oncontextmenu='return false'>expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

terça-feira, 30 de abril de 2013

Livro: "E a Orquestra Continuou Tocando", dica de boa leitura sobre o Titanic

 
Acima: John Law Hume, o jovem violinista do Titanic, Mary Costin e a pequena "Johnann". O naufrágio do Titanic, em 15 de abril de 1912, impediu que John soubesse que sua amada esperava uma filha sua. O trágico e insólito desenrolar desta história se estende pelas páginas do livro "E a Orquestra Continuou Tocando".

Seja bem vindo ao Titanic em Foco
A curta história e longo legado do Titanic são presença marcante na cultura atual, e recorrentemente se faz presente em nosso meio através de filmes, documentários, artigos de revistas e em raros livros no idioma português; considerando que no Brasil contam-se nos dedos as publicações que realmente trazem novas e relevantes informações e valem a pena serem lidas.

Hoje o Titanic em Foco traz uma preciosa dica de leitura com a indicação do livro "E a Orquestra Continuou Tocando", escrito pelo britânico Christofer Ward, neto de John Law Hume, o violinista de apenas 21 anos que havia deixado na cidade de Dumfries, Escócia, a sua amada Mary Costin, grávida de uma filha que a sua própria morte o privou de conhecer (ambas retratadas no cabeçalho desta matéria). John Law Hume pereceu na tragédia do Titanic junto com os sete membros da orquestra heróica, que continuaram tocando até os momentos finais naquela fria madrugada de 15 de abril de 1912. 

Ao lado: O violinista escocês John Law Hume, 21 anos quando tocou pela última vez no Titanic.

Em suas 255 páginas, o autor Christofer Ward recupera com esmero de detalhes a vida de seu avô, sua paixão pela música, seu amor por Mary, o naufrágio do Titanic e o grande impacto causado pela tragédia que abateu-se como uma sombra sobre toda a família. No entanto a qualidade de pesquisa fica evidente na descrição direta e igualmente emocionante dos últimos momentos do Titanic, do resgate dos que pereceram no mar, da identificação dos corpos e até mesmo as consequências do acidente sobre a tripulação do RMS Olympic, que entrou em greve reivindicando segurança após o naufrágio do Titanic.

Da descrição direta e emocionante, passando por um levantamento pormenorizado e completamente surpreendente "E a Orquestra Continuou Tocando" é uma das inesperadas 'jóias' da leitura relacionada ao Titanic, onde a história que se faz viva e realmente presente é a das testemunhas oculares e/ou diretamente afetadas pela tragédia.

Fica a bela dica para os amantes de boa leitura e para quem têm especial atenção pela história verídica do Titanic. Descubra, entenda, surpreenda-se e emocione-se verdadeiramente. "E a Orquestra Continuou Tocando" é, sem dúvida, um relato emocionante dos grandes dramas pessoais causados pelo naufrágio do Titanic.
 


Sinopse

O violinista do TITANIC e a moça da fábrica de luvas uma história real de amor, perda e traição por Christopher Ward. Jock Hume, 21 anos, era o violinista da orquestra do Titanic. Durante o naufrágio, para manter a calma dos passageiros em pânico, ele e outros músicos mantiveram-se tocando no convés durante o caos que se instalou após o choque do navio com o iceberg. 

Nenhum dos integrantes da orquestra sobreviveu. Essa história de perda, crueldade e amor é magistralmente contada por Cristopher Ward, neto de Jock Hume, que investigou com extrema minúcia o passado de sua família, iluminando detalhes pouco conhecidos da maior catástrofe marítima de que se tem registro. 

Entrelaçando memórias de família com informações históricas colhidas em uma cuidadosa pesquisa, Ward reconstrói de forma vivida o drama de seus antepassados, expondo sua fragilidade, seu heroísmo, sua mesquinharia – toda a contraditória gama de sentimentos e atitudes de pessoa comuns subitamente tragadas pela tragédia.


Dados técnicos

Título - E a Orquestra Continuou Tocando
Autor - Christofer Ward
Fotos - Sim. Cerca de 50, todas em P&B
Editora - Lafonte
Páginas - 255
Dimensões - 15,4 X 23 cm
Tipo de Capa - Brochura
Ano - 2012

Onde encontrar?



Dica
 .
 Rodrigo, TITANIC EM FOCO

31 comentários:

Manu Kotsan disse...

Concordo, Rodrigo!
É uma ótima opção de leitura!
Encontrei esse livro no Condor por 14,90 reais e foi uma ótima aquisição!
Beijos!

Rodrigo disse...

Pois é Manu, este livro foi uma surpresa para mim. Eu não esperava muito, achei que era apenas mais um lançado como oportunismo pelo centenário do naufrágio no ano passado. E que bom que me enganei, foi uma das leituras mais emocionantes que eu já fiz sobre o assunto. Recomendadíssimo até mesmo para quem apenas gosta de ler e não têm interesse direto pelo Titanic.

Anônimo disse...

oi tudo: jose falando.

rodrigo, eu quero dizer tantas coisas, vou tentar ser breve.
Levo um susto no última matéria, para ser lento a responder, eu pensei que não ia responder, por favor, não me falhar.

Eu vi um comentário de você eu vou dizer minha opinião sobre isso, você estava dizendo que ninguém é de todo ruim ou tudo de bom, se não entendeu errado. Eu acho que você é muito ingênuo, para mim o mundo é cheio de demônios, apenas alguns são humanos, ai de entender o que realmente significa essa raça para o mundo.

mais:
você me deixou uma direção sobre um assunto do seu blog, vou falar mais sobre mim, então você sabe.

Eu não sou um novo seguidor do seu blog, eu sou de um longo tempo, mas só este ano eu decidi escrever comentários, eu sei que quase todos os assuntos do seu blog, como eu disse no meu primeiro comentário que eu acho um dos melhores blog do titanic no mundo, eu admiro você, por seu sacrifício, às vezes eu acho que você, como eu, tem dado muito de sua vida ao Titanic, por seu talento na elaboração de relatórios, e por seu amor do Titanic é tão amado seu blog , não só no Brasil, mas como eu mantê-lo na Europa, e muitos outros em todo o mundo, um grande sucesso, parabéns novamente, eu, escrever comentários, ou não, vou continuar seguindo seu blog sempre que puder até o fim.

Eu moro na cidade, mas eu cresci como uma criança em um porto, minha humilde casa estava a poucos metros do mar, você pode dizer que quase nasceu em um porto, eu amo tudo sobre barcos, o passado eo presente, estou bastante consciente de tudo, eu amo todo o tema dos navios, como eu disse, eu sou um expert do Titanic, mas apenas como um admirador, assim como um admirador, nunca como um especialista.

Eu tento, com minhas opiniões, contribuir as coisas, e também aprender, nesta vida até morrer, nós estamos aprendendo.

O que mais eu estou na internet são:

titanic em foco.

www.titanic-in-color.com

Titanic Research and Modeling Association.

magnificenttitanic.tumblr.com

precisamente neste último, na página 8, há uma imagem, verifique computador, realmente incrível, que poderia servir para futuras matérias, a artista é Kyle Hudak, o nome da imagem é, Titanic at night.
mostra a iluminação real do titanic à noite.

essas coisas, e artistas navais, pinturas do Titanic e navios em geral, eu adoro, arte, como a música nos transporta para outros tempos, outras dimensões, outras vezes, e eternamente faz nossa imaginação.

rodrigo, um abraço, do coração, do seu fiel seguidor.
saudações a todos.
Obrigado.

jose aurelio, Gijón, Asturias, 27 anos.

Rodrigo disse...

Oi Jose

Meu comentário de que "não existem pessoas 100% ruins ou boas" foi em resposta à uma colega leitora que comentou sobre Bruce Ismay. Minha citação não estava correta mesmo, eu reconheço. Com meu comentário eu quis frisar que esta opinião exagerada sobre Bruce Ismay não é totalmente correta; ele não foi um carrasco nesta história. É evidente que ele cometeu erros, erros comprovados. Mas acreditar que ele é o culpado central da tragédia é para mim uma falha. Basta pesquisar a história verídica para saber que as coisas não aconteceram exatamente da maneira que se pensa. Bem, esta é minha visão, todos são livres para acreditarem naquilo que lhes for mais conveniente.

Agradeço sempre a atenção ao blog. Meu intuito é que o Titanic em Foco tenha bom conteúdo, pois o objeto central e principal aqui é, e continuará sendo, a história verídica e o legado deixado pelo Titanic. Para mim é um prazer e um aprendizado mantê-lo, e a evolução do conteúdo acontece juntamente com minha evolução na capacidade de pesquisa e edição. Não conseguirei expor aqui tudo o que acredito ser importante, mas acredito que vale minha tentativa e contribuição. Dedico mais tempo ao assunto do que deveria, mas não é um tempo perdido, pois aprendo constantemente e ganho em retorno de cultura. E é por isso que continuo.

Toda a arte envolvida nesta história é o que me atrai a atenção de maneira direta, porque desde sempre sou admirador de arte; como a história e legado do Titanic são recheados de muita arte, ele se tornou um imã de minha atenção.

Todas as páginas que você citou estão dentro de minha atenção, são todas fontes de grande qualidade, onde a história/arte são os focos centrais; estas são pessoas que realmente contribuem de maneira positiva.

Bem, espero manter o Titanic em Foco por um bom tempo, sempre de modo tranqüilo, como sempre foi. E saber que o conteúdo informa ou contribui de alguma maneira para mim é um prazer. Seja quanto por tempo o blog permanecer ativo, continuo sendo nada mais que um entusiasta curioso e admirador, nada mais.

Novamente e sempre grato
Rodrigo

Anônimo disse...

Oi Rodrigo Sou eu Wellington eu Ganhei este livro tem 1 mes e já estou na pág. 203 é muito interessante...a johnannan o jock hume andrew hume alice e etc...eu recomendo! leiam :)

Rodrigo disse...

Obrigado pela opinião Wellington, eu tenho certeza que os colegas admiradores e curiosos certamente também irão gostar. O livro foi muito bem escrito e traduzido, é cheio de informações interessantes e relevantes; sem contar a trajetória incrível da família e as consequências da tragédia sobre todos eles.

Leitura recomendada, texto muito bem escrito.

Felipe Bairros disse...

Olá Rodrigo!

Tentei achar o e-mail de contato do blog mas não consegui. Achei umas fotos na net sobre a Olympic class que me deixaram extremamente curioso, talvez você poderia verificar pra mim, acho que iria se interessar. Posso te passar o link da matéria em inglês por e-mail.

Obrigado!

Rodrigo disse...

Olá Felipe

O e-mail do blog está na lateral direita, no link "CONTATO". Pode enviar os links que conversamos. Aguardo, até mais.

erica disse...

Ola rodrigo!
Aqui é a erica e a dhiessica ...lembra de nós ?
estamos com muita saudade ...faz um face pra gente se comunicar...bjs

Rodrigo disse...

Ahá, mas não é que elas me encontraram?!

Que saudades de tagarelar com vocês... Como vão os estudos?

Bom, por enquanto continuo sem face, ainda prefiro não ter (hehehe). Mas estou sempre por aqui no blog, e pode me mandar e-mail, estou sempre de olho.

Beijo para vocês! O meu e-mail é rodrigo.piller@bol.com.br

Tô esperando hein!

Anônimo disse...

Rodrigo, o 2º e o 4º vídeo ao lado da pagina são originais do Titanic? pois eu li, (aqui mesmo no seu blog)que só existe um vídeo verídico do navio. Poderia me esclarecer essa duvida. Obrigado.

Rodrigo disse...

Olá, gostaria de saber seu nome, é sempre importante saber a quem estou falando.

Eu achava curioso que nunca ninguém havia perguntado sobre as animações...

A 2ª animação foi composta com momentos de um vídeo publicitário real do RMS Olympic, feito para a White Star Line por volta da década de 1920. As cenas na animação foram gravadas com o navio em Southampton e em New York.

A 4ª animação é um trabalho meu. Eu a fiz com uma fotografia real do Titanic, tirada por volta das 12:20 da tarde de 10 de abril de 1912, enquanto o navio deixava o cais da cidade. É realmente apenas uma animação gráfica.

Não há legendas nos dois vídeos-animações por falta de espaço. Mas a 4ª animação está repetida na matéria "O depoimento de Millvina dean, a última sobrevivente do Titanic", e nesta matéria ela está corretamente legendada, com o alerta de que trata-se apenas de uma animação.

Aquele famoso “filme real do Titanic” (gravado em Belfast, Irlanda do Norte, em 03 de fevereiro de 1912) continua sendo o único filme reconhecido pelos historiadores como verídico.

Até mais.

Anderson disse...

Rodrigo, tudo bem?
Pelo que eu li, o Titanic pertencia a uma classe composta por três navios (ele próprio e mais dois). Um deles é o Olympic, em matéria já feita aqui no blog, e o outro é o Britannic, certo? Esse último era também idêntico ao Titanic?

Rodrigo disse...

Oi Anderson.

Sim, os três eram navios da mesma classe, a chamada "Olympic Class". Planejo uma matéria sobre ele faz muito tempo, e estive durante anos reunindo material. Não há planos de quando irei editar o conteúdo e publicar.

O Britannic foi construído exatamente sobre o mesmo projeto geral dos dois primeiros. No entanto o Britannic recebeu uma infinidade de melhorias em equipagem, melhoria em relação aos aparatos de segurança (botes, casco duplo extendido...), algumas mudanças estruturais (visíveis e não visíveis) e mudanças em inúmeros aspectos decorativos interiores (ele teria um nível levemente melhorado em relação ao luxo). Deste modo o Britannic foi planejado para ser uma versão melhorada dos seus dois navios-irmãos; isto porque ele foi construído com o grande aprendizado obtido no Olympic e no Titanic, e com as grandes lições deixadas pela tragédia do Titanic.

Ele foi construído pela mesma empresa, operaria também para a White Star Line e exatamente na mesma rota dos dois 1ºs, entre Southampton e New York. Se ele tivesse conseguido operar no transporte de passageiros, ele atuaria em um “zigue-zague” com o Olympic: enquanto um ia para a América, o outro voltava da América. A vida ativa do Britannic durou 11 meses, e neste período ele não transportou sequer 01 passageiro pagante, porque foi requisitado pelo governo inglês como navio-hospital, no socorro e transporte de soldados feridos.

Mas, num resumo da história, não houve sequer tempo para a decoração completa dos interiores do Britannic em virtude do início da 1ª Guerra Mundial, e ele sequer teve seus interiores concluídos, e jamais ostentou completamente o luxo que fora planejado para ele. No entanto, ninguém até hoje sabe ao certo o que já havia sido instalado de sua decoração interior; especialmente pelo fato que existem raríssimas fotos, e a maioria não revela praticamente nada.

Voltando ao ponto inicial: Sim, o Britannic foi construído sobre o mesmo projeto básico do Olympic e do Titanic; mas em virtude das muitas melhorias que ele receberia se tivesse sido plenamente concluído, ele muito dificilmente seria confundido com os dois primeiros. A 1ª Guerra Mundial pôs um ponto final em sua história, que sequer pôde começar efetivamente.

Até mais.

Jana Gothic disse...

Otimo!

joão victor pereira disse...

ola rodrigo como vai eu queria saber se voce ja ouviu falar do livro a viagem do TITANIC um navio inesquecivel uma tragedia historica. Se sim manda pra mim as fotos de capa e tambem as fotos das paginas e o site ou loja onde voce comprou esse livro porque eu comecei a me interessar pela historia desse maravilhoso navio assitindo so o trailer do TITANIC 1997 na epoca do centenario do naufragio porque eu ja procurei esse livro em diversas livrarias e nao achei porque um "TITANICO" precisa da ajuda de outro titanico ok

Rodrigo disse...

Olá João

Eu não adquiri ste livro porque minha atenção está quase 100% concentrada apenas em publicações que me tragam um volume importante de dados e informações realmente novas e/ou relevantes.

Também não cheguei a ver este livro em nenhuma livraria física. Se sua cidade tiver alguma grande livraria, como a Livraria Cultura, por exemplo, vale a pena ligar para a loja e perguntar sobre a disponiblidade.

No entanto o livro stá disponível para venda no site da Livraria Cultura, ao valor de 74,90 + frete.

Aí está o link. ***Copie o link através da janela de comentários.

http://www.livrariacultura.com.br/Produto/LIVRO/TITANIC-UM-NAVIO-INESQUECIVEL-UMA-TRAGEDIA/29464710

Te aconselho a comprar pelo site, basta apenas fazer seu cadastro, efetuar a compra, imprimir o boleto e pagar nas agências credenciadas. Nestes 11 anos que faço compras pela Internet, nunca me decepcionei com a Livraria Cultura.

Até mais, grato pela atenção ao blog.

Lucas Vertine disse...

Ola Rodrigo

Há quanto tempo não mando um comentário né?!

Hoje vim lhe perguntar vc tem em mente postar alguma matéria sobre o RMS BRITANIC?


ATENCIOSAMNETE LUCAS VERTINE KENDAVEL ZIUGANOVSK

Rodrigo disse...

Ou Lucas, seja bem vindo novamente.

Sim, tenho plano para uma matéria sobre o Britannic para breve. Estive durante estes anos reunindo materiais que valessem a pena organizar e publicar.

Mas vou demorar mais um pouco para publicar, porque a matéria será extensa e bem ilustrada. Como nada vêm pronto, meu trabalho não é exatamente fácil. Mas acredito que valerá a pena.

Até mais. Sempre grato pela atenção ao blog.

Lucas Vertine disse...

Ola Rodrigo

Obrigado pelas boas vindas.
Se eu puder ajuda-lo com essa matéria ficarei muito grato caso queira é só pedir que estarei disposto a ajuda-lo no que for preciso para essa nova matéria.
Estou disponível das 19h00 as 1h30 para ajuda-lo com essa matéria.

ATENCIOSAMENTE LUCAS VERTINE KENDAVEL ZIUGANOVSK

Rodrigo disse...

Vou manter a tradição de editar sozinho, mas agradeço muito a oferta de ajuda Lucas, é sempre bom saber que o trabalho é bem visto.

Até mais, espero editar bom material sobre o "irmão mais novo" do Titanic, ele merece. Em breve.

Lucas Vertine disse...

Ola novamente Rodrigo

Hoje estou muito feliz por ter feito 11 anos de idade e dedico parte do meu aniversario ao RMS Titanic

ATENCIOSAMENTE LUCAS VERTINE KENDAVEL ZIUGANOVSK

Rodrigo disse...

Então parabéns, muita saúde pra ti. Feliz aniversário.

Anônimo disse...

Rodrigo mais uma Vez venho aqui pedir para que vc postealgo sobre Margareth Brown para que possamos saber mais sobre a mesma. Ass: Wellington

Rodrigo disse...

Oi Wellington. Apesar da extrema lentidão da expansão do blog, Molly Brown é um ponto-chave, ela precisa de uma matéria exclusiva para sua história; futuramente irei editar conteúdo sobre ela, porque tenho há anos um bom material já reunido. Agradeço a sugestão e atenção ao blog. Me deseje sorte e disposição para que eu consiga manter e expandir o conteúdo.

Até mais.

Anônimo disse...

boa noite Rodrigo
queria saber se a exposição dos artefactos do Titanic irá vir mais algum dia para Portugal? Se sim quanto tempo levará?
abraço

Rodrigo disse...

Boa noite

Bem, eu não sei te dizer qual é o itinerário das muitas exibições de artefatos porque eu não as acompanho virtualmente, mas segue a página de contato da "RMS Titanic Inc.", que é a detentora dos objetos e responsável pelas exibições.

Em 2011/12, quando eles estiveram no Brasil, eu entrei em contato, e foram muito prestativos em responder. Aconselho que contacte-os em inglês, para agilizar a resposta.

http://www.rmstitanic.net/contact.html

Hoje existem sete exposições ativas, sendo que duas delas são fixas, no Estados Unidos.

E aí está a página das exposições atualmente ativas.

http://www.rmstitanic.net/exhibitions.html

Até mais. Pessoalmente eu desejo também que eles retornem ao Brasil algum dia, foi uma experiência inesquecível poder visitar.

Júlio César Pedrosa disse...

Excelente livro; eu o li recentemente. Lamento que a editora tenha optado por traduzir "band" por "orquestra"; o termo "banda" seria ideal, pois não se trata de orquestra, como sabemos.
No ano passado vi um documentário (não me lembro se no Discovery, NatGeo ou History) baseado nesse livro. Havia até uma entrevista com o autor e neto de John Hume. O vídeo me levou ao livro, que considero excelente leitura para todos, sejam ou não interessados na história do Titanic.
Além disso, é bem escrito, com belas fotos, e apresenta boa descrição de uma época de vida mais difícil (para muitas pessoas) do que a de hoje.
Parabéns pelo blogue!

Rodrigo disse...

Oi Júlio, obrigado.

Pois é, este livro foi uma surpresa. Eu adquiri pensando que seria mais um dos livros oportunistas que surgiram por ocasião do centenário do naufrágio em abril de 2012; e como me enganei. O texto vem de uma pesquisa ampla e muito dedicada, cheia de emoção. O mais importante do livro é que o autor foi a fundo na história, não só da família, mas do processo de resgate dos corpos. Confesso que fiquei impressionado com a riqueza de detalhes e com a descrição tão viva feita pelo autor.

Enfim, este é um dos que merecem um lugar reservado na prateleira, não só para quem é "titânico", mas para quem gosta de leitura, de boa leitura: viva e emocionante ao mesmo tempo.

Li, reli e pretendo ler novamente no futuro.

Até mais.

Wesley Daltro disse...

Acabei de ler esse livro recentemente. Ao vê-lo na prateleira de um supermercado, como nunca havia lido um livro sobre o Titanic antes e como tenho um certo interesse e admiração pela história do navio, não pensei duas vezes em compra-lo. Fiquei encantado com a riqueza da pesquisa, com o desenrolar da historia da família Hume, que até pareceu ser uma novela, só que com mais momentos tristes do que felizes. Também fiquei chocado com alguns fatos relacionados ás vitimas, antes e depois da morte. E isso me aproximou mais para o lado humano do naufrágio. Lembro que há pouco tempo o filme Titanic estava sendo exibido na Tv , eu havia parado pra dar uma olhada e percebi que tinha mudado um pouco o modo de ver o filme. Diferente de antes, dei menos atenção a parte "Oh, que Navio Magnífico" e passei a focalizar cada personagem e figurante. Lembrava das cenas descritas no livro.

Rodrigo disse...

Oi Wesley, obrigado pelo seu comentário.

Pois é, de tudo o que eu já li em português sobre o Titanic, este livro foi um dos mais impressionantes detalhados, e me prendeu à leitura do começo ao fim, tanto que já o li duas vezes. A maneira com que a história foi contada é fantástica, e assim como à você, este livro me fez olhar para a história como um todo de uma maneira mais consciente.

São raras as pessoas que conseguem "entrar na história" do Titanic com olhar mais consciente, e isso é muito importante. Os filmes ao longo dos anos se encarregaram de reavivar maciçamente a história para as novas gerações, ao mesmo tempo em que prestaram um grande desserviço ao extrapolarem os fatos, inserindo fatos ficcionais em meio à história, ou ocultando toneladas de aspectos importantes...

Felizmente os autores em tempos mais recentes estão cada vez mais dedicados a resgatar a história nua e crua, assim como Christofer Ward fez com este livro. Não seria por menos... ele tem elo emocional direto com a história que ele narra, ela pertence à sua própria família.

Indico este livro para todos, mesmo para quem não tem interesse algum pelo Titanic. É uma história triste, mas real, que mostra o quanto os fatos se interligam, se afetam e se agravam.

Foi um naufrágio que reverberou suas consequências por gerações. E ainda hoje reverbera, devido ao intenso interesse público que ainda desperta.

Depois de muito tempo sem assistir ao filme de 1997, recentemente parei por momentos para assistir, assim como você. E depois destes anos todos colocando minha atenção nesta história, e aumentando cada vez mais o respeito que sinto... Fiquei engasgado com um nó na garganta o tempo todo, prestando atenção e imaginando os fatos ocorridos a 103 anos atrás... Enfim, nossa visão muda com o tempo.

Até mais, abraço, novamente grato pela sua mensagem.