oncontextmenu='return false'>expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Os últimos sobreviventes do Titanic

Seja bem vindo ao TITANIC EM FOCO

Das 2.200 pessoas que embarcaram na primeira, única e última viagem do RMS Titanic em 10 de abril de 1912, apenas cerca de 700 se salvaram da catástrofe ocorrida entre a noite de 14 de abril e a madrugada de 15 de abril. Cerca de 1.500 pessoas perderam suas vidas nas águas geladas do Oceano Atlântico Norte que naquela primavera estava tomada por grandes banquisas de gelo, icebergs.

Das 700 pessoas que se salvaram, um número muito pequeno esteve disposto a falar sobre sua experiência, e um número menor ainda sobreviveu até os nossos dias para registrar o quão belo foi o Titanic e o enorme impacto da tragédia na vida daqueles que sobreviveram ao naufrágio.


Atualmente não existem mais sobreviventes do Titanic

A última sobrevivente, a simpática Elizabeth Gladys Millvina Dean, mais conhecida apenas como "Millvina Dean" (ao lado), faleceu em 31 de maio de 2009, levando consigo o título de ter se tornado uma das mais falantes, mais simpáticas e mais ativas sobreviventes do Titanic. Millvina cedeu dezenas (talvez centenas) de entrevistas para TVs, documentários, revistas, jornais e até mesmo para fãs e admiradores do Titanic.

Millvina tinha apenas 73 dias de vida quando foi salva do naufrágio nos braços de sua mãe Georgette. Ela foi, juntamente com os pais e o pequeno irmão, passageira da 3ª classe que, levada pela família ia em busca do "sonho americano", eles rumavam para os Estados Unidos com intuito de começar uma nova vida e melhores condições financeiras.

O sonho foi interrompido na madrugada de 15 de abril de 1912: Millvina e seu irmão, Bertram Vere Dean, foram salvos pela mãe Georgette, mas na tragédia perderam seu pai, Bertram Frank Dean, ele morreu e seu corpo jamais foi recuperado. Depois da tragédia a pequena Millvina foi levada de volta à Inglaterra, onde viveu até os seus últimos dias, mas se tornou a mais jovem passageira resgatada da tragédia e a última pessoa que esteve no Titanic à nos deixar.

Mais sobre a vida de Millvina Dean AQUI
Reportagem e entrevista com a sobrevivente Millvina Dean ao jornalismo do FANTÁSTICO em 09 de abril de 1995, 83 anos após a partida do Titanic
***OBS: A reportagem contém algumas incorreções históricas.


Correções de dados relatados na reportagem
1. A reportagem relata que o Titanic colidiu com o iceberg as 23:46 de 14 de abril de 1912, no entanto, na realidade a colisão ocorreu as 23:40.
2. O Titanic não foi o 1º navio da história a enviar um pedido de socorro com o código S.O.S. Em 1909 (três anos antes do naufrágio do Titanic) o navio Slavonia da Companhia Cunard Line emitiu o primeiro S.O.S. oficial de um navio em perigo, ele estava naufragando nos Açores.
3. A sigla S.O.S. não significa "Save Our Souls" (Salvem nossas almas). Apesar de que a frase foi largamente utilizada para ajudar os antigos operadores de telégrafo a se lembrarem do código, ela não tem significado específico, e foi criada com estas três letras tendo em vista que era de fácil entendimento e fácil de ser transmitida, portanto seria detectada com facilidade em caso de uma situação de emergência.
4. A área do porto de Southampton em que Millvina Dean concede entrevista ao Fantástico, apesar de não ser identificável, não é o exato ponto de onde o Titanic partiu em 10 de abril de 1912.

Acompanhe no gráfico e na matéria quais foram os últimos de todos os sobreviventes do Titanic
 .
Observação - A britânica Millvina Dean tinha exatos 68 dias de vida quando embarcou no Titanic em 10 de abril de 1912; no amanhecer do dia 15 de abril ela somava tão somente 73 dias de vida, ou seja, 2 meses e 13 dias de idade.


A mais idosa de todos os sobreviventes do Titanic
Saiba quem foi a passageira do Titanic que viveu mais tempo

Mary Davis Wilburn nasceu em Londres, Inglaterra, e embarcou desacompanhada no Titanic no dia 10 de abril de 1912 (com então 28 anos de idade) como passageira da 2ª classe, com intuito de visitar sua irmã na cidade de New York, Estados Unidos.
Quando a colisão com o iceberg aconteceu, às 23:40 de 14 de abril de 1912, ela despertou em sua cabine mas foi informada de que não havia qualquer perigo, retornando então para seus aposentos. Apenas poucos minutos mais tarde foi alertada para que se direcionasse ao convés superior porque o navio estava afundando. Ela vestiu-se rapidamente a ajudou sua companheira de cabine, Lucy Ridsdale, que dormia na parte de baixo da beliche a aprontar-se. As duas então seguiram para o Convés de Botes.
 
Ao lado: Mary Davis à época em que embarcou no Titanic, com 28 anos.
 
Dois homens a ajudaram a entrar no bote salva-vidas Nº 13; Mary lembrava-se que o tempo estava claro, as águas calmas e uma bela lua cheia iluminava todo o oceano por quilômetros ao redor (possivelmente uma falha de memória, visto que não havia luar na noite da tragédia). Ela afirmou posteriormente que não houve muita sucção quando o Titanic afundou. De manhã quando o RMS Carpathia chegou ao local Mary foi resgatada, ela estava amortecida da cintura para baixo e praticamente inconsciente devido ao cansaço e ao frio.

Esquerda: Uma cabine da 2ª classe para duas pessoas no RMS Olympic. No Titanic as cabines correspondentes teriam sido exatamente idênticas. Mary viajava sozinha, dividindo sua cabine com a colega de viagem, e possivelmente sua cabine teria sido igual a esta.
 
Mary retornou à Inglaterra alguns meses após a tragédia, quando a Companhia White Star Line concedeu-lhe bilhete gratuito de embarque. Em 1913 ela retornou aos Estados Unidos onde trabalhou como cozinheira, em 1915 casou-se e teve um filho.
.
Ela faleceu em 29 de julho de 1987 em Syracuse, New York, com admiráveis 104 anos de idade, o que lhe confere o título de ter sido a mais longeva (idosa) de todas as pessoas que sobreviveram ao desastre. Quando Mary faleceu haviam apenas 30 sobreviventes ainda com vida, e os destroços do Titanic tinham sido encontrados havia dois anos - em setembro de 1985 - pelo oceanógrafo Robert Ballard.
Um pouco mais sobre os últimos sobreviventes

Millvina Dean (Elizabeth Gladys Millvina Dean) (02/02/1912 - 31/05/2009) - Ela foi a mais jovem de todos os sobreviventes resgatados do naufrágio, tinha apenas 73 dias de vida quando foi salva. A família de Millvina rumava para o estado do Kansas, EUA, com intuito de abrir uma tabacaria, algo que nunca aconteceu, visto que seu pai morreu na catástrofe e a família (Millvina, sua mãe e irmão pequeno) voltaram para a Inglaterra. Millvina foi a última pessoa que esteve no Titanic à falecer. Ela é, pelo que consta, a única sobrevivente do Titanic que concedeu entrevista exclusiva para a TV brasileira. Millvina, por coincidência do destino, faleceu no mesmo dia em que se completou 98 anos do lançamento do Titanic ao mar, 31 de maio de 2009. Millvina Dean foi cremada e suas cinzas foram lançadas no cais de Southampton, o local de onde o Titanic partiu em 10 de abril de 1912.

Em entrevista concedida à extinta revista brasileira MANCHETE no ano de 1998 Millvina Dean, aos 86 anos de idade, declarou o seguinte:

MANCHETE: Depois de saber que era uma sobrevivente a senhora passou a ser procurada como personagem?
MILLVINA DEAN: Não aconteceu nada até 1985, quando o navio foi encontrado. Eu mesma não sabia quase nada sobre o Titanic até aquela data. Na verdade, até 1988, vivia dissociada da tragédia. Tudo aconteceu quando fui à um memorial em Southampton, em homenagem à tripulação do navio. Os americanos me conheceram e imediatamente me convidaram para ir para a América. Hoje, é isso: eu vivo viajando por aí, dando entrevistas e conhecendo gente por todo o canto. Se não fosse esse evento, jamais teria ido para os Estados Unidos.
MANCHETE: A senhora é a favor de que o navio seja retirado do fundo do oceano?
MILLVINA DEAN: "Não, definitivamente não. Meu pai ainda pode estar a bordo. Pode estar lá. Me parece tão horrível. É a sua sepultura. Odeio esta idéia. Não me importo com os objetos que são encontrados no mar. Só acho que nada deve ser realmente retirado do Titanic."
MANCHETE: A senhora pode ser contra trazer o Titanic a tona, mas... e os filmes? Nunca assistiu a qualquer um?
MILLVINA DEAN: Eu vi “A Night to Remember” (Somente Deus por Testemunha, no Brasil) com quatro ou cinco outros sobreviventes. E todos odiamos. Uma pessoa disse que passou a noite em claro querendo se livrar dos pesadelos que teve. Foi horrível. Aí resolvi nunca mais ver nada sobre o assunto. Não tenho nenhuma curiosidade sobre qualquer coisa que diga respeito do Titanic..  

.
Barbara West (24/05/1911 - 16/10/2007) - Ela viajava como passageira da 2ª classe junto com os pais e a irmã mais velha. Seu pai faleceu na catástrofe e seu corpo jamais foi recuperado. Barbara não se lembrava de sua estadia no Titanic pois, assim como Millvina Dean, ela tinha menos de 1 ano de idade quando embarcou. Ela foi a penúltima sobrevivente no Titanic, faleceu em 16 de outubro de 2007, antes de falecer pediu para que a notícia de sua morte fosse publicada somente depois de seu enterro.

A mãe de Barbara, Ada, relatou certa vez: 

"Estávamos todos dormindo quando a colisão ocorreu, fomos apenas sacudidos em nossas camas. Meu marido e as crianças nem mesmo despertaram, e foi só a pressa dos passageiros fora da cabine que nos causou atenção. O comissário nos fez levantar nos vestir bem com muitas roupas quentes. Arthur colocou o coletes salva-vidas nos nossos filhos e depois nos levou para o convés do barco. Segui carregando minha bolsa. Depois de nos ver em segurança no barco salva-vidas, Arthur voltou para a cabine atrás de uma garrafa térmica de leite quente e, na volta, encontrando o bote já sendo baixado, ele me alcançou a garrafa por meio de uma corda e com uma despedida, voltou para o convés do navio."
Lillian Asplund (21/10/1906 - 06/05/2006) - Ela foi a última sobrevivente a realmente ter alguma memória sobre sua estadia no Titanic pois, ao contrário de Millvina Dean e Barbara West, ela tinha 5 anos quando embarcou na terceira classe junto de seus pais, seu irmão gêmeo e mais três irmãos. 

Ela citou certa vez: "O Titanic era muito grande e tinha acabado de ser pintado, lembro de não gostar do cheiro de tinha fresca." 

Apenas Lillian, sua mãe e 1 irmão se salvaram, seu pai e 3 irmãos morreram na catástrofe, incluindo seu irmão gêmeo. A mãe de Lillian (Selma Augusta) faleceu em 15 de abril de 1964, no 52º aniversário do naufrágio do Titanic. Muito abalada com a perca de três filhos e do marido, a mãe de Lillian não falava sobre o assunto, e a mesma conduta foi seguida por Lillian, que levou uma vida muito reservada não concedendo muitas entrevistas.
. Winnifred Vera Quick Van Tongerloo (23/01/1904 - 04/07/2002) - Ela embarcou no Titanic junto com sua mãe e sua irmã, todas sobreviveram. Winnifred recordava-se de ter chorado ao ver os sobreviventes a bordo do Carpathia e os "sepultamentos no mar" que foram feitos ainda a bordo deste barco.

Ela foi a última sobrevivente que não perdera ninguém na tragédia em 1912, visto que as três (mãe e filhas) sobreviveram.

Certa vez, quando perguntada se gostaria de ir visitar a Inglaterra ela respondeu: "Não! Eu não gosto de grandes barcos! Eu gosto de água, mas apenas até o pescoço, mas não água acima da minha cabeça!".
Michel Marcel Navratil (12/06/1908 - 30/01/2001) - Michel tinha 04 anos quando embarcou no Titanic junto de seu pai, Michel Navratil, e seu irmão Edmond Roger Navratil de 02 anos de idade. Ele e o irmão foram raptados pelo pai que os levava para os Estados Unidos após uma separação conjugal onde a esposa, Marcelle, havia ganho a custódia dos dois.

No Titanic o pai de Michel se fez passar por viúvo e assumiu a identidade de "Louis M. Hoffman", um nome falso para que não fosse identificado, tampouco impedido de levar consigo os filhos. Apesar da viagem ilegal o Sr. Michel Navratil era totalmente dedicado aos filhos, os amava profundamente. Ele e não se separava dos meninos por nenhum momento no navio, apenas os deixou por algumas horas com uma passageira francesa de nome Bertha Lehmann enquanto jogava cartas. Na noite da catástrofe o Sr. Navratil conseguiu colocar os dois meninos no último bote que deixou o navio (dobrável D) e permaneceu no Titanic, onde perdeu sua vida. Embora tivesse apenas 04 anos de idade Michel se recordou das últimas palavras que seu pai lhe dissera:

Michell Navratil (pai)

"Meu filho, quando você encontrar sua mãe, e tenho certeza que encontrará, diga a ela que eu a amava muito e ainda amo. Diga a ela eu queria que ela viesse conosco, para que nós pudéssemos todos viver felizes juntos na paz e liberdade do Novo Mundo"
( Novo Mundo é a América, os Estados Unidos)
.
Michell e o irmão Edmond foram resgatados pelo navio Carpathia através de sacos com cordas (este foi o processo que usou-se para içar as crianças pequenas dos botes para bordo do Carpathia). Os dois meninos ganharam as manchetes dos jornais, ficaram conhecidos como "OS ÓRFÃOS DO TITANIC".

A mãe, Marcelle, finalmente soube dos seus dois filhos após ler as notícias da tragédia nos jornais franceses. E finalmente em 16 de maio de 1912, ela reencontrou os dois meninos nos Estados Unidos. Na sequência voltou para a França a bordo do navio RMS Oceanic, da White Star Line.

Esquerda: O navio de passageiros RMS Oceanic, da Companhia White Star Line. Direita, acima: Os pequenos irmãos Michel e Edmond finalmente reencontram a mãe, Marcelle.

No ano de 1996, Michel foi convidado à ir assistir o resgate de uma grande peça do casco do navio, e antes que voltasse para a França, finalmente pôde ir visitar o túmulo de seu pai na cidade de Nova Escócia, Canadá, 84 anos depois de que se separaram no naufrágio.
Ao lado: Bertram Vere Dean e Eva Hart, sobreviventes do Titanic, examinam lembranças do navio no Merseyside Maritime Museum, na cidade de Liverpool, Inglaterra (década de 1980). Os itens incluem o enorme modelo dos construtores, um colete salva-vidas de cortiça, uma colher de prata, um relógio e chaves recuperados junto à uma vítima e um letreiro metálico de um dos botes salva vidas. 

Bertram era irmão de Millvina Dean, a última sobrevivente do Titanic (falecida em 31 de maio de 2009); ele faleceu aos 81 anos, em 14 de abril de 1992, coincidentemente no mesmo dia do aniversário de 80 anos da colisão do Titanic com o iceberg. Eva Hart faleceu em 14 de fevereiro de 1996, aos 91 anos.

Titanic: A tragédia contada pelos sobreviventes
 
Assista abaixo o documentário “Titanic – A Tragédia Contada Pelos Sobreviventes” ["Titanic: The Survivors Story", 1998], contendo quarenta minutos de narração de especialistas e historiadores, com depoimentos emocionantes de seis passageiros sobreviventes do Titanic, que narram suas lembranças pessoais relacionadas à tragédia. O documentário conta também com a participação de Don Lynch, um dos mais conhecidos historiadores do Titanic e Karen Kamuda, presidente da Sociedade Histórica do Titanic..  
Um tributo aos últimos sobreviventes do Titanic

Segue um tradicional vídeo-tributo aos últimos sobreviventes do Titanic, composto por um admirador. O vídeo foi originalmente divulgado em 23 de junho de 2010.

Descrição do vídeo (originalmente publicado em espanhol) - Este é um álbum que eu mesmo fiz, com o passar do tempo fui recompilando as fotos dos sobreviventes, algumas foram difíceis de conseguir e apenas poucas pessoas as tem. Aí estão os sobreviventes: Ruth Becker, Bertram Dean, Louise Kink, Marjorie Newell, Beatrice Sandström, Eva Hart, Edith Brown Haisman, Louise Laroche, Eleanor Johnson, Michel Navratil, Winnifred Quick, Lillian Asplund, Barbara Joyce West, Millvina Dean.


Divulgação - CampanasXalapa
A personagem Rose do filme Titanic existiu na vida real?

Ao lado - A atriz norte-americana Gloria Frances Stwart (*1910 - †2010), seu último filme antes de "Titanic" fora "Wildcats" (1986), mas sua grande atividade no cinema ocorreu entre os anos de 1932 e 1946. Ao todo, sua carreira soma 54 filmes e 17 participações em produções televisivas.

Gloria Stuart, a famosa atriz que viveu a personagem "Rose Calvert" no filme "Titanic" (1997) ainda hoje, mais de 15 anos desde o lançamento do longa-metragem, gera uma eterna questão que parece não apagar-se com o tempo:  

"Ela realmente esteve no Titanic? Ela foi uma real sobrevivente da tragédia?"

A resposta: Não.

Gloria Stuart foi escolhida pelo cineasta James Cameron para viver a idosa Rose de seu filme devido à sua idade avançada (com então 87 anos em 1997), pela sua vivacidade de espírito e pela carreira de realativo sucesso que fizera no cinema entre as décadas de 1930 e 1940.

Gloria Stuart interpretou a heroína Rose (com 17 anos quando embarca no Titanic), que reconta seu romance após 84 anos da tragédia, em 1996, aos 100 anos de idade. No entanto Gloria tinha apenas 87 anos na época das gravações; e quando a tragédia do Titanic se sucedeu, em 15 de abril de 1912, Stuart somava apenas 1 ano e 9 meses de vida. Ela jamais esteve no Titanic e não tinha qualquer ligação com a tragédia.

Da mesma maneira não estiveram no verdadeiro Titanic toda a comitiva de empregados da personagem Rose DeWitt Bukater (interpretada por Kate Winslet), sua mãe Ruth (interpretada por Frances Fisher), seu noivo (interpretado por Billy Zane) e o personagem Jack Dawson (interpretado por Leonardo DiCaprio); todos estes são personagens ficcionais, criados pela imaginação poderosa do cineasta James Cameron e inseridos em meio à tragédia real com sua história romântica fictícia.

A atriz Gloria Stuart faleceu em 26 de setembro de 2010, com então 100 anos de idade. Coincidentemente sua personagem em Titanic, Rose Calvert, aparentemente falece nas cenas finais do filme com a mesma idade.
Crédito

Pesquisa, composição de texto e edição de gráfico e imagem - Rodrigo, TITANIC EM FOCO
Fontes - "encyclopedia-titanica.org", "wikipedia.org", "youtube.com"

Em memória à Millvina Dean e aos envolvidos na tragédia do Titanic.

23 comentários:

.:Wesley:. .:Daltro:. disse...

Comentários de sobreviventes sempre nos fazem parar para pensar e refletir sobre o ocorrido... O comentário da mãe da Barbara West por exemplo, é muito triste saber que seu marido se despedia, sem saber que aquela seria a última despedida do casal. E mudando de assunto, a Millvina Dean estava totalmente certa na sua resposta a pergunta da revista Manchete, retirar alguns objetos tudo bem, mas o navio todo já é demais. Como ela diz, aquele navio é como uma sepultura, várias almas ali descansam em paz. Bom, parabéns pela matéria e obrigado por nos trazer informações dos últimos sobreviventes do RMS Titanic a descansarem em paz. Vlw! \o/

diogo disse...

muito boa apostagem rodrigo todos os ultimos sobreviventes foram guerreiros enfrentaram de td depois do naufragio e gracas a eles sabemos um pouco mais sobre oq aconteceu naquela noite parabens.
facam uma visita ao blog http://titanichistoria1912.blogspot.com/

Rodrigo disse...

Assim como você Wesley, concordo plenamente com a opinião de Millvina Dean,,, não se deve arrancar nada do Titanic, ele é hoje um túmulo.

Canso de ver pessoas fanáticas e mal informadas sem a menor noção de nada fazendo alarde sobre resgatar o navio. Ainda que isso fosse viável, seria uma imensa falta de senso e de respeito, não se viola uma sepultura em nome de divertimento, pois é exatamente isto o que a maioria das pessoas querem: se divertir com o Titanic, pura e somente isto.

Tenho certa dificuldade em compôr matérias sobre as pessoas que estiveram envolvidas, pois minha fase "oba Titanic" já se foi faz algum tempo, felizmente,,, e hoje consigo me colocar no lugar de cada história pessoal que leio, e isto me toca, acabo muito comovido quando pesquiso sobre as histórias individuais,,, e isto é bom, comoção, empatia,,, mas têm que haver limite. Por isso pesquiso lentamente e edito lentamente, é um processo que cansa mentalmente.

Hoje eu sei: Titanic foi nada mais do que um navio, apenas e tão somente isto. E é nas histórias pessoais que está o verdadeiro sentido de tudo isto.

É uma grande lástima que raríssimas pessoas conseguem enxergar este sentido.

Português. disse...

Presumo que saiba, reparei agora mesmo nesta grande coincidência, a senhora Milvina morreu exactamente 100anos depois do lançamento da quilha do Titanic, dia 31 de Maio de 1909.

http://www.canaldehistoria.pt/notepierdas/374/Titanic--Misterio-resolvido

Para além do facto de 98 anos depois do lançamento á àgua, 31 de maio de 2011.

Cumprimentos desde Portugal.

Anônimo disse...

EMOCIONANTE!

Anônimo disse...

O Titanic afundou, por causa de uma conspiração da natureza,visto que, o iceberg,a bruma que pairava no horizonte,o vento que mesmo que fosse leve distorcia a luz do farol que pedia socorro utilisando o código morse,e também a própria falha humana,pois o comandante mandou aumentar a velocidade para bater recorde.O resultado foi aquilo,infelizmente.

Anônimo disse...

As tragédias são marcadas pela e dor e a saudade daqueles que se foram e não poderão mas voltar. A angustia no coração dessas pessoas no fundo do peito, creio que nunca passou apenas aliviou.

Natália Silva disse...

Pelo amor de Deus, corrijam esses erros de português!!
Não existe "falescer", o correto é FALECER, de FALECIMENTO!

Rodrigo disse...

Erros corrigidos Natália.

Te garanto que o blog está crivado de erros de português, mas não me nego a corrigir. Sou admirador do legado relacionado ao Titanic, não sou professor de língua portuguesa.

Grato.

AIR SUPPLY EVOLUTION STAR disse...

Rodrigo, disse TUDO na sua primeira postagem, sobre o resgate do navio. Tudo bem tirar alguns objetos e colocá-los em exposição para termos o prazer em conhecê-los, mas deixa o navio onde está, até porque, além de partido ao meio, ele já deve estar irreconhecível com o tempo, nem daria para subir. Quanto a erros de português, sou formada em Letras, para professora de português e inglês, portanto, se precisar de algum serviço de edição, revisão ou tradução, pode me comunicar, mas por favor, enviando-me determinado texto por e-mail para que eu possa ler e realizar o trabalho com calma, e assim, sair perfeito, ok? Pode ser por este:
titanicstar@bol.com.br
Valeu pra chuchu e fica com Deus, fui!

Rodrigo disse...

Oi AIR

Pois é, eu tenho opinião formada, e faço questão de registrar sempre.

Quanto à edição de material, fico grato por oferecer sua ajuda. Hoje já consegui contornar os problemas; erros sempre são possíveis, e estou aberto para fazer quaisquer correções que precisarem ser feitas, nunca me neguei. Minha evolução de escrita acontece junto com a edição do blog, ainda que seja um processo lento, tenho aprendido, e muito.

Até mais

Anônimo disse...

O filme titanic foge da realidade, é uma grande ficção. Muita gente sendo enganada

Rodrigo disse...

Bom, acrdito que sua afirmação está bem correta: "Titanic 1997" é apenas um filme que retrata a história do naufrágio do verdadeiro Titanic utilizando doses muito grandes de licença poética, criando uma infinidade de eventos ficcionais/não reais.

Apesar da mistura gigantesca de ficção e reprodução de fatos reais, este é um filme que não pode ser ignorado... Especialmente porque muito do que se sabe hoje sobre o verdadeiro Titanic e o forte e contínuo legado da história verídica se deve, em parte, ao descumunal interesse despertado através do filme.

Num resumo da história, "Titanic 1997" é um "mal" que veio para bem... Sem o filme, hoje a história verídica seria bem mais "limpa e clara"... mas não teria nem 50 % do destaque que têm hoje.

A lástima mesmo é que uma quantidade muito pequena das pessoas têm real interesse pela história verídica do Titanic.

Enfim: HISTÓRIA para quem quer HISTÓRIA / Filme trágico-romântico para quem quer filme trágico-romântico. Eu sou apoiador da história, sem ignorar o filme porque, sem dúvida, ele também é parte do legado.

minha vida disse...

Muito interessante!

Anônimo disse...

tem muitas coincidências com as datas do titanic como a atriz Gloria Stuart e com a família de Millvina Dean

Anônimo disse...

Numca murmure contra Deus
Falar "Que nem o propio Deus poderia afundar o navio" foi demais , mas em fim não consigo ler ou ver algo a respito sem me emocionar , foi realmente muito triste :(

Rodrigo disse...

Olá "Anônimo",

considerando que não existe qualquer prova factual de que esta frase tenha sido dita por qualquer pessoa que seja na época em que o Titanic foi construído e partiu em viagem... a tragédia do Titanic se tornou sim um símbolo de "desafio e punição divina"... Deus não castiga ninguém, ele apenas oferece caminho 100% aberto para que o homem aja da forma que quiser, e que assuma 100% das consequências, sejam elas boas ou ruins. A interferência de Deus em nossas vidas é exclusivamente para o bem.

"NEM DEUS PODE AFUNDAR ESTE NAVIO" é frase de filme, criada pelas milhares de lendas e contos populares do pós-tragédia do Titanic.

Mas cá para nós: Não precisa nem dizer que a frase engloba em si todo o ícone que esta tragédia representa ainda hoje. E ainda hoje, 102 anos depois e mais de 1.000 livros escritos sobe a tragédia do Titanic, ninguém foi capaz de provar que a frase tenha sido dita por ninguém em específico.

LENDAS: Elas são interessantes, sedutoras, populares... Mas são nada mais do que “enfeites da história”.

Anônimo disse...

Realmente Deus nós deu 100% de liberdade para fazer aquilo que nós queremos , mas tudo oque nós acontece seja de bom ou de mal é com a permisão de Deus ,
Pode até ser que na realidade essa frase não tenha sido dita mas se tudo isso aconteceu foi para que nós pudessemos refletir sobre tudo .
...
Bom Rodrigo , eu queria muito saber sobre os sobreviventes e tá tudo muito bom foi bom saber as coisas sobre essas pessoas . :)

Rodrigo disse...

Muito bem colocada sua observação.

E para bem da verdade, acredito que Deus, do alto de sua benevolência e justiça, jamais "fulminaria" 1.500 pessoas apenas movido pelo fato (que hoje sequer tem qualquer comprovação) de que uma pessoa poderia ter dito que "Nem Deus pode afundar este navio". Isto seria ato de um demônio, não de Deus. Acredito piamente que Deus não age com vingança, jamais.

Foi todo o cego idealismo de superioridade na tecnologia de toda uma época que causou o desastre do Titanic (entre uma cadeia de dezenas de outros fatores naturais, humanos e acidentais)... Não seria uma frase herege desafiadora que levaria à culminância de uma catástrofe como estas... Se cada frase herege como esta levasse a uma morte, ou mesmo à catástrofes mortais, tenho certeza que diariamente andaríamos tropeçando em montes de cadáveres, fulminados em consequência da atitude de apenas 1 pessoa herege dos arredores. Nós não caminhamos entre cadáveres diariamente, mas é munido desta total liberdade que centenas de pessoas agem de modo errado todos os dias, causando a dor, a morte e o sofrimento de milhares o tempo todo, no mundo todo.

Deus permite todos os nossos bons e maus atos, e permite igualmente que assumamos todas as boas e más consequências. Infelizmente nossos atos errados eventualmente prejudicam não só nós mesmos, podem prejudicar muitos mais inocentes à nossa volta. Deus permitiu que toda a engenhosidade e inteligência humana fosse capaz de fazer obras maravilhosas, como o Titanic, e permitiu igualmente que se agisse com plena liberdade sobre esta obra humana...

Se o Titanic se tornou o que se tornou: Uma tragédia que ainda ensina milhões, mesmo depois de 102 anos... Foi porque Deus é supremo o suficiente para permitir que até mesmo catástrofes se tornem marcos na história humana que nos façam caminhar em frente, utilizando os importantes ensinamentos do passado, tentando jamais repetir os mesmos erros.

É o que eu penso, apenas minha opinião. Até mais.

Anônimo disse...

- Cada um com sua opinião :)
Até mais ..

Anônimo disse...

Não Rodrigo, Michel Marcel Navratil tinha 3 anos quando entrou no R.M.S Titanic, NÃO 4.Isso não tem relação com a matéria mais, ontem completou 103 anos que H.M.S Hwake bateu no R.M.S Olympic.



Rodrigo disse...

Oi, obrigado pela indicação. Acabei de checar, ele nasceu em 12 de junho de 1908, portanto ainda faltavam 2 meses para que ele completasse 4 anos. Não é um informação que afeta a história como um todo, mas é importante. Vou corrigir o gráfico tão logo eu puder.

Até mais.

Anônimo disse...

O Anonimo que escreveu sobre os 3 anos de Michel é outro, e o que está escrevendo este comentário é o mesmo de antes.Até mais.