobertos com pesadas lonas), depois disto nada mais se sabe sobre o paradeiro, absolutamente nada, até hoje. Alguns boatos foram levantados de que eles foram reutilizados no Olympic ou em outros navios da companhia, mas não há nada que comprove isto. Portanto eles simplesmente “desapareceram” da mira pública desde então, possivelmente sucateados, reaproveitados ou vendidos, ninguém sabe. Apesar da estranheza deste sumiço, me parece perfeitamente normal. É evidente que a White Star Line fez o máximo esforço possível para evitar ainda mais publicidade sobre a desgraça que aconteceu com o seu navio, matando tanta gente. Qualquer empresa normal, antiga ou atual, procederia da mesma forma, na intenção proteger o próprio nome (ainda que este esforço de sumir com objetos de "veneração" fosse pobre, afinal o mundo inteiro sabia das mortais consequências).

As únicas peças verídicas que existem dos botes do Titanic são os letreiros, os numerais e as bandeirolas metálicas; estas peças foram retiradas deles por ordem da White Star Line e também por “caçadores de tesouros”, e esta retirada aconteceu logo após o desembarque. Algumas destas peças permanecem em museus no exterior até hoje.
FOTO http://www.christies.com/lotfinderimages/d9180/d918085x.jpg *** Se não conseguir copiar o link, clique em “POSTAR UM COMENTÁRIO” e copie-o na janela que abrir.

O numeral metálico “8”, retirado do bote de mesmo número, foi presenteado à famosa passageira Lucy Noël Martha, a famosa Condessa de Rothes, que manobrou este bote durante boa parte da noite. Este “presente” foi obra do marinheiro Thomas Jones, admirado com a presença de espírito desta mulher, e que se tornou amigo da Condessa. Ambos trocaram correspondência durante muito tempo após a tragédia. A história é tanto verdade que até hoje este numeral metálico “8” permanece com os descendentes da Condessa.
FOTO http://www.angela-young.co.uk/wp-content/uploads/2012/04/Plaque-1.jpg

Bom isto é o que levantei nos últimos tempos, este é um assunto que também despertou minha atenção, mas sou apenas um curioso, não sou especialista no assunto. Este levantamento que passai foi feito com base principalmente no livro “Titanic in Photographs”, publicado no início deste ano. Como o livro foi escrito por alguns dos mais conceituados especialista da atualidade, creio que esteja muito próximo da realidade.

Até mais, espero ter esclarecido algo. Eu mesmo jamais paro de descobrir pequenos detalhes.

Mister JD disse...

Obrigado, esclareceu sim a minha duvida, eu gosto tanto de Titanic que qualquer detalhe, o minimo que seja, eu sempre quero descobrir sua historia e/ou destino final, muito obrigado.

Giovani Campos disse...

então Rodrigo estou procurando um site pra baixar a trilha sonora do Titanic do james horner, e não estou achando então pensei que lugar melhor pra pergunta do que no seu blog =)
se souber algum link me fala por favor
obrigado !!
e esperando novas postagens em (y)

Rodrigo disse...

Oi Giovani. Claro, apesar de bem tranquilo, manterei o blog, há matérias por vir.

Aqui estão os links para os dois Cd's com a trilha sonora.

1º CD (MUSIC FROM THE MOTION PICTURE TITANIC, 15 músicas) - http://isohunt.com/torrent_details/116728897/Titanic+OST?tab=summary

2º CD (BACK TO TITANIC, 12 músicas) - http://isohunt.com/torrent_details/112632913/back+to+titanic?tab=summary

Para baixar é preciso ter o BITTORRENT, caso não tenha, aqui está - http://www.baixaki.com.br/download/bittorrent.htm

*** Se não conseguir copiar os links, clique em “POSTAR UM COMENTÁRIO” e copie-os na janela que abrir. Até mais.

Mister JD disse...

Rodrigo sabe aonde eu posso encontrar uma maquete do Titanic(não muito cara), em Curitiba, eu procurei na net e não achei, fui até no Shopping Estação e não vendem mais,ficaria grato se soubesse me responder.

Rodrigo disse...

Oi JD, infelizmente também não conheço outra loja que trabalhe com modelismo. No Mercado Livre há várias, mas aí é preciso ter muita segurança para comprar. Fico devendo...

Anônimo disse...

Olá Rodrigo.
Estava lendo as curiosidades,lá no final do blog,e você diz que o querubim da escada é baseado em um existente no Palácio de Versalhes.
Então fui procurar e achei nesse site..
http://720plan.ovh.net/~jardinsd/Statues/Eau/pages/Eau-18-7.htm

Sinceramente eu não sabia dessa curiosidade,obrigado !

Rodrigo disse...

Olá, fico satisfeito que tenha gostado da curiosidade. Eu também não parp de descobrir detalhes, e me surpreendo.

Durante bastante tempo eu imaginei que o Titanic, junto do Olympic, era um navio totalmente inovador. Burro engano meu. Os decoradores e arquitetos basearam muito dos interiores dos dois navios em inúmeros locais em terra e também em acomodações luxuosas de outros navios.

A cúpula da Grande escadaria era uma cópia das cúpulas menores dos navios "Megantic e Laurentic"; parte dos vitrais da Sala de Fumantes da 1ª classe foram copiados do navio "RMS Baltic"; os painéis esculpidos do Lounge foram copiados de outro navio da companhia, o relógio esculpido em carvalho da Grande Escadaria possivelmente foi copiado e adaptado de um similar que existia no antigo Palácio das Tulherias, em Paris; o teto do Salão de Jantar foi copiado de duas mansõs famosas no território bitânico... Entre tantas outras coisas que eu sequer conheço ainda.

E o motivo sabemos: "Nem tudo se cria, muito se copia... E o que não é bom o suficiente, pode ser adaptado e melhorado."

LUCAS VERTINE disse...

Hy Rodrigo Tudo bem? A quanto tempo kkk.

Eu gostaria de saber se vc eta fazendo uma nova matéria?



ATENCIOSAMENTE LUCAS VERTINE KENDAVEL ZIUGANOVSK

Anônimo disse...

tem fotos do olympic que monstra com os botes do titanic.aquele coredor de botes com o nome do titanic escrito na hora que esles estavão colocando no olympic

Rodrigo disse...

Oi Lucas. Sim tenho novas matérias para editar e publicar. Por hora estou sem tempo, mas o blog seguirá. Até mais.

***

"Anônimo" - Infelizmente não compreendi o que você quiz dizer com a frase "tem fotos do olympic que monstra com os botes do titanic.aquele coredor de botes com o nome do titanic escrito na hora que esles estavão colocando no olympic", me desculpe.

Anônimo disse...

Boa tarde Rodrigo, gostaria de parabeniza-lo pelo organizado e completo blog. Sou fã do Titanic desde que vi o filme e de todos os sites (incluindo os estrangeiros) esse é o mais completo e organizado, além de que seu conhecimento do Titanic é admirável, visto a quantidade de detalhes que vc consegue descrever dentro do possivel, mais próxima ao real Titanic. Estou ansioso por novas matérias. Bem que vc podia criar uma pagina apenas para as atualizações das matérias, pra podermos checar o novo conteudo (já que li praticamente todas elas). Abraços

Anônimo disse...

Olá Rodrigo, apenas uma curiosidade: o piso do corredor do convés E (área da primeira classe, mas que poderia eventualmente ser repartida com a segunda classe) era do mesmo padrão ( acredito que mármore) dos outros conveses, ou eram vermelhos, como os de terceira classe. E os corredores de segunda classe? Eram iguais aos da terceira, mudando apenas as cabines?

Rodrigo disse...

"Anônimo", obrigado pela atenção ao blog, meu conhecimento é muito limitado, mas meu interesse está em aspectos históricos, por isto procuro tentar encontrar respostas para minhas perguntas justamente durante o processo de editar o blog. O mérito verdadeiro vai para os mais dedicados historiadores que se esforçam para trazer a história e o "verdadeiro Titanic" à tona. Meu trabalho (que na verdade é apenas meu passatempo de admirador) é tão simplesmente buscar estas informações e fazer uma edição daquilo que me parece mais interessante.

Quanto às atualizações, eu tento deixar um aviso em matérias onde faço atualizações maiores, é bem pouco frequente. Na maioria dos casos as atualizações são bem pequenas.

CORREDORES - Os corredores do Convés E eram recobertos unicamente com uma camada de 'litosilo', que é uma base de assentamento de linóleo (de cor avermelhada) que foi usada largamente em todo o navio nas áreas menos nobres e totalmente secas. A prova que certifica está na foto do corredor da 1ª classe do Convés E desta matéria, por ela dá para notar que o piso era plano, ou seja, litosilo avermelhado; isto é uma surpresa, já que esta área era utilizada pela 1ª e 2ª classes, cabines intercambiáveis. Deste modo dá para palpitar que possivelmente todos os corredores da 2ª classe eram cobertos apenas por litosilo avermelhado.

Pelo que sei o mármore não foi utilizado em nenhuma área dos pisos do navio. Ao invés de mármore, foi utilizado revestimento cerâmico nas áreas constantemente úmidas, como as cozinhas, banheiros e na piscina. O mármore, pelo pouco que sei, foi utilizado apenas em lareiras, em tampos de lavabos, tampos de buffets, como no buffet do restaurante À LaCarte, que foi descrito como mármore "Fleur de Pêche".

Quanto às diferenças dos coredores da 2ª e da 3ª classe não posso julgar, não encontrei nenhum artigo ou reconstrução gráfica de confiança que assegure a aparência dos mesmos. Mas considerando que no Convés E os corredores da 1ª/2ª classe tinham apainelamento de madeira com formato simples, posso palpitar que o restante dos corredores exclusivos à 2ª classe pode ter seguido a mesma regra de painéis simplificados. Enquanto que na 3ª classe possivelmente os corredores receberam painéis ainda mais simples ou receberam painéis epenas em partes específicas, ou sequer foram apainelados. Só posso palpitar, sem fontes não posso afirmar.

Novamente grato pela atenção ao blog, eu continuo também como um simples curioso, e há sempre toneladas de informações a se descobrir.

Anônimo disse...

Olá Rodrigo, sou eu Fernando Henrique, tudo bem? Antes de mais nada gostaria de ressaltar o interessante deste ano os dias da semana com os do anos coincidirem com os de 1912. A respeito dos corredores já se possui alguma informação sobre a existência das luminárias e dos corri-mãos? Obrigado!

Rodrigo disse...

Oi Fernando, tudo bem. Que curioso, nem mesmo eu tinha notado a coincidência dos dias da semana, interessante; fica até mais fácil compreender a história.

Não foquei mais sobre os corredores. Pessoalmente acredito que nos conveses B e C não haviam corrimãos nem luminárias. Há inclusive um fator que ajuda a eliminar ainda mais a idéia de luminárias: Os corredores nestes andares não eram tão largos a ponto de permitir a instalação de arandelas com espaço de folga para o trânsito confortável; eles eram relativamente estreitos. A impressão de que eles eram largos foi causada pelos cenários de James Cameron, onde os corredores foram construídos mais largos do que eles eram na realidade; aparentemente 50 centímetros mais largos.

A revista "The Shipbuilder", publicada em 1911 aparentemente também não citou nada com relação a arandelas nos corredores do navio. Quanto aos corrimãos também não sei mais nada. Mas ainda me causa estranheza pensar que não haviam corrimãos, pois eles são presença obrigatória [acredito eu] nos interiores dos navios.

Como as pesquisas sobre os dois navios-irmãos jamais param, é possível que surja, ou tenha já surgido, alguma resposta para estes detalhes.

Até mais.

Anônimo disse...

Muito obrigado pela resposta amigo! Como o que é certo hoje pode ser errado amanhã em partes do navio que não se tem muitas informações como no caso dos corredores ficam até difíceis a recriação deles no TITANIC ll caso seja feito, e também acredito como você que deveria existir os corri-mãos, como possuía na foto acima dos do Maretania, e em relação a luminárias pode-se saber mais precisamente se existisse alguma matéria que mostra vestígios da mesma nos corredores do navio naufragado, não sei se existe essa matéria, pois nos demais ambientes do navio sabemos que tinha né. Abração e até mais

Anônimo disse...

Como a piscina do Titanic é dentro do navio onde não pegava sol, ela era com agua quente?

Rodrigo disse...

Olá. Agradeço a atenção ao blog. Preciso saber a quem estou repondendo, fico grato se ao menos dizer seu nome.

Anônimo disse...

Me chamo Luzia, rss. Eu perguntei: Como a piscina do Titanic é dentro do navio onde não pegava sol, ela era com agua quente? Surgiu outra pergunta que fico feliz se puder me responder, no filme de 96 fala no final que eles tetnaram varias vezes tirar o Titanic do mar, algo que é falta de respeito e um absurdo sem lógica, eles tentaram mesmo? Enquanto faziam o filme de 96 acho interessante que eles também faziam o de 97, rsrsrs, só que o de 97 por ser magnifico deve ter sido começado primeiro. Luzia, obrigada

Rodrigo disse...

Olá Luzia.

Sim, a piscina era aquecida, assim como a piscina do Olympic. Ela foi instalada exatamente acima de uma das salas de caldeiras, para que houvesse proveito do calor gerado por elas de modo mais prático e econômico.

A alegação do filme de 1996 de que "Houveram várias tentativas de tirá-lo do mar" é obviamente falsa. Coisas de mídia mal informada; nunca ninguém tentou efetivamente tirar o navio do mar. Apesar de que havia interesse. Hoje se sabe que isto é tecnicamente impossível.

Eu não sei dizer quais foram as gravações que começaram primeiro, mas sei que a produção da microssérie "Titanic" (1996) foi acelerada na reta final para que pudesse estrear antes do filme de James Cameron. Vale lembrar que o "Titanic" de 1996 não é um filme, jamais esteve no cinema; aquilo é uma microssérie que foi posteriormente editada como filme, e lançada diretamente em VHS depois de já ter sido exibida na TV. O orçamento era infinitamente menor do que o de James Cameron, proporcional a uma microssérie para TV (13 milhões de orçamento para a microssérie X 200 milhões – possivelmente até mais – para o filme de James Cameron).

Bem, é isto. Até mais, novamente grato pela atenção ao blog.

Anônimo disse...

Ola, sendo assim os corredores da minissérie de 2012 são os mais corretos? Luzia

Rodrigo disse...

Olá Luzia

Mas olha só, muito observadora você é.

Se for para fazer um balanço entre a similaridade com a realidade entre os corredores de "1997" e os da minissérie de 2012, esta última fica em vantagem.

Nem Julian Fellowes acertou em cheio na minissérie em 2012, mas o resultado mostrado, especialmente em relação à largura dos corredores e à decoração 'abaulada' junto ao teto estão bastante corretos. É bom ver que finalmente as coisas começam a ser esclarecidas e a se aproximarem mais da realidade, conforme seguem as pesquisas; e as pesquisas nunca param.

Até mais.

Anônimo disse...

Você sabe se foi divulgado o motivo deles não terem recriado nem mesmo errado as escadarias da 1ª classe na minissérie para mostrarem elas? Luzia

Anônimo disse...

e a legenda da minisserie 2012 contem erro também dizendo que 10 de abril é quinta, e também diz que pessoas das demais classes poderiam participar da missa da 1ª classe, poderia mesmo ou é ficção?

Rodrigo disse...

Luzia

Não sei se eles publicaram algo sobre a "eliminação" da Grande Escadaria da 1ª classe, e eu confesso que achei estranho, porque este é um dos atributos-chave do navio quando se trata de seus interiores. Pessoalmente acredito que a eliminação da escadaria se deva unicamente a uma contensão de gastos. A minissérie teve um custo de 11 milhões de libras distribuídas em 04 episódios... Talvez não suficientes para cobrir tamanha história com tantos cenários a serem construídos.

A questão com a missa aberta a todas as classes é uma lenda berrante. A White Star Line jamais permitia a mistura de classes, especialmente com relação à 3ª classe, que sob hipótese alguma poderia se misturar com as demais classes. Esta rigidez não era "ruindade" da empresa, mas sim uma questão de lei sanitária da época, e servia para toda a frota de navios daquele período. Havia apenas uma certa liberdade com relação à 1ª e a 2ª classes: elas poderiam se encontrar durante a viagem com autorização e à título de visita. No início da viagem, antes da partida, a 2ª classe também poderia ir até determinadas acomodações da 1ª classe para ter uma “prévia” das acomodações; isto era uma espécie de “propaganda” feita pela empresa, com intuito de ganhar mais passageiros na 1ª classe em possíveis futuras viagens.

Cada classe teve seus cultos ministrados em seus respectivos locais, e a White Star Line permitia que qualquer passageiro religioso (padre, ministro, pastor...) realizasse um culto em sua respectiva classe se assim desejasse. E foi o que aconteceu realmente.

Não sei com relação às outras classes, mas na 2ª classe haviam 03 padres e 1 pastor evangélico, todos eles morreram na tragédia. Dois deles ficaram famosos: o padre Thomas Byles e o pastor John Harper; ambos possuem histórias de heroísmo, sendo que Thomas Byles é inclusive mostrado nas cenas finais de "Titanic" (1997).

Ufa, isto é o que levantei.

Anônimo disse...

Ola Rodrigo, nsta data,preferencialmente no momento exato eu revejo várias coisas referente ao TITANIC, e neste momento me surgiu uma dúvida, no filme TITANIC de 1958, A night to remember mostra o lançamento no mar de um navio, você saberia que navio é? Fernando

Rodrigo disse...

Fernando

A seqüência do lançamento foi feita com as cenas reais do lançamento do casco do RMS Queen Elisabeth (1938). Mas há uma pequena mistura de gravações, porque pois bem no final, quando os créditos surgem na tela, o navio que se vê já dentro d'água é outro; infelizmente não sei qual é, sei apenas que aquele não é o Elisabeth.

E erro nesta cena de lançamento é a quebra da champagne contra proa do "Titanic"; esta cerimônia de quebra de champagne não aconteceu nem com o Olympic, nem com o Titanic e nem com o Britannic, isto não era tradição dos navios encomendados pela White Star Line. Ao invés de champgne, a White Star Line apenas fez disparos de rojões, como forma de anunciar o lançamento e alertar as outras embarcações nas proximidades.

Anônimo disse...

Boa noite e obrigado Rodrigo!
Como não existem registros que comprovem como eram realmente os corredores da 1ª classe do TITANIC, gostaria de saber se existem registros que mostre como eram os demais corredores, como exemplo o que dava acesso a sala de leitura, o Lounge e a sala de fumantes da 1ª classse?? Pois existe aquela prévia do jogo de vídeo game que percorre o navio descendo as escadas e mostra esses ambientes, até mesmo o que mostra a escadaria da popa e vai para um corredor da 1ª classe.

Rodrigo disse...

Oi "Fernando" [acredito que seja você]

Até onde eu sei não existem fotos verídicas dos corredores de trânsito entre as cabines no Convés "A", "B", "C", "D", “F” e “G”; mas existe uma do corredor de trânsito no Convés "E" do Olympic (e é esta que está na matéria).

Em relação aos corredores de passagem entre as duas Escadarias, Lounge, Sala de Leitura e Sala de Fumantes: Sei que existe um foto de um super close de um painel de distribuição de luz (inserido na parede apainelada) que ficava em um destes corredores (acredito que entre o Lounge e a Escadaria dianteira). Esta foto mostra que a parede neste corredor era de madeira em tom natural, apenas encerada, assim como as paredes nas duas "Grandes Escadarias". Fora a foto deste painel de distribuição, sei que há também uma foto do Lounge que, em sua versão em alta resolução, é possível ver discretamente através da porta parte dos detalhes do corredor de ligação.

Seria ousadia demais dizer que não existem absolutamente mais nenhum registro, porque eu sei que o pessoal do futuro game está trabalhando com informações e pesquisa históricas/fotos, de um rigor muito grande (e com informações que sequer temos acesso). O que eu poso dizer é que em detalhes para os quais não existem fotos verídicas, eles estão recorrendo à outras informações como: peças sobreviventes do Olympic, textos descritivos de época, ilustrações de época e, em última instância, fotos de locais similares de outros navios do mesmo período. Considerando que mais de 60 ou 70% dos interiores do Olympic não foram fotografados e mais de 95% dos interiores do Titanic também não... Estas consultas alternativas são inevitáveis.

Quanto à perfeição do game, eu asseguro que não será perfeito (e nenhum outro conseguirá ser, por motivos óbvios), mas o trabalho desta equipe está em um dos mais altos níveis que se pode alcançar... Tenho concluído isto segundo aquilo que vi e pude consultar até agora.

Bem , isto é até onde eu sei.
Até mais.

Anônimo disse...

Tem um link para eu ver essas duas fotos? Agradecido

Rodrigo disse...

Estas são as duas amostras, ambas estão em versão límpida no livro "Titanic, o Naufrágio" de Leo Marriot; e ambas são do Olympic.

Eu sei que o trabalho para o game recorre à este tipo de foto, mas sempre em resolução muito maiores.

Como você pode notar, através da porta do lounge se vê discretamente o acesso para a Grande Escadaria traseira.

O painel de distribuição está disfarçado, discretamente encaixado por detrás do apainelamento. Segundo consta este painel estava localizado exatamente no corredor de acesso entre a Grande Escadaria (dianteira ou traseira, não sei ao certo) e o Lounge.

http://www.copperas.com/titanic/fig127.jpg

http://www.abratis.de/ship/interior/pic/lounge.jpg

Ricardo disse...

Oi Rodrigo,
Eu acho, que a unica reprodução quase exata desses corredores, foram os reproduzidos para o cenário da minissérie de 2012. Aqueles corredores apresentam um padrão de painéis igual (ou quase igual) ao de reconstrução gráfica apresentada nesta postagem, porém o chão está errado, assim como os dutos estão virados. Em relação aos dutos, eles também poderiam estar virados igual aos da minissérie?

Rodrigo disse...

Oi Ricado,

exatamente, a microsérie "Titanic" de 2012 chegou muito perto sob aspecto geral, ainda que os corredores estejam incorretos (porém muito mais perto da realidade do que qualquer outro filme). Tanto a série de 2012 quanto a reconstituição gráfica feita exclusivamente para o "vôo gráfico" pelo Titanic do "Centro Titanic Belfast" exibem os dutos decorativos em posição invertida. Os cenógrafos da série não se preocuparam com piso (que na realidade era em linóleo geométrico), e optaram por utilizar um carpete central ao longo dos corredores. Acredita-se que não havia carpete no Titanic real pois aparentemente não há qualquer menção histórica à este tipo de carpete no navio.

Não sei qual é a resposta correta sobre a posição, e acredito que inicialmente houve esta dúvida entre os pesquisadores, por isto as diferenças de posição. Eu não sei se a dúvida já foi resolvida, mas acredito que a reconstrução gráfica nesta matéria pode ser a versão correta, pois foi feita de acordo com informações mais recentes, apoiadas por pesquisadores... Tudo pode mudar até a versão definitiva do game, mas por hora é isto.

Enfim... Ponto para a microsérie, apesar de representar os corredores de modo ainda não exato, eles os criaram com largura bem próxima à realidade (muito mais estreitos do que a versão de Cameron), sem arandelas nas paredes e sem corrimãos... Tudo isto está de acordo com o que apontam as pesquisas mais recentes.

Detalhes, detalhes... São justamente estes pormenores que fazem a diferença para entender o que realmente foi o Titanic e o Olympic também. Pessoalmente eu preferiria que os corredores fossem tal qual Cameron reproduziu... Mas enfim, história é história, e filmes são apenas interpretações adaptadas da história.

E é graças à especialistas, pesquisadores e entusiastas espalhados ao redor do mundo que estes pormenores têm surgido nos últimos anos. Finalmente hoje há muita gente que quer saber como realmente foi o Titanic, jogando uma pá de cal e terra em cima das lendas. E eu gosto muito disso: Fato, realidade e história tão pura quanto puder ser. Interesse e pesquisa são as chaves.

Ricardo disse...

Oi Rodrigo,
Gostaria de perguntar duas coisas:
1ª pergunta- Como eram os corredores dos alojamentos dos oficiais, da 2ª e da 3ª classe? Eles são variados em diversas reproduções. No filmes de 1997, os corredores da 3ª classe possuíam um apainelado simples com o chão avermelhado. Enquanto que, na minissérie de 2012, os corredores não eram apainelados, possuindo apenas uma pintura decorativa (branca e marrom) com o chão também avermelhado; na 2ª classe e nos corredores dos oficiais foram unados apainelamentos iguais aos da Scotland Road, com piso de linólio verde. No filme Titanic de 1996, os corredores da 3ª classe também eram sem apainelamento com corrimões, contudo não apresentavam pintura em nas parede e nem no chão. Acredito que eles tenham sido iguais aos da minissérie.
2ª- Na minissérie de 2012, há uma cena em que o oficial Boxhall desperta o oficial Lightoller em seu quarto (foi nesta cena que reparei os corredores dos alojamentos do oficiais); na história contada no Titanicfans, há uma cena semelhante. Contudo, não encontrei nenhum registro de q isso tivesse acontecido. A pergunta é: Esta cena teria acontecido ou é fictícia?

Rodrigo disse...

Oi Ricardo

Sobre quaisquer outros corredores eu não posso sequer dar palpites, eu não tenho informações concretas sobre a aparência destes locais. A única coisa que posso palpitar sem grandes fontes é que o piso da grande maioria dos corredores da 2ª classe e provavelmente a totalidade dos corredores da 3ª classe teriam apenas cobertura rósea, composta de litosilo, que é a camada básica de assentamento do linóleo. Ou, em outros casos, recobertos com deck de madeira. A Scotland Road era oficialmente também um corredor da 3ª classe, e era, pelo que consta, coberta com deck de madeira.

Como você bem deve saber, jamais se pode acreditar seriamente no que é mostrado em filmes e séries sobre o Titanic, eles são apenas dramatizações livres da história e fogem da realidade o tempo todo, quer seja a realidade física (aspectos do navio), quer seja na realidade histórica... São apenas referenciais bons, mas muito vagos.

Estes são apenas palpites baseados em informações muito superficiais. Eu não estudo o Titanic, eu leio sobre ele de modo focado em pontos de meu interesse específico, por isso não sei toneladas de aspectos físicos e históricos.

Quanto a cena que você citou, sim, ela é verdadeira. Segundo consta na biografia de Lightoller, ele se levantou assim que percebeu o tremor da colisão, foi ao Convés e conversou brevemente com Pitman... mas voltou novamente para cama, onde permaneceu deitado, mas acordado à espera de qualquer ordem. Como ele estava em folga, não havia motivo para ele "bisbilhotar" fora de seu expediente.

Cerca de 10 minutos depois, ele foi chamado por Boxhall, que o alertou sobre a gravidade, e que a água havia alcançado o Convés F e a Sala de Correspondências; imediatamente ele levantou-se, vestiu-se e se pôs ao trabalho.

Estas informações são da "Encyclopedia Titanica".

Bem, isto é até onde posso consultar, é sempre bom analisar alguns pontos que não são meu foco, mas que são história viva. Até mais.