oncontextmenu='return false'>expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Você sabia? - Uma lista de curiosidades sobre o Titanic

 http://oi57.tinypic.com/9atjsm.jpg
Seja bem vindo ao Titanic em Foco  

A lista de curiosidades que você vai acompanhar a seguir já é parte do corpo do Titanic em Foco há muito tempo, e segue fixa no rodapé do blog, podendo ser consultada em qualquer matéria que você porventura estiver lendo. Agora reeditadas, estas curiosidades podem ser consultadas de modo mais interessante, ilustradas para trazer ainda mais sentido a estas informações históricas sobre a trajetória e legado do mais popular navio da história..

Acompanhe
Nem Deus pode afundar o Titanic!
Você sabia que a frase “Nem Deus pode afundar o Titanic...” ainda hoje, mais de 100 anos após o naufrágio do Titanic, não é creditada a nenhuma pessoa em específico? 

A famosa e infame declaração hoje é lembrada como tendo sido criada junto as lendas pós naufrágio, quando a catástrofe tomou conhecimento mundial e havia a necessidade inconsciente de imputar a culpa da tragédia a algo evidente. Contrariando a crença enraizada ao longo das décadas, a famosa frase relacionada ao Titanic não havia sido escrita em qualquer jornal, revista ou publicação da época, tampouco no casco do Titanic.

Em “Titanic” (1997), o filme dirigido por James Cameron, a sentença é proferida pelo personagem fictício “Caledon Hockley” (interpretado por Billy Zane) enquanto embarca no Titanic; no entanto o momento não é baseado em qualquer fato ou pessoa verídica, mas sim na crença não confirmada de que a frase tenha sido usada na época. Bruce Ismay, o proprietário do Titanic e Thomas Andrews, o projetista do navio, ambos embarcados na viagem inaugural, historicamente também não fizeram tal declaração relacionada ao transatlântico.

Ao lado - A famosa cena em que o personagem ficcional  Caledon Hockley se refere ao Titanic dizendo: "Ele não afunda , nem Deus pode afundar este navio". Criada como licença poética, a cena não foi baseada em nenhum momento real ou personalidade histórica verídica.

A famosa revista naval especializada “The Shipbuilder” em 1911, um ano antes do naufrágio, se referindo à segurança dos novos navios irmãos (Olympic e Titanic), publicou apenas a seguinte declaração sobre ambos: “Na medida do que é possível conceber, estes dois maravilhosos navios são projetados para serem inafundáveis.”

No entanto, apesar dos muitos reveses sobre as informações, a famosa frase "Nem Deus pode afundar o Titanic" aparentemente jamais foi utilizada. Tanto o Olympic quanto o Titanic eram tidos como navios virtualmente inafundáveis frente a crença de seus construtores, que os equiparam com o que de melhor havia em relação à tecnologia disponível para a prevenção de naufrágio. O primeiro da classe, o Olympic, equipado de maneira praticamente idêntica ao Titanic, sobreviveu de modo esplêndido durante 24 anos no transporte de passageiros na mesma rota onde o Titanic naufragou em sua 1ª viagem.

Declarações publicitárias do tipo "praticamente inafundável" não eram únicas para o Olympic ou para o Titanic ou outros navios da White Star Line; frases como esta foram empregadas para descrever os navios RMS Lusitania e RMS Mauritania, da companhia concorrente Cunard Line, e também sobre os navios alemães Kaiser Wilhelm der Grosse e Kaiser Wilhelm II. As características avançadas de segurança destes navios eram fortemente divulgadas pela imprensa, salientando a possibilidade destes navios não afundarem em um acidente grave. Portanto a crença de que apenas o Titanic recebeu tal atenção é um completo mito.
.
Nada de grandes tesouros no porão
Você sabia que a maior parte da carga carregada pelo Titanic era de objetos triviais?

Embora Titanic fosse um navio de passageiros, ele também carregava uma grande quantidade de carga. Sua designação como navio correio (indicada pelo prefixo RMS, ou seja, Royal Mail Ship) indicava que ele carregava os correios sob contrato com o correio britânico, e também com o Departamento de Correios dos Estados Unidos.

Passageiros do navio trouxeram consigo uma enorme quantidade de bagagem, além disso, havia uma quantidade considerável de carga regular, que ia desde móveis a gêneros alimentícios e até mesmo 1 carro.

Apesar dos mitos posteriores ao naufrágio, a carga na viagem inaugural do Titanic era bastante mundana; não havia ouro, minerais exóticos ou diamantes de grande valor, e um dos itens mais famosos perdidos no naufrágio, uma cópia cravejada de pedras preciosas do livro Rubaiyat de Omar Khayyam (um livro de poemas), foi avaliado em apenas 405 Libras (34.986 Libras nos valores atuais).

De acordo com os pedidos de indenização, o item unitário de mais alto valor entre a carga era uma grande pintura a óleo neoclássica intitulada "La Circassienne au Bain" (que teria sido igual à cópia ao lado), obra do artista francês Merry-Joseph Blondel. O dono da pintura, o passageiro de primeira classe Mauritz Håkan Björnström-Steffansson, entrou com um pedido de 100 mil dólares (2 milhões e 400 mil dólares em valores atuais) em compensação pela perda da obra de arte.
.
Um navio no coração das dramatizações
http://oi59.tinypic.com/23hrp1f.jpgVocê sabia que o Titanic já foi tema principal de pelo menos 20 produções diferentes?

Desde o naufrágio do Titanic, em 15 de abril de 1912, sua história e tragédia já inspirou pelo menos 20 produções de cinema e TV, onde o famoso transatlântico faz aparição como tema principal. A despeito da grande variação de qualidade e época destas 20 principais aparições, o Titanic é o tema central destas produções, que variam de grandes filmes para o cinema, microsséries de TV, animações em desenho e até mesmo um filme lançado diretamente na Internet.
.
Apenas 29 dias após o naufrágio o primeiro filme sobre o Titanic era lançado, sob o nome "Saved from the Titanic" (Salva do Titanic), onde uma sobrevivente, a atriz Dorothy Gibson, narra uma história ficcional de amor. Dorothy Gibson era uma real sobrevivente da tragédia, e foi imediatamente chamada para atuar nesta produção pioneira sobre o Titanic. Curiosamente este é o único dos filmes dramatizados sobre o Titanic do qual não existem cópias hoje, visto que seus negativos foram destruídos num incêndio dos estúdios Éclair em março de 1914.
.
Enquanto a esmagadora maioria destas produções se utiliza de tramas ficcionais que se passam a bordo do malfadado navio, "A Night to Remember" (1958) se dedica de maneira mais puritana e esmerada à tragédia real do Titanic, onde o foco central está quase exclusivamente em fatos históricos. Apesar do esmero e caráter semi documental, a produção peca numa infinidade de detalhes, ainda que permaneça no topo do reconhecimento e preferência entre os estudiosos sobre o Titanic.

Para a lista completa de todas as produções onde o Titanic é tema principal, tema secundário, faz apenas uma rápida aparição ou serve de inspiração, clique AQUI
.
O Titanic não foi tradicionalmente batizado
Você sabia que o Titanic não recebeu a tradicional cerimônia de batismo com garrafa de champagne e discurso no dia do lançamento de seu casco?

http://oi59.tinypic.com/20s6k91.jpg
Um mito que se arrastou por longa data sobre o Titanic foi de que a garrafa de champanhe atirada contra seu casco no dia do lançamento não se quebrou, e acabou causando má sorte ao navio. 

A realidade é, no entanto, que o Titanic nunca foi batizado com champanhe. A companhia proprietária, White Star Line, não batizava qualquer um dos seus navios, porque não acreditava nesta prática.  

Rejeitando grandes pompas e discursos, os estaleiros Harland and Wolff e a White Star Line apenas dispararam rojões ao céu para anunciar às embarcações nos arredores sobre a iminência do lançamento do Titanic, no intuito de evitar acidentes.

O mito do batismo foi ainda mais reforçado pelo filme "A Night to Remember" (1958), em que o Titanic aparece sendo batizado na icônica cena de abertura (foto e animação acima). A realidade é que o momento ficcional  fora livremente criado para efeito dramático. 

Curiosamente relata-se que durante o lançamento do Titanic em 31 de maio de 1911, Julia Florence (ao lado), esposa de Joseph Bruce Ismay (proprietário do Titanic) teria dito discreta e extra-oficialmente entre a multidão de expectadores: "I name this ship the Titanic, and may God bless her and all who sail in her" ["Eu nomeio este navio Titanic, e que Deus possa abençoá-lo, e a todos que nele navegarem"].

Ao lado: Bruce Ismay e a esposa Florence são fotografados menos de um mês depois da tragédia, em 11 de maio de 1912 ao desembarcarem em Liverpool, na Inglaterra, após terem retornado dos Estados Unidos viajando a bordo do navio RMS Adriatic, também de propriedade da White Star Line.
.
Os primeiros que faleceram depois do resgate
As bebês da 3ª classe Maria Nackid, Eugenie Baclini e o passageiro da 1ª classe Archibald Gracie foram os primeiros passageiros a falecer depois de terem sido resgatados.

A pequena austríaca Maria Nackid (na foto acima) tinha apenas 18 meses de idade e havia embarcado no Titanic como passageira da 3ª classe junto de seus pais, Mary e Said Nackid, na cidade de Cherbourg, França, na tarde de 10 de abril de 1912. Maria sobreviveu junto de seus pais no bote salva vidas desmontável C, mas faleceu apenas 75 dias depois, em 30 de julho de 1912, devido a uma meningite. Ela é oficialmente a primeira pessoa resgatada a falecer depois do naufrágio.

A pequena Eugenie Baclini (3 anos de idade) embarcara no Titanic junto de sua mãe, Latifa Baclini, e as irmãs, Maria e Helene, como passageiras da 3ª classe. As quatro foram resgatadas no bote salva-vidas desmontável C. Eugenie faleceu apenas 3 meses e meio depois do resgate, em 30 de agosto de 1912, devido a uma meningite. Ela é a segunda pessoa resgatada a falecer depois do naufrágio.

http://oi58.tinypic.com/t7lml2.jpg
O norte-americano Archibald Gracie IV (53 anos, foto do meio) embarcou no Titanic como passageiro da 1ª classe em 10 de abril de 1912, na cidade de Southampton, Inglaterra, e não conseguiu embarcar em um bote salva-vidas durante o processo de evacuação. Ao ser tragado pelo mar durante o naufrágio, conseguiu através de forças próprias escalar o fundo do bote salva-vidas desmontável "B", que emborcou durante o processo de evacuação, onde permaneceu durante a madrugada gélida juntamente com dezenas de outros sobreviventes, se equilibrando sobre o fundo do bote até o amanhecer do dia, quando foi resgatado pelos ocupantes do bote nº 12. Ao lado: Cenas de "A Night to Remember" (1958).

Gracie era escritor e historiador amador, e ainda a bordo do navio de resgate, o Carpathia, começou a reunir informações para um livro sobre sua experiência a bordo do Titanic e seu resgate. Gracie nunca se recuperou do trauma da tragédia, e morreu menos de 8 meses depois, em 4 de dezembro de 1912, devido às complicações com diabetes e porque sua saúde foi afetada pela hipotermia e pelo desgaste físico que sofreu na madrugada do desastre. Gracie sequer teve tempo de revisar o texto de seu livro, que foi publicado apenas depois de sua morte, em 1913, sob o título "The Truth about the Titanic" (A Verdade Sobre o Titanic, na foto acima). Gracie foi a terceira pessoa resgatada a falecer depois do naufrágio.
.
O primeiro livro escrito sobre o Titanic
Você sabia que apenas 05 semanas após o desastre do Titanic o jornalista irlandês Alexander Bell Filson Young publicou o primeiro livro sobre a tragédia? 

Ele havia visitado a cidade de Belfast em 1911, capital da Irlanda do Norte, para ver a construção do Titanic; apenas 37 dias depois da catástrofe lançou seu livro, intitulado apenas "Titanic", que tornou-se o primeiro de uma quantidade inacreditável dos que têm sido escritos por outros autores ao longo dos anos. Devido a proximidade imediata com a data da tragédia e a relativa raridade, exemplares originais do livro histórico de Filson Young, quando são disponibilizados em leilão, têm lances iniciais de não menos de R$ 1.200,00 (1 mil e duzentos reais). No início da década de 1930 Filson Young propôs uma dramatização televisiva de seu livro, no entanto sua proposta foi arquivada devido a protestos de familiares das vítimas da tragédia. Filson Young faleceu em Londres no ano de 1938.

O Titanic era mesmo luxuoso, mas a concorrência não decepcionava tanto quanto se pensa
Você sabia que a fama de navio mais luxuoso da época (tão publicada sobre o Titanic) é, em parte, uma meia verdade? 

Os dois navios concorrentes do Titanic, o Rms Lusitania e o Rms Mauretania (lançados em 1906 e 1907 pela companhia Cunard Line) eram quase tão luxuosos quanto o Titanic e seu navio-irmão, o Olympic. O grande diferencial era de que o Olympic e o Titanic ultrapassavam seus dois concorrentes em tamanho, portanto possuíam mais espaço e maior número de acomodações grandiosas. Como os dois navios da Cunard  eram menores em relação ao Titanic e ao Olympic, tinham menor quantidade e variedade de ambientes de luxo. Nas duas fotos acima é possível notar a imponência luxuosa do salão de jantar da 1ª classe a bordo do RMS Lusitania, que se estendia por dois patamares do navio, terminando coroado por uma bela cúpula ornamental.

Pode-se frisar o fato de que o Olympic e o Titanic também traziam entre suas acomodações novidades não encontradas na concorrência, tais como: 1 piscina, 1 quadra de squash e tênis, 1 banho turco (sauna), 1 restaurante ALa Carte, entre outras inovações de luxo.

O único filme real conhecido do Titanic
Você sabia que existe apenas uma gravação em filme autêntica do verdadeiro Titanic na época em que ele estava a tona?

O pequeno filme de não mais de 3 minutos de duração (visto na animação ao lado) foi gravado por um cinegrafista no dia 03 de fevereiro de 1912, 67 dias antes da viagem inaugural, enquanto o Titanic adentrava vagarosamente a doca seca Thompsom, em Belfast, para a realização dos trabalhos de finalização das obras e pintura.

Há relatos de que o Titanic fora também gravado em outras ocasiões, como em 31 de maio de 1911 durante a cerimônia de lançamento do casco nos Estaleiros Harland and Wolff em Belfast; no entanto ainda hoje não se sabe qual é o paradeiro destes filmes históricos.

Lawrence Beesley, passageiro da 2ª classe do Titanic, testemunhou após o desastre que teria visto o passageiro William H. Harbeck gravando com sua câmera manual a quase colisão entre o Titanic e o navio SS New York durante a partida em 10 de abril de 1912, em Southmapton, Inglaterra. William H. Harbeck pereceu no desastre e consequentemente seu filme perdeu-se com o navio.

Um real sobrevivente do Titanic tenta fazer figuração em um filme sobre a tragédia
m
http://oi57.tinypic.com/1g0j83.jpg
Você sabia que Lawrence Beesley, passageiro da 2ª classe do Titanic, tentou fazer uma aparição atuando nas cenas do filme “A Night to Remember” (Somente Deus por Testemunha)?

Lawrence sobreviveu à tragédia em 1912 - na época com então 34 anos de idade - e foi convidado para atuar como consultor para as gravações do célebre filme de 1958 (foto à direita). Em determinada ocasião, quando estava assistindo as gravações, ele se aventurou ao tentar aparecer como figurante, no entanto foi impedido pelo diretor Roy W. Baker sob a alegação de que isto causaria complicações com o sindicato dos atores. Na animação ao lado Lawrence é visto durante uma entrevista para o lançamento do filme "A Night to Remember" em 1958.

Lawrence Beesley era professor de ciências em 1912, e foi o primeiro sobrevivente a publicar sua história, o seu livro “The Loss of the S.S. Titanic” (A Perda do S.S. Titanic) foi lançado apenas dois meses após o desastre, em junho de 1912. Beesley é também reconhecido mundialmente por ter sido um dos raríssimos passageiros fotografados a bordo do Titanic; na histórica foto (primeira foto acima) ele é visto sentado em uma das bicicletas ergométricas do Ginásio de Exercícios da 1ª classe. Ele faleceu 55 anos depois da tragédia, em 14 de fevereiro de 1967 aos 89 anos de idade.
  Uma camareira do Titanic atirou-se de um navio 2 anos e meio depois do naufrágio
Você sabia que infelizmente vários sobreviventes do Titanic faleceram por suicídio?

Certamente um dos casos mais estranhos é o da camareira da 1ª classe Annie Robinson (na foto inserida acima), que sobreviveu ao desastre embarcando no bote salva-vidas de nº 11 por volta das 1:40 da madrugada, cerca de 40 minutos antes do Titanic desaparecer sobre as ondas. Dois anos e meio após o naufrágio, em 09 de outubro de 1914, Annie Robinson estava a bordo do navio SS Devonian indo em direção à Boston, nos Estados Unidos, para visitar uma irmã. Quando o navio adentrou uma espessa neblina, aparentemente Annie foi acometida de uma crise de nervos ao ouvir as contínuas sirenes de alerta e atirou-se da amurada do navio sem que nenhuma testemunha presenciasse o fato. A morte de Annie Robinson certamente faz lembrar as cenas do filme "Titanic" (1997) em que a personagem ficcional Rose DeWitt Bukater (Kate Winslet) tenta se atirar da popa do navio durante a noite... (cena acima)

Os jornais noticiaram o falecimento de Annie Robinson da seguinte forma:

"Na sexta feira a noite, quando o Devonian adentrou uma espessa neblina a Srª Robinson aparentemente ficou nervosa, e o contínuo som do apito abalou seus nervos a ponto de temer por outro desastre. Ela foi vista pela última vez quando deixou o salão principal por volta das 10:30 na sexta a noite. O suicídio não foi descoberto até ontem de manhã quando ela não apareceu para o café."

Para alguns passageiros que sobreviveram, as memórias traumáticas do desastre do Titanic podem ter sido demais para suportar. Vários sobreviventes do Titanic eventualmente cometeram suicídio. Será que eles findaram suas vidas por causa do desastre do Titanic? Alguns certamente sim, mas outros terminaram suas vidas abalados por outros eventos aparentemente menos significativos.

Nesta triste lista de suicídios também seguem: 

Dr. Washington Dodge - Passageiro da 1ª classe, faleceu em 1919
Dr. Henry William Frauenthal - Passageiro da 1ª classe, faleceu em 1927
Juha Niskanen - Passageiro da 3ª classe, faleceu em 1927
Jack Thayer - Passageiro da 1ª clase, faleceu em 1945
John Morgan Davies - Passageiro da 2ª classe, faleceu em 1951
Phyllis Jane Quick - Passageira da 2ª classe, faleceu em 1954
Frederick Fleet - Vigia do Titanic, faleceu em 1965
.
O Titanic era decorado com uma miscelânea de estilos diferentes
Você sabia que na decoração dos interiores do Olympic e do Titanic foram utilizados mais de 20 estilos arquitetônicos diferentes? 

Apesar da imensa mistura de estilos e elementos, os decoradores dos dois navios-irmãos conseguiram alcançar um balanço entre o “grandioso e o bom gosto”, o que fez com que ambos os navios estivessem a frente de seus dois concorrentes diretos, o RMS Mauretania e o RMS Lusitania, ambos propriedade da companhia Cunard Line, onde nem sempre o bom gosto imperava.

A imensa coletânea de estilos adotada no Titanic percorria centenas de anos em evolução arquitetônica, que se viam representados na decoração das cabines e salas sociais da 1ª e da 2ª classes. Seguem nomeados 20 dos estilos aplicados: Renascença Italiana, Luís XIV, Luís XV, Luís XVI, Adam, Tudor, Georgiano, Rainha Anne, Jacobino, Holandês Antigo, Holandês Moderno, William e Mary, Regência, Dórico, Jônico, Coríntio, Marroquino, Mouro, Sheraton e Grinling Gibbons. ***Lista ainda incompleta.
 .
Uma possível premonição?
http://4.bp.blogspot.com/-jBHoI9pojHA/UoAbuzR_vfI/AAAAAAAAIBY/M40_3-7tC7U/s1600/the_wreck_of_the_titanc_morgan_robertson.jpgVocê sabia que em 1898, 14 anos antes do naufrágio do Titanic, o escritor norte-americano Morgan Robertson escreveu um livro de ficção que praticamente previu a tragédia do Titanic? 

O nome do livro: "The Wreck of the Titan" (O Naufrágio do Titan), também conhecido apenas por "Futility" (Futilidade). A história escrita por Robertson contava a trajetória de um enorme navio chamado "Titan", considerado inafundável, que colidiu com um iceberg a estibordo (direita do navio) no mês de abril perto da meia noite no oceano Atlântico em alta velocidade e naufragou, matando quase todos os seus 3000 passageiros devido a falta de bote salva-vidas.

Ao lado: A versão em português do famoso livro de Morgan Robertson.

Apesar de extremamente similar à tragédia do Titanic (que ocorreu em 1912, 14 anos depois do livro de Morgan Robertson), nem tudo ocorreu do mesmo modo na ficção de Robertson: O navio da história, o "Titan", navegava de New York para a Europa, o Titanic ia da Europa para New York. No naufrágio do Titan sobreviveram 13 pessoas, no Titanic cerca de 700 pessoas sobreviveram. O "Titan" naufragou em 5 minutos depois de colidir com o gelo, o Titanic levou 2:40 min para naufragar. O "Titan" possuía 19 compartimentos a prova d'água e podia flutuar com 9 deles alagados, o Titanic possuía 16 compartimentos a prova d'água e podia flutuar com até 4 deles alagados. O "Titan" possuía velas para aumentar sua velocidade, o Titanic só possuía motores.

A despeito das muitas semelhanças e diferenças, o livro de Morgan Robertson entrou para história como uma das mais assombrosas e espetaculares premonições de tragédia de todos os tempos.
 .
Não haviam brasileiros no Titanic
Você sabia que não havia nenhum brasileiro a bordo do Titanic? 

Apenas um passageiro estava a caminho do Brasil, seu nome era Jose Joaquim de Brito, 32 anos, era português e estava morando em Londres quando comprou sua passagem de 2ª classe no Titanic, com intenção de destino à cidade de São Paulo. Ele embarcou no Titanic em 10 de abril, na cidade de Southampton, Inglaterra. A maioria dos viajantes que pretendiam rumar para a América do Sul, naquela época, teria optado por um navio com linha direta ao invés de navegar primeiro para os Estados Unidos; o que torna bastante incomum a opção deste passageiro em embarcar no Titanic, cujo destino era a América do norte, a cidade de New York. Jose Joaquim morreu na tragédia e seu corpo, se recuperado, jamais foi identificado.

No Titanic haviam passageiros de 28 nacionalidades distintas: 306 norte-americanos, 2 australianos, 49 austro húngaros, 24 belgas, 327 ingleses, 33 búlgaros, 34 canadenses, 8 chineses, 10 dinamarqueses, 1 alemão, 59 finlandeses, 31 franceses, 10 germânicos, 4 gregos, 10 italianos, 120 irlandeses, 1 japonês, 1 mexicano, 26 noruegueses, 4 portugueses, 27 russos, 5 sul africanos, 7 espanhóis, 113  suecos, 11 suíços, 81 sírios, 9 turcos e 3 uruguaios. ***Nesta lista não estão incluídos os tripulantes e suas nacionalidades.
.
O Titanic perde de longe em tamanho para o maior navio da história
Você sabia que o maior navio de todos os tempos foi o super-petroleiro Seawise Giant?  

O super petroleiro foi lançado em 1979 e demolido em 2010. Ele media 458,45 m de comprimento, ou seja, ele era 189,35 metros maior que o Titanic (no fim de sua carreira o petroleiro mudou de nome, foi rebatizado como "Knock Nevis"). No entanto vale frisar que apesar da grande diferença de tamanho entre os dois navios, ambos foram construídos em épocas distintas e com propósitos e utilidade completamente distintos entre si: Um no transporte de luxo para passageiros, o outro para transporte de grandes massas de petróleo.
.
O maior navio para passageiros já construído
Você sabia que o maior navio de passageiros já construído é o barco de cruzeiro MS Allure of the Seas, lançado em 2010 pela empresa Royal Caribbean International? 
 
O navio mede 360 m de comprimento, ou seja, 90.9 m maior do que foi o Titanic. Aqui novamente vale frisar a grande diferença entre os navios: O Titanic, em sua época, junto com outros navios constituía-se no único elo de conexão entre os continentes, ele era efetivamente um meio de transporte eficiente, visto que a era da aviação comercial sequer havia surgido. O navio de cruzeiro Allure of the Seas não encaixa-se na categoria em que o Titanic se enquadrava em sua época, visto que é operado para ser um gigantesco complexo de férias e divertimento, e não puramente como meio de transporte. A era da aviação se interpôs entre as duas épocas, substituindo as funções que antes pertenciam exclusivamente aos transatlânticos, e mudando radicalmente os propósitos de utilização dos grandes navios da atualidade.

O naufrágio do Titanic não é o mais mortal da história
Você sabia que o Titanic não é o maior naufrágio de todos os tempos? 

O maior naufrágio da história (em número de vítimas) aconteceu em 30 de janeiro de 1945 (33 anos depois do Titanic) com o navio alemão Wilhelm Gustloff que estava carregando refugiados da 2ª Guerra Mundial em fuga do Exército Vermelho, quando foi atingido por três torpedos lançados pelo submarino soviético S 13. O Wilhelm Gustloff estava lotado com cerca de 10.600 pessoas (!), das quais cerca de 9.400 morreram na tragédia, mais de 6 vezes o número total de vítimas do Titanic. O Titanic oficialmente ocupa aproximadamente o 42º lugar na lista dos naufrágios mais mortais, e apesar de não ser o maior, é o mais conhecido desastre marítimo.
.
A filha do capitão do Titanic relembra o pai
Você sabia que Helen Mellville Smith, filha do capitão Edward John Smith (capitão do Titanic), esteve pessoalmente assistindo as gravações do célebre filme "A Night to Remember" (Somente Deus por Testemunha), em 1957/58?

Helen ficou muito emocionada ao ver a grande semelhança entre o ator Lawrence Naismith e seu pai, falecido em 1912 (Lawrence interpretou o capitão do Titanic neste filme). Helen tinha apenas 14 anos de idade quando seu pai morrera na tragédia, 46 anos antes do lançamento do filme "A Night to Remember". Na foto a esquerda Helen é vista no colo de sua mãe, esposa de Smith. No meio Helen aparece em 29 de julho de 1914, dois anos após o desastre do Titanic, ao inaugurar um monumento dedicado ao seu pai em Lichfield, Inglaterra. A direita Hellen é fotografada por volta de 1957 ao conversar com o ator Lawrence Naismith nos cenários de "A Night to Remember", o célebre filme sobre o naufrágio do Titanic.

O lançamento do casco do Titanic causou a morte de um operário
Você sabia que por conta do lançamento do casco do Titanic (31 de maio de 1911) um trabalhador morreu por ter sido atingido por uma das escoras de madeira que apoiavam o navio?  

James Dobbins (43 anos) teve a perna esquerda esmagada, chegou a ser socorrido e transferido para o "Belfast Royal Victoria Hospital", mas faleceu no dia seguinte devido a gravidade dos ferimentos. Segundo o escritor Stephen Cameron houve um total de oito acidentes fatais (mortes) durante a construção do Titanic.

A maioria dos navios contemporâneos do Titanic também não possuía botes suficientes
Você sabia que o Titanic não era o único navio que não possuía botes salva-vidas para todos os passageiros a bordo? 

A grande maioria dos navios em 1912 (senão todos) não tinha botes suficientes em relação a capacidade total de passageiros. Navios como o Mauretania (da Cunard Line) e o navio Kinfauns Castle (da Union Castle), entre muitos outros, também não seriam capazes de evacuar com segurança todos os seus passageiros em caso de uma emergência. Esta grosseira falta de botes era a consequência de leis antiquadas que baseavam a quantidade de botes relacionando-os ao peso do navio e não à quantidade total de passageiros. Depois da tragédia com o Titanic as leis foram rapidamente revistas e alteradas, assim então todos os navios se viram obrigados a fornecer botes salva vidas para todas as pessoas a bordo. O número de mortos no naufrágio do Titanic foi causado, entre outros fatores, pela absurda inadequação das leis referentes à segurança no mar.

A mais famosa maquete do Titanic já construída
Você sabia que para as cenas de efeitos do filme "Titanic" (1997) foi construída uma das mais perfeitas maquetes do Titanic?

Entre um grande e complexo conjunto de maquetes de diferentes tamanhos, a mais utilizada foi  um modelo construído em escala 1:20, com 13,45 metros de comprimento e 1,41 m. de largura. A maquete demorou 5 meses para ser concluída, incorporando extremo nível de detalhes técnicos, e que permanece até hoje como uma das maiores e mais completas maquetes do Titanic já criadas. Esta famosa maquete só perde em tamanho para o modelo criado para as cenas de efeitos do filme "Raise the Titanic" (1980), que media 17 metros de comprimento.

Após as gravações em 1997 o modelo foi utilizado em uma exposição itinerante, mas foi armazenado com descuido novamente nos estúdios, em Baja California, México, onde permaneceu vários anos exposta aos visitantes sem grande proteção.

A última aparição desta maquete foi como objeto de fundo para o documentário "Titanic: The Final Word with James Cameron", lançado em 2012. No documentário a maquete aparece bastante danificada e com dezenas de peças faltantes, mas ainda denota o enorme e cuidadoso trabalho de pesquisa e o extremo nível de detalhes necessários para as composições de efeitos especiais planejados por James Cameron há 18 anos, quando gravou o seu mais famoso filme. Atualmente o modelo passa por um processo de restauro e será exposto nos mesmos estúdios onde foram gravadas as cenas de "Avatar". 
.
Curiosidade: Com 13,45 metros de comprimento, esta maquete era 4,31 metros mais longa que os 14 botes salva-vidas principais do verdadeiro Titanic, que mediam 9,14 metros de comprimento e tinham capacidade para 65 pessoas em cada um.
.
O design da cúpula acima da Grande Escadaria da 1ª classe do Olympic e do Titanic não era uma novidade
Você sabia que a cúpula da grande escadaria do Titanic não era uma novidade?  

O navio SS Laurentic, da White Star Line (na foto a esquerda), já possuía uma cúpula idêntica em 1908, 4 anos antes da viagem inaugural do Titanic. A única diferença entre a cúpula instalada no Laurentic era sua dimensão, pois ela era ligeiramente menor do que a do Titanic. Um dos aspectos notórios entre os navios produzidos para a White Star Line era a repetição e reformulação de alguns dos aspectos decorativos e funcionais de seus navios anteriores. A empresa repetia aspectos de sucesso de seus navios mais antigos, que eram introduzidos também em navios novos de maneira melhorada e enriquecida.

O terceiro navio da Classe Olympic, o Britannic, seria ainda mais luxuoso que o Olympic e o Titanic
Você sabia que o Britannic (ao lado), o último irmão da “Olympic Class”, foi planejado para ser ainda mais luxuoso que o Titanic? 

O Britannic teve sua construção altamente afetada pelo aprendizado obtido na construção do Olympic e do Titanic, e no subsequente desastre do Titanic; e seria então equipado com melhor aparato de segurança e acomodações ainda mais luxuosas do que a de seus dois irmãos predecessores. Dois dos bons exemplos eram uma sala de recreação para as crianças, ao lado do Ginásio de Exercícios da 1ª classe, e um enorme órgão de tubos que seria equipado junto da Grande Escadaria da 1ª classe; ambas inovações que o Olympic e o Titanic não possuíam.

Infelizmente não houve tempo para a conclusão do Britannic, ele foi requisitado como navio hospital, acabou naufragando em 1916 sem ao menos ter seus interiores completamente decorados. O Britannic sustenta hoje o título de ser o mais longo e pesado navio de passageiros naufragado no mundo. ***Em valores absolutos, o mais longo navio naufragado de todos os tempos é o super petroleiro MT Heaven, que afundou em 1991 na costa da Itália após explodir e se partir em dois. O MT Heaven media 334,02 metros (65,01 metros mais longo que o Titanic).

Maletas de couro foram as responsáveis pela preservação de artigos de papel
Você sabia que muitos artigos feitos de papel, como cartas, dinheiro, documentos e cartões postais foram resgatados dos escombros do Titanic? 

De maneira impressionante estes artigos feitos de papel sobreviveram ao tempo e a água do mar apenas porque foram encontrados dentro de bolsas e carteiras feitas de couro. O couro é um material extremamente resistente à corrosão, que atuou como protetor destas peças em papel. É impressionante observar que a maioria da madeira no navio foi quase completamente dissolvida, enquanto que simples papéis permanecem ainda hoje preservados graças aos avançados métodos de conservação utilizados pelas equipes de resgate. Hoje estes documentos seguem em várias exposições pelo mundo organizadas pela empresa RMS Titanic Inc.

O Titanic não estava lotado...
Você sabia que o Titanic não estava lotado na viagem inaugural? 

A capacidade total do navio era de 3.547 pessoas, mas levava 2.200 pessoas. Caso o navio estivesse lotado em sua capacidade máxima (3.547), a tragédia poderia ter sido muito maior, matando cerca de 2.800 pessoas, ou seja, 1300 pessoas a mais do que os 1.500 mortos oficiais.

Mais da metade das cabines da 1ª classe no Titanic não era de alto luxo

Você sabia que nem todas as cabines da 1ª classe do Titanic eram de alto luxo? 

Uma grande parte das cabines da 1ª classe, especialmente as instaladas nos conveses “A”, “D” e “E” eram muito mais modestas, tendo inclusive parte da tubulação de água e estrutura de aço aparente no teto, sem acabamentos refinados, muito diferentes das cabines de luxo situadas nos conveses “B” e “C”. As três fotos acima, de cabines da 1ª classe do RMS Olympic, exemplificam a simplicidade destas cabines padronizadas, de mesmo padrão que as instaladas no Titanic. Os valores pagos pelas passagens de 1ª classe eram muito variáveis; quanto maior a cabine, melhor decorada, melhor situada, e mais alta no navio... mais cara se tornava a hospedagem.

Curiosamente, a famosa e milionária passageira norte americana Margareth Tobin Brown (na foto ao lado), mais comumente chamada apenas de Molly Brown, teria ocupado a cabine e "E 23", situada no convés E, o mais baixo pavimento do navio com cabines da 1ª classe. A posição de sua cabine contraria vivamente a crença popular de que todos os milionários a bordo do Titanic teriam ocupado as mais requintadas acomodações. A cabine ocupada por Molly seguia um padrão muito simples, praticamente idêntica à cabine da foto do meio acima.

As chaminés do Titanic não possuíam refletores próprios
http://oi62.tinypic.com/2ebuzj9.jpgVocê sabia que as 4 chaminés do Titanic não possuíam nenhuma iluminação especial durante a noite? 

Ao contrário do belo efeito mostrado no filme "Titanic" (1997), onde as chaminés aparecem plenamente iluminadas por refletores (como na cena acima), as verdadeiras chaminés do Titanic não possuíam iluminação, e recebiam apenas pouquíssima luz indireta das fracas lâmpadas que iluminavam o convés de botes abaixo. Portanto as 4 gigantes chaminés de 19 metros de altura se apresentavam obscuras durante a noite, difíceis até mesmo de serem observadas à distância.
.
A única mulher resgatada de dentro d'água...
Você sabia que entre os passageiros resgatados da água com vida depois que o Titanic afundou havia apenas uma mulher, e todos os outros eram do sexo masculino? 

O nome desta brava sobrevivente era Rhoda Mary Abbott, ela foi puxada para dentro do bote de emergência "A", e perdeu os dois filhos que no momento da inundação foram varridos do convés. Durante a viagem para Nova York a bordo do navio de resgate, o RMS Carpathia, Rhoda foi hospedada em uma cama improvisada na sala de fumantes do navio porque suas pernas estavam seriamente feridas pelos efeitos da água fria. Segundo consta seus ferimentos eram tão graves que ela não saiu de seu repouso no Carpathia até Nova York e, em seguida, passou mais duas semanas hospitalizada. Como resultado da exposição à água congelante durante o naufrágio do Titanic, Rhoda viveu com problemas respiratórios e ataques severos de asma para o resto de sua vida. Ela faleceu em 18 de fevereiro de 1943 aos 73 anos em Londres, Inglaterra.

Uma vida feliz depois do naufrágio...


http://oi57.tinypic.com/b5041v.jpg
Você sabia que boa parte das fotos nos porta retratos da personagem ficcional "Rose Calvert" exibidas no filme "Titanic" (1997) são apenas montagens? 

De maneira muito inteligente o cineasta canadense James Cameron conseguiu demonstrar em seu filme "Titanic" (1997) que a sua personagem ficcional, Rose De Witt Bukater (Kate Winslet), teria levado uma vida feliz e plena depois da tragédia... O recurso para sinalizar a vida feliz de Rose é que ela já idosa (interpretada então pela atriz Gloria Stuart) carrega junto de si para onde quer que vá suas antigas fotos em porta retratos, tiradas enquanto ainda era jovem, depois de se tornar uma sobrevivente do Titanic.

Nas fotos em questão a personagem aparece em variados momentos, sempre feliz e sorrindo, levando uma vida de aventuras, aparentemente realizando todos os sonhos sobre os quais conversara com seu par romântico Jack Dawson (Leonardo DiCaprio) enquanto se conheciam no Titanic. 

Grande parte destas famosas fotos trata-se nada mais do que montagens, feitas através de alteração digital com a inclusão da atriz Kate Winslet em antigas fotos de arquivo. As fotos de Kate foram pré planejadas e tomadas de maneira com que ela se encaixasse perfeitamente nos retratos pensados por James Cameron.
.
As áreas da Terceira Classe no Titanic não eram lotadas de portões pantográficos
Você sabia que os famosos portões que prendiam os passageiros da 3ª classe [tal qual visto nos filmes sobre o Titanic] jamais existiram em tamanha quantidade no verdadeiro Titanic?  

Hoje se têm provas factuais que havia no Titanic raríssimos destes portões em todo o navio; e todos estes portões estavam localizados em áreas não relacionadas ao tráfego de passageiros, mas sim em locais de trabalho da tripulação; como na foto a esquerda, de um elevador de serviço para a tripulação do RMS Olympic, o navio irmão do Titanic.

O que realmente causou a enormidade de mortes de passageiros da 3ª classe foi a grande distância em que estes se encontravam dos botes salva-vidas, a falta de ajuda por parte dos tripulantes e o fato de que grande parte destes passageiros humildes de dezenas de nacionalidades não falarem inglês, portanto não compreendiam as instruções fornecidas pela tripulação. Tudo isto aliado à completa desordem que tomou conta do navio nos momentos finais do naufrágio. A maciça presença de portões pantográficos, especialmente no filme “Titanic” (1997) é apenas uma das muitas lendas e liberdades que o cinema acabou criando, devido ao fato de que sempre há, nos filmes, a necessidade de exagero em nome de grandes imagens e fortes dramatizações.

***Vale registrar que além das raras unidades de portas pantográficas no Titanic, haviam portões pantográficos de segurança como estes nas três portas dos elevadores da 1ª classe, que operavam entre os conveses A, B, C, D e E.
.
Nada de se divertir no extremo da proa do Titanic!
,
Você sabia que as famosas cenas "Eu sou o rei do mundo! / Eu estou voando..." no filme "Titanic" (1997) do casal fictício "Jack e Rose" (Leonardo DiCaprio e Kate Winslet) jamais poderiam ter ocorrido na vida real?  

A proa do Titanic era um local proibido aos passageiros, e havia inclusive uma nítida placa situada junto ao quebra mar no lado de estibordo que proibia o acesso de pessoas a esta área do navio. A a placa trazia os dizeres: AVISO -  PASSAGEIROS NÃO SÃO PERMITIDOS ALÉM DESTE PONTO.

A proibição de tráfego e permanência de passageiros na proa do navio era uma atitude de segurança, visto que nesta área estavam localizados os mais pesados e perigosos equipamentos de manobra, que potencialmente poderiam ferir com gravidade os curiosos desavisados.
.
A pressão é tão forte que copos de isopor reduzem de tamanho!
Você sabia que a água no local onde o Titanic se encontra (a 3.800 m de profundidade) possui uma pressão tão forte que é capaz de comprimir um copo de isopor em menos da metade de seu tamanho? 

Para alcançar este efeito, os copos de isopor são alojados no lado externo do submarino, em contato com a água do mar. Durante o processo de submersão e descida à área dos escombros, os copos sofrem gradativamente com a pressão da água, chegando ao extremo de reduzirem de tamanho para cerca de menos 1/3 de sua dimensão original. Esta enorme pressão é o que impossibilita completamente o mergulho de pessoas sem a proteção de submarinos aos escombros do Titanic.

O maior limite de mergulho autônomo já feito por um humano (com balão de oxigênio) foi de 318,25 m, pelo sul-africano Nuno Gomes. Caso este mergulho tivesse sido em direção ao Titanic, os escombros ainda estariam a mais de 3 km abaixo.

O querubim que tem um irmão gêmeo na França...
Você sabia que vários aspectos da decoração dos interiores do Titanic foram inspirados pelo Palácio de Versalhes, localizado em Versalhes, França? 

Ainda hoje há nos jardins do palácio de Versalhes a estátua de um querubim (anjo) de bronze idêntico ao que decorava a famosa Grande Escadaria da 1ª classe do Titanic. Possivelmente esta escultura de bronze fora utilizada como base de inspiração para o mesmo querubim reproduzido no Titanic.

Grande parte da decoração das áreas luxuosas da 1ª classe no Titanic foi elaborada tomando como base famosas propriedades européias e outros navios da mesma época, ou seja, nos interiores do Titanic foram aplicadas “releituras expandidas, adaptadas e melhoradas” da decoração já existente em muitos outros transatlânticos de sucesso do mesmo período e na decoração interna de propriedades luxuosas em terra.

Subindo por dentro do mastro...
Você sabia que para chegar ao posto de observação (cesto da gávea), de onde o iceberg foi avistado, era preciso que os vigias do Titanic entrassem dentro do mastro dianteiro no convés "C" e escalassem uma escada em seu interior? 

Após a escalada por dentro do mastro os vigias saíam por uma porta voltada para dentro do cesto da gávea, onde então se fazia a observação de obstáculos e de qualquer coisa que oferecesse risco ao navio. Na foto a esquerda se vê um vigia em seu posto de trabalho, fotografado num outro navio de menor porte da White Star Line, proprietária do Titanic. Na foto a direita a porta de entrada para o interior do mastro do Titanic, onde originalmente estava situado o posto de vigia em forma de cesto.

Uma parte é real... outra parte não...
Você sabia que boa parte das imagens dos escombros do Titanic mostradas no filme "Titanic" (1997) são reais? 

O diretor James Cameron optou por gravar o verdadeiro Titanic para incorporar em seu filme um alto nível de qualidade e de realismo. No entanto várias cenas dos escombros do Titanic foram feitas com cenários e maquetes gravadas em estúdio. Porém a qualidade do trabalho e os cortes nas cenas são tão perfeitos que se torna difícil identificar "o que é real e o que não é". A cena acima, com visual muito realista, trata-se nada mais do que de maquetes (do navio e dos submarinos) gravadas com fumaça pesada para simular a distorção da água do mar.

A quarta chaminé do Titanic não era inválida, tampouco apenas decorativa
Você sabia que a 4ª chaminé do Titanic, apesar de ser chamada hoje de “falsa chaminé” ou “chaminé decorativa”, não era funcionalmente inválida? 

A última chaminé do navio atuava na eliminação da fumaça das cozinhas, eliminação da fumaça da lareira da Sala de Fumantes da 1ª classe, eliminação dos gases provenientes da sala de máquinas e também servia como duto de captação de ventilação para várias partes do navio.

O grande diferencial da 4ª chaminé estava no fato de que ela não expelia grande quantidade da conhecida fumaça negra como nas três chaminés frontais, as únicas realmente conectadas às saídas das fornalhas de carvão e que, portanto, expeliam grande quantidade de fumaça enquanto o navio estivesse em funcionamento. Na ilustração de época a esquerda é possível notar parte dos dutos que percorriam o interior da 4ª chaminé, por onde era captada a ventilação e expelidos gases da sala de máquinas e fumaça das cozinhas do navio.
.
Os sapatos marcam o descanso final...
Você sabia que nenhuma expedição já realizada ao Titanic encontrou qualquer evidência de restos humanos em meio aos destroços? 

Os mais de 100 anos de corrosão de bactérias e micróbios aliados à água do mar se encarregaram por dissolver todos os restos mortais (inclusive os ossos) dos que "desceram com o navio" na madrugada da tragédia. As únicas evidências das vítimas do naufrágio são os milhares de pertences pessoais espalhados ao redor dos escombros do navio e, em certos locais, a presença de pares de sapatos repousando lado-a-lado sobre o leito marinho. Estes pares de sapatos são uma clara evidência do exato ponto de descanso final de algumas das vítimas, cujo corpo diluiu-se, deixando apenas os calçados de couro. As duas fotos acima exemplificam o descanso final de duas vítimas, das quais restaram apenas seus despojos e sapatos.

O paradeiro dos 20 botes resgatados do Titanic é desconhecido
Você sabia que dos 20 botes salva-vidas do Titanic apenas 14 deles foram levados para a cidade de New York, nos EUA?

Durante o processo de resgate na manhã de 15 de abril de 1912 o navio RMS Carpathia, da companhia de navegação Cunard Line, embarcou 13 botes do Titanic e os desembarcou na noite de 18 de abril de 1912 no píer Nº 59, da White Star Line, situado no Rio Hudson, em New York (e desembarcou os 700 sobreviventes no cais Nª 54, da Cunard Line na mesma noite). O 14º bote foi desembarcado em New York apenas no dia 13 de maio, após ter sido resgatado com três corpos a bordo pelo navio RMS Oceanic, da Companhia White Star Line. Dias depois, durante o resgate de corpos, o navio lança-cabos CS Mackay-Bennet também encontrou o bote de emergência “B” emborcado no mar, mas não o resgatou por falta de espaço.

Assim então, dos 20 botes do Titanic, 14 deles foram resgatados e 6 foram definitivamente abandonados no mar. Há relatos na imprensa da época que alguns destes botes foram vistos por outros navios em locais bem distantes do naufrágio, no entanto nunca foram encontrados novamente. Os 14 botes resgatados permaneceram armazenados no porto de New York e posteriormente foram avaliados, e seus respectivos valores incluídos como parte das indenizações às vítimas da tragédia. Depois disto nada mais se sabe sobre o paradeiro destes botes até hoje.

Alguns boatos foram levantados de que eles foram reutilizados no navio irmão do Titanic, o Olympic, ou em outros navios da companhia, mas não há nenhum documento que comprove a reutilização. Portanto os botes simplesmente desapareceram da mira pública desde então, possivelmente sucateados, reaproveitados ou vendidos. Apesar da estranheza do sumiço, torna-se evidente que a Companhia de Navegação White Star Line fez o máximo esforço possível para evitar ainda mais publicidade sobre a desgraça que aconteceu com o seu navio, matando tantas pessoas.

As únicas peças verídicas que ainda hoje existem dos botes do Titanic são alguns dos letreiros, os numerais e as bandeirolas metálicas; estas peças foram retiradas deles por ordem da White Star Line na época e também por saqueadores. Esta retirada aconteceu logo após o desembarque na noite de 18 de abril. Algumas destas peças permanecem em museus até hoje.

O numeral metálico “8”, retirado do bote de mesmo número (na foto do topo), foi presenteado à famosa passageira Lucy Noël Martha, a Condessa de Rothes (ao lado), que manobrou O leme deste bote durante boa parte da noite. Este ‘presente’ foi obra do marinheiro Thomas Jones (ao lado), admirado com a presença de espírito desta mulher, e que se tornou amigo dela. Ambos trocaram correspondência durante muito tempo após a tragédia. Ainda hoje este numeral metálico “8” permanece com os descendentes da notável Condessa de Rothes.
  .
Crédito
Composição de texto e edição de imagens - Rodrigo, Titanic em Foco

Fontes

Livros - “Titanic, The Ship Magnificent” / "Olympic, Titanic, Britannic , An Illustrated History of the Olympic Class Ships" / “The Discovery of the Titanic, Robert Ballard” / Filmes - “Titanic” (1997) / "A Night to Remember (1958) / Websites - wikipedia.com / icyousee.org / shipbucket.com / deviantart.com / imgur.com / Wikipedia.com / ebay.com / NMNI / corbis.com / encyclopedia-titanica.org / “Titanic Honor and Glory” / twicsy.com / titanic-model.com / angela-young.co.uk / bbc.co.uk / theseus.info / joeccombs2nd.com / boston.com / searchpp.com / marcowilz.de / youtube.com / jimusnr.com / British Pathé / flickr.com / tuningpp.com / fotoat.com