oncontextmenu='return false'>expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

terça-feira, 3 de julho de 2012

O nome "Titanic" revelado nos escombros do navio

Acima, fundo: Ilustração dos escombros do Titanic pelo artista Andrea Gatti. Em primeiro plano: Uma composição de fotos reais dos escombros do Titanic, com destaque digital para o nome "TITANIC" que ainda hoje pode ser visto gravado na lateral de bombordo proa do navio naufragado a 3.800 metros de profundidade no Oceano Atlântico-Norte.
.
Seja bem vindo ao Titanic em Foco
.
A explosão da mídia em relação ao Titanic, especialmente nos últimos 26 anos desde sua redescoberta em setembro de 1985 e o lançamento de "Titanic" (1997), trouxeram consigo um munumental misto de documentários, filmes, livros, bons lucros e, não menos: NOVOS MITOS. Teorias de conspiração têm brotado nos últimos anos... um mitológico golpe às seguradoras do navio... e até mesmo, pasmem: O RMS Olympic teria sido "maquiado como Titanic", e propositadamente naufragado em favor de obtenção dos valores de um seguro milionário.
.
Livros e documentários têm sido publicados no eixo Estados Unidos / Europa, todos eles com nada mais em mente senão o levantamento de hipóteses mancas, que seguramente os fazem render bons milhares (ou milhões) ao saltarem das prateleiras das livrarias para as mãos dos entusiastas menos informados sobre os aspectos verídicos que se acercam da tragédia e as dezenas de evidências ainda presentes nos escombros do Titanic, que sem resquícios de dúvidas, comprovam a real identidade do navio naufragado há cem anos.
.
A curta matéria a seguir é uma ínfima parcela das variadas evidências que derrubam os mitos acerca das muitas teorias conspiratórias "Olympic/Titanic" que "pipocam" nas mentes mais criativas dos escritores e ganham a imaginação dos mais propensos à dar crédito à estas boas histórias, cuja utilidade nada mais é do que apenas gerar lucro e distrair a atenção dos adeptos das teorias conspiratórias.
.
Acompanhe
O nome "Titanic" revelado nos escombros do navio
.
Nitidamente gravado em uma das placas de aço que compunham a proa, o nome "TITANIC" media 45 cm de altura e fora pintado com tinta amarelo cromo, a mesma tinta utilizada na faixa decorativa que percorria a subdivisão entre o enorme paredão negro de aço e a superestrutura branca do navio. Curiosamente as fotografias em preto e branco não beneficiavam a nitidez da cor amarelo cromo, por isso em apenas um número limitado destas fotos pode se ver com clareza os letreiros gravados nas duas laterais da proa e sob a popa do transatlântico, e também a longa faixa decorativa que dividia o casco. Deste modo o letreiro "TITANIC" só aparece plenamente legível nas fotografias tomadas sob determinadas condições de luminosidade, e também em fotos capturadas sob distância e ângulos específicos entre navio e fotógrafo.
Acima, esquerda: 10 de abril de 1912, Southampton, Inglaterra, por volta das 13:00, o Titanic lentamente deixa a zona portuária da cidade e inicia sua jornada à sua primeira escala na cidade de Chebourg, França, onde chegaria as 18:30 daquele mesmo dia. Direita: O letreiro fotografado nos primeiros meses de 1911, com o imenso navio ainda preso à rampa de construção e ao pórtico dos Estaleiros Harland and Wollf, em Belfast, Irlanda do Norte, antes do lançamento do casco.
.
Ao lado: 11 de abril de 1912, Queenstown, Irlanda (entre 11:30 e 13:30), um grande grupo de passageiros da 3ª classe é fotografado ao sol, na popa do Titanic. O letreiro "TITANIC" aqui também media 45 cm de altura, enquanto que cada letra da palavra "LIVERPOOL" media apenas 30 cm de altura.

No Titanic haviam três pontos com identificação do navio: Seu nome fora gravado sobre a lateral de bombordo e a de estibordo (esquerda e direita do navio) sob a forma de letras maiúsculas escavadas sobre as placas de aço. Estas letras posteriormente foram pintadas em amarelo cromo, a mesma cor aplicada sobre a contínua faixa decorativa que percorria toda a extensão mediana do navio. O terceiro enunciado fora gravado diretamente sob a popa, com os dizeres "TITANIC LIVERPOOL", que eram respectivamente seu nome e a cidade de Liverpool, Inglaterra, onde localizava-se a sede da companhia White Star Line e onde o navio fora registrado.

Abaixo: A animação fotográfica ajuda a destacar com clareza as letras que compõe a palavra "TITANIC", gravadas na lateral de bombordo dos escombros do Titanic. Esta junção de fotografias e a gravação mais abaixo foram obtidas em anos recentes pela empresa RMS Titanic Inc., a detentora exclusiva dos direitos de exploração dos escombros do navio. O mosaico revela que as 07 letras foram escavadas diretamente sobre as placas de aço do casco, contrariando a impressão de que teriam sido simplesmente pintadas sobre a superfície. A sobrevivência do letreiro frente aos 100 anos decorrentes desde o naufrágio, se deve exclusivamente à esta técnica de "gravação escavada e pintura", visto que a tinta denota ter se corrompido há muito tempo, deixando a mostra apenas as letras escavadas em baixo relevo, e que vagarosamente desaparecem sob a deposição do ferrugem formado pelas bactérias que se alimentam de aço.
http://oi62.tinypic.com/acw12.jpg
Acompanhe no vídeo abaixo a exploração do letreiro "TITANIC" gravado na lateral esquerda do navio, o lado de bombordo.


Divulgação - abranic
Abaixo: Representado de maneira correta nesta maquete em escala 1:48, com 5,6 metros de comprimento, o enunciado "TITANIC LIVERPOOL" foi reproduzido da mesma maneira utilizada no verdadeiro navio, escavado e pintado em amarelo cromo. A placa vermelha traz o anúncio "AVISO - ESTE NAVIO POSSUI TRÊS HÉLICES, MANTENHA DISTÂNCIA DAS LÂMINAS". Este anúncio afixado às grades da popa se devia ao evidente risco de sucção acidental representado pelo movimento das poderosas três hélices do navio, que já haviam demonstrado seu potencial de danos em 20 de setembro de 1911, quando uma grave colisão ocorrida entre o RMS Olympic e o navio de guerra HMS Hawke resultou na destruição parcial da proa deste último. Ao lado da placa vermelha na foto abaixo pode-se notar uma das pequenas âncoras reservas do Titanic; esta especificamente pesava 1.290 quilos.

Abaixo: Em uma rápida reprodução feita em grafite, o retrato artístico livre de um momento que não foi fotografado. Um pintor suspenso por andaime pela lateral de bombordo do Titanic no Estaleiro Harland and Wolff em Belfast, Irlanda do Norte. Aqui retratado durante o preenchimento das sete grandes letras gravadas nas placas de aço com a cor amarelo cromo, que anunciavam o nome do gigante. (Arte por Rodrigo, Titanic em Foco)

Abaixo: O transatlântico RMS Mauretania da Companhia Cunard Line, ao receber aplicação de tinta branca para o serviço prestado durante a I Guerra Mundial por volta de 1916, ou por volta da década de 1930, quando convertido em transatlântico de cruzeiro. Diferente do letreiro do Titanic, as letras que compunham o nome "MAURETANIA" aparentemente foram recortadas em aço e aparafusadas à secção superior da proa.O Mauretania e o seu navio irmão, o Lusitania, foram construídos para a Companhia Cunard Line pelos Estaleiros John Brown & Co. Ltd. em 1906 e 1907, direcionados para a rota de transporte de passageiros entre a Europa e os Estados Unidos; os dois gigantes foram motivo direto para que a Companhia White Star Line planejasse a concorrência, com a construção do Olympic e do Titanic. Da mesma maneira que o Olympic em abril de 1912, o Mauretania perdeu seu "navio-gêmeo" quando em 07 de maio de 1915 o RMS Lusitania foi torpedeado pelo submarino alemão U-20, e naufragou próximo à cidade de Queenstown, Irlanda, causando a morte de 1.198 das 1.959 pessoas à bordo. Como manda o destino para um navio que não naufraga durante a carreira ativa, em 1935 o Mauretania, junto do RMS Olympic, terminou sua gloriosa trajetória, foi demolido em Rosyth, na Escócia..............................................Crédito

Pesquisa e edição de texto e imagens - Rodrigo, Titanic em Foco

50 comentários:

Victor Laurant (Tirano) disse...

Rodriga, a cada post seu nesse blog e mais uma garantia de conhecimento aprofundado sobre o navio. Nao sabia do detalhe de que era escavado, e nem que era amarelo cromo (que amarelo eu sabia, mas cromo nao. E pequenos detalhes fazem grandes diferenças). Parabens e obrigado pelo seu trabalho com o blog.

Alvaro disse...

Meu caro Rodrigo, Ver este nome, constatar a autenticidade desta saga,e apreciar o blog é sempre um aprendizado, movido a emoção

Lucas Vertine disse...

O RMS TITANIC pode ter naufragado mas nunca sera esquecido!


ATENCIOSAMENTE LUCAS VERTINE

Rodrigo disse...

Oi Tirano, que bom que gostou das descobertas. Pra mim as coisas vão "brotando" conforme faço as pesquisas e direciono minha atenção. Não sei nem 0,5 % da história e nem dos detalhes, e cada matéria traz muita informação para mim, aprendo muito. Até

.............
Oi Alvaro, obrigado pela atenção. Para mim descobrir e unir estes pontos também é pura emoção, faz a história reinventar-se a cada peça redescoberta. Até mais.

.............
Ou Lucas, é isto aí, a história se reinventa e se mantém, para sempre.

Vicente Rocha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vicente Rocha disse...

O trio da White Star (Olympic, Titanic e Britannic) nasceu para concorrer com o trio da Cunard (Mauretania, Lusitania e Aquitania), mas os dois velhos guerreiros das duas frotas acabaram tendo o mesmo destino, praticamente ao mesmo tempo.

rander disse...

rodrigo bom dia quero dizer em primeiro lugar que seu blog é uma fonte de imformção riquissima sobre o titanic muito bom msm de ler todas as postagem eu queria te perguntar mais uma coisa a respeito dos pertençes que foram levados no titanic. em um site eu vi que uma carga muito valiosa foi levada no titanic pois é eu queria apenas que você me tira-se uma duvida a respeito de uma múmia heheheh eu apenas fiquei curioso a respeito dessa imformação no site ate dizia q essa múmia carregava uma maldição ... mais como vc já é mais aprofundado no assunto titanic queria a sua opinião claro falo isso apenas como curiosidade ...

Rodrigo disse...

Oi Rander, só posso agradecer pela consideração ao meu simples trabalho com o blog.

A história com a múmia é realmente uma lenda. Em janeiro deste ano recebi uma pergunta sobre a suposta múmia pelo meu e-mail. E vou te repassar a mesma resposta que dei, feita com base em um bom levantamento que fiz em janeiro.

Acompanhe

"A história com a múmia do Titanic, apesar de ser extremanente interessante e atrativa, não passa de mais uma das muitas lendas que cercam o naufrágio. E quando falo em lenda, estou querendo dizer mentiras mesmo, coisas totalmente inventadas para "embelezar a história", deixar a história do Titanic mais atrativa (como se fosse preciso).

Esta é uma lenda gerada pela perca do sarcófago do faraó Menkaure em 1838, 74 anos antes do Titanic. O sarcófago do faraó havia sido encontrado no Egito e estava sendo transportado pelo navio "Beatrice" para o museu britânico (na Inglaterra), mas o navio naufragou e o sarcófaco se perdeu.

E é com base neste episódio verídico (acontecido em 1838) que nasceu a lenda da múmia no Titanic, bastou a mente criativa de um escritor que publicou seu conto da "Múmia no Titanic" em um jornal, e pronto: nasceu a lenda falsa, muita gente ainda acredita nisto. Ou seja, a história verídica da múmia de 1838 foi simplesmente "tranplantada" de modo criativo para ao Titanic.

Esta história da múmia no Titanic é tão lenda quanto a história de que o capitão Edward John Smith resgatou um bebê da água, o entregou em um dos botes e afastou-se para morrer.... tão falsa quanto a lenda de que o Titanic foi afundado de propósito.... tão falsa quanto a lenda que diz que na verdade foi o Olympic que naufragou, e não o Titanic..."

No entanto vale lembrar que a passageira da 1ª classe Margareth Tobin Brown (Molly Brown) estava trazendo pequeninas peças egípcias para doar ao museu de sua cidade. Na noite da tragédia ela salvou um (ou mais) destes amuletos egípcios em seu bolso e, segundo o que consta, deu de presente esta pequena estátua ao comandante Arthr Henry Rostron, do Carpathia, como forma de gratidão pelo resgate.

Ainda segundo consta, entre as peças de Molly Brown não haviam múmias, todas elas eram pequenos amuletos, de não mais que 20 cm cada.

Anônimo disse...

TITANIC nunca mais sera esquessido se emventase outro barco

barbara disse...

TITANIC tem que ficar na estoria foi inportante e tragico.

joão victor pereira disse...

rodrigo sou eu de novo em diz rodrigo porque os navios de hoje nao tem mais mastros nao tem mais popa e as proas sao minusculas porque eu tava olhando num site sobre navios e eu percebi essa diferença os navios de nao tem mais popa as proas são minusculas e tambem a proa nao e reta pra cima que nem antigamente e os navios nao tem chaminés só tem uma alguns navios de hoje tem popa como o RMS QUEEN MARY 2 mas os outros navios da CUNARD de hoje sao tao diferentes quanto o que aconteceu com as empresas navais afinal essa e a minha duvida

joão victor pereira disse...

e tambem rodrigo acabei esquecendo porque quando os navios afundam eles nao começam afundando pela proa como O TITANIC BRITANNIC E LUSITANIA eles tombam de lado e nao afundam pela proa e tambem porque os navios tem so 2 helices e nao tem 3 ou 4 helices como a lusitania class eo queen elizabeth clas

Rodrigo disse...

Oi João

Todos estes aspectos técnicos dos navios hoje são diferentes porque são navios modernos, construídos com as necessidades atuais de operação, e dentro das normais atuais vigentes de navegação e segurança.

Todos os navios da época do Titanic não eram construídos naqueles padrões por beleza: tudo no navio, absolutamente tudo, tinha finalidade técnica: cascos pretos para prevenir as sujidades horríveis durante o processo de embarque de carvão / chaminés altas e numerosas para atuar na eliminação de gases da queima de carvão nas caldeiras / número de hélices condizente com a necessidade de velocidade e de acordo com os aspectos de suas máquinas / mastros altos para sustentar o cabeamento das antenas de telégrafo / popas arredondadas de acordo com o costume da época...

Num resumo: Nada era ao acaso, e tudo tinha função, finalidade e motivo específico.

Com o tempo as necessidades, normas navais e o modismo mudaram. E é exatamente por isto que os navios de cruzeiro atuais são completamente diferentes: O sistema de motorização hoje é diferente, e exige configuração diferente de hélices / cascos não precisam ser negros porque o carvão já não é mais utilizado como combustível de navios modernos / chaminés são praticamente desnecessárias porque já não existem mais caldeiras à bordo de navios / mastros são, na maioria dos casos, inúteis, porque o sistema de comunicação telegráfica que exigia antenas altas já não existe há décadas.... Enfim, dentre centenas de outros aspectos que foram eliminados ou reduzidos.

Navios afundam de maneiras diferentes simplesmente porque os danos que os fazem naufragar são diferentes uns dos outros: Tanto o Titanic, Britannic e Lusitania tiveram danos na área dianteira, na proa, no lado de estibordo... Por isto mesmo começaram a naufragar pela parte frontal...

Navios como o Andrea Doria e Costa Concordia naufragaram de lado (adernamento) simplesmente porque os danos ocorreram em áreas medianas do casco...

São naufrágios diferentes devido à danos diferentes, características técnicas diferentes...

Até mais.

joão victor pereira disse...

e rodrigo e se um navio de hoje em dia colidir com alguma coisa no lado estibordo nos navios de hoje eles começam a afundar pela proa ou nao essa e a minha duvida

victor galdino disse...

Vc pode me imforma se o nome TITANIC na popa ainda existe?

Rodrigo disse...

João

Acredito que qualquer navio que colida com algo, sofrendo avaria na área dianteira, certamente começará a naufragar pela proa. É evidente que o modo pelo qual um navio irá se comportar depois de uma avaria é absolutamente impossível de prever com precisão.

Até a própria possibilidade de um navio naufragar só poderá ser 100% checado se uma acidente real ocorrer. Contanto é evidente que o peso da água forçará a embarcação para baixo exatamente na área de danos: seja começo, meio ou fim / bombordo, estibordo, popa ou proa...

Tudo é absolutamente imprevisível e variável.

Rodrigo disse...

Oi Victor

Sim, o enunciado "TITANIC LIVERPOOL" ainda hoje existe na popa, pois esta área específica do casco não foi destruída, e as letras estão apenas recobertas por uma camada grossa e disforme de detritos formados pelas bactérias que decompõem vagarosamente o aço do navio.

Parte do enunciado "TITANIC LIVERPOOL" foi avistado por uma expedição há cerca de 3 anos atrás, mas segundo o que eu me lembro, o pesquisador Parks Stephenson disse que apenas uma parte das letras da palavra "LIVERPOOL" pode ser dificilmente notada com muito esforço, pois o restante encontra-se sob a camada de formação ferruginosa. Ainda segundo o que ele testemunhou, a palavra "TITANIC" está totalmente oculta abaixo da camada de formação ferruginosa.

Portanto não espere ver uma foto, aparentemente o único trecho em vídeo gravado deste local foi cortado de um documentário, ficando fora da edição final pública.

Lembrando que as letras de todos os enunciados do casco do navio não foram apenas escritas com tinta.

Na realidade as letras foram escavadas no aço de maneira bem rasa, mas o suficiente para permanecerem visíveis na hora de preencher com tinta amarelo-cromo (que era a cor aplicada nas letras e na faixa decorativa amarela, que dividia o casco da superestrutura branca do navio). A tinta dos enunciados já se decompôs há muito tempo, mas o formato escavado ainda permanece.

O SS Nomadic, o último barco ainda existente da White Star Line, traz ainda hoje, mais de 100 anos de sua construção, todos os seus enunciados plenamente visíveis, escavados no aço. Recentemente estes enunciados foram repintados, pois o barco foi restaurado.

Até mais.

victor galdino disse...

Olá mais por que historiaores só vam ao resto do navio atras ve robos eu sei que é fundo mais davam para eles irem como mergulhadores como vc me explica isso?por que les nao mergulhan ate lá?

Rodrigo disse...

Oi Victor

Sua pergunta já está respondida na matéria "DESTROÇOS", que pode ser acessada no topo do blog. Há um trecho chamado "VOCÊ SABIA?" dentro da matéria, com a explicação sobre isto.

Mas aí vai um resumo:

O limite máximo de profundidade já alcançado por um mergulhador sem submarinos foi de 315 metros de profundidade.

O Titanic encontra-se há 3.800 metros de profundidade, ou seja, mais de 10 vezes este limite recordista.

Mas porquê um humano não pode mergulhar tão fundo sem submarinos?

Simplesmente porque a quanto mais profundo, maior é a pressão da água / quanto mais profundo, maior é o peso da água sobre o corpo (porque a água pesa, isto mesmo, ela têm peso). E a pressão da água (peso da água) é capaz de matar por esmagamento.

Você só não sente o peso da água enquanto mergulha em uma piscina porque você está na área rasa.

No local onde os escombros do Titanic se encontram o "peso da água" é de 421 Quilos em cada centímetro quadrado, suficientes para comprimir o corpo de um ser humano até se transformar em "massa de tomate". Este peso é capaz de matar instantaneamente.

E é por isto que jamais, em hipótese alguma, haverá mergulho aos escombros do Titanic sem a proteção segura dos submarinos. E os submarinos são os únicos aparelhos capazes de aguentar tamanha pressão.

Caso aconteça um vazamento de água para dentro do submarino, certamente haverá uma invasão violenta da água devido à pressão, causando a morte de todos em seu interior. E isto já aconteceu com vários outros submarinos em outros locais, onde morreram todos à bordo.

Felizmente no Titanic isto nunca ocorreu.

Até mais, espero ter esclarecido algo.

victor galdino disse...

Ainda existem fragementos da grande escadaria?e o que aconteceu com o relogio?

Rodrigo disse...

Sobre a Grande Escadaria: Os detalhes de sua situação atual estão esmiuçados na matéria "A Grande Escadaria do Titanic", que pode ser acessada pelo topo do blog no link "Escadaria".

O relógio esculpido localizado na Grande Escadaria dianteira se decompôs com o passar dos anos, deixando apenas uma leve marca na parede [assim como praticamente todo o madeiramente decorativo desta escadaria também se decompôs, restando apenas algumas áreas isoladas onde ainda restam frações do madeiramento quase irreconhecíveis].

Esta "marca do relógio na parede" é mostrada e comentada no antigo documentário "OS Segredos do Titanic" (de 1986), pela National Geographic.

O relógio esculpido simplificado da Grande Escadaria traseira foi completamente destruído na noite da tragédia, assim como toda a escadaria em sí, pois ela estava localizada exatamente sobre o ponto e que o navio se rompeu em duas partes.

Victor Galdino disse...

Olá o que aconteceu com as chamines por que eles tabem eram de aço eu sei que uma quebro mais o que aconteceu com elas ??? ainda existem??

Rodrigo disse...

Victor

Não foi apenas a chaminé dianteira que ruiu enquanto o navio naufragava, ela foi apenas a primeira delas à cair. A 2ª, 3ª e 4ª chaminés também caíram enquanto o navio naufragava.

As 4 chaminés eram feitas de aço, que media não mais do que 8 mm de espessura, ou seja era aço fino, se comparado ao aço do casco do navio, que media 2,54 cm de espessura. E é exatamente por ser mais grosso que o aço do casco do navio ainda não se desfez por completo.

Os restos das chaminés naufragaram com o navio, caindo em meio aos escombros. Com o passar dos anos, a maior parte do aço das chaminés se decompôs, devido a sua fina espessura. No entanto ainda hoje parte da tubulação das chaminés está presente junto aos escombros e também os apitos de bronze, originalmente instalados no topo de cada um delas, também estão muito bem preservados junto aos destroços, pois o bronze não se dilui com o tempo.

Em um resumo geral para sua pergunta:

Não... As chaminés não existem mais. O que ainda resta hoje é apenas alguns fragmentos irreconhecíveis, parte de suas tubulações e alguns apitos.

Há inclusive um conjunto completo de apitos das chaminés que foi resgatado pela empresa RMS Titanic INC. E este conjunto de apitos está na matéria "Dentro do Titanic", que pode ser acessada pelo topo do blog.

A foto do link abaixo é dos restos do topo da chaminé Nº 02, depositados sobre o fundo lamacento do oceano nos arredores dos escombros do navio. O que se pode ver na foto é parte da tubulação e um conjunto de apitos de bronze. O corpo da chaminé em sí já se diluiu há muito tempo.

http://www.maritime-executive.com/media/transfer/img/AIVL-Titanic-Whistles_750_218517.jpeg

victor galdino disse...

Olá Novamente queria saber se as grndes hélices do navio continuam fixadas nas ruinas da popa ou se elas ainda estao na esma posiçao desde 1912?

Rodrigo disse...

Oi Victor

Segundo o que eu li, as três hélices permanecem fixas em seus eixos até hoje, no entanto apenas parte das hélices de bombordo e estibordo ainda podem ser parcialmente vistas, pois uma fração superior de ambas está fora do solo. A hélice central está 100% soterrada e, acredita-se, ainda presa ao navio, considerando que ela tinha um reforço maior de fixação do que suas duas “irmãs maiores” lateriais.

Quando a popa colidiu violentamente com o fundo do oceano, as hélices aparentemente foram instantaneamente soterradas porque esta foi a área da popa que tocou primeiro o solo marinho. Os "braços" dos eixos das hélices laterais se curvaram cerca de 20 graus para cima... E é graças a isto que hoje que as hélices podem ser parcialmente vistas. Caso os braços não tivessem cedido, hoje elas estariam 100% debaixo do fundo lamacento.

Bem, isto é o que eu pude acompanhar. Não sei sequer 10 % dos dados técnicos relacionados aos escombros.

Até mais.

victor galdino disse...

Ok muito obrgado pelas respostas

Essas fotos da escadaria da popa altenticas do titanic ou do olimpyc?
e tambem queria saber se algum bote do titanic ainda existe???

Muito Obrigado

Rodrigo disse...

Oi Victor

Existem cerca de apenas 30 ou 40 fotos tiradas de dentro do Titanic (fotos cabines e espaços públicos fechados); grande parte destas fotos é repetida, fotos repetidas do mesmo local.

As duas Grandes Escadarias do Titanic jamais foram fotografadas. Toda vez que você ocasionalmente ver uma foto da Grande Escadaria (da proa ou da popa) lembre-se: são fotos da Escadaria do Olympic. Estes "erros de identificação" acontecem porque, segundo consta historicamente, a duas Grandes Escadarias do Titanic foram feitas exatamente iguais às do Olympic. E na ausência completa de fotos de alguns dos interiores do Titanic, absolutamente todos os livros, revistas e websites utilizam fotos de alguns dos interiores do Olympic de maneira ilustrativa.

A lástima é que são raríssimos os meios que fazem esta identificação de maneira correta. Há erros em 99% de todas as fontes que eu já tive oportunidade de analisar, até nos melhores livros sobre o assunto.

Sobre os botes

Os botes que pertenceram ao Titanic desapareceram dos registros históricos ainda em 1913, menos de 1 ano após o desastre. Nem mesmo os historiadores sabem ao certo qual foi o paradeiro: Alguns acreditam que os botes foram sucateados / outros acreditam que tenham sido vendidos nos Estados Unidos / outros acreditam que teriam sido reutilizados em outros navios da companhia White Star Line. De qualquer meneira é evidente que a White Star Line faria o máximo de esforço para “desaparecer” com os botes, evitando que se tornassem artigos de museu, sujando ainda mais o nome da empresa. Qualquer empresa atual faria a mesma coisa.

O único bote da White Star Line que ainda hoje existe, pertenceu ao SS Nomadic, o barco de transbordo auxiliar do Titanic. Este bote foi encontrado abandonado nos fundos de um museu europeu, e hoje está em pleno processo de restauração, para que seja exibido como artefato histórico no "CENTRO TITANIC BELFAST”, na cidade de Belfast, Irlanda do Norte.

Se você quiser saber mais sobre os botes, de maneira detalhada, consulte a penúltima curiosidade aqui do blog, que está ao final de qualquer página em que você estiver, basta rolar até o fim..

Até mais.

Rodrigo disse...

A matéria "Dentro do Titanic: uma visão geral" (aqui do blog) contém mais de 100 fotos dos interiores.

Absolutamente todas as fotos da matéria estão corretamente identificadas: as que realmente são do Titanic estão descritas, as que são do Olympic também estão corretamente identificadas.

Assim como também estão corretamente identificadas as fotos que são apenas reconstruções gráficas, as que são dos cenários do filme "Titanic", e as fotos que são de outros navios, que serviram apenas como referências ilustrativas.

victor galdino disse...

Boa Tarde eu sempre quis saber uma coisa quando o titanic foi encotrao ainda existiam fragementos de sua pntura original?ou a pintura saiu logo apos o naufragio?gostaria tambem de saber uma coisa por que li que onde o ice berg causou os estragos sta atolado no lamacento oceano nao é possivél vazer uma escavaçao com robos e etc para saber mais o que se passou naquela noite?

Rodrigo disse...

Oi Victor

Sim, havia traços da pintura original em 1985, quando o navio foi descoberto. E ainda há dezenas de áreas do navio que ainda preserva parte da pintura original: Algumas das paredes brancas do Convés de Botes (hoje muito escurecidas/acastanhadas e parcialmente recobertas for formaçõs decompostas), alguns dos batentes metálicos das janelas nos quartos dos oficiais... Até mesmo a pintura vermelha que dividia o casco ainda está parcialmente preservada, e isto pode ser visto, se não me falha a memória, no documentário "Titanic, Final Secrets: Missing Pieces", exibido pela National Geographic.

Dentro do navio também há pequenos locais onde a tinta permanece; o local mais notável onde esta preservação da tinta ocorreu foi na Sala de Recepção da 1ª classe, no Convés D. É impressionante ver alguns dos "milagres" que a tinta branca fez ao ajudar a preservar pequenas áreas de madeira esculpida. Segundo o que os cientistas vêm dizendo, a química forte da tinta branca aplicada às paredes de madeira da Recepção fez com que os microorganismos não se aproximassem desta pintura; e é por isto que ainda há pequenas secções da madeira que ainda hoje apresenta entalhes esculpidos com a presença de tinta branca. A química forte neste caso fez o "milagre" acontecer. Esta preservação na recepção você pode acompanhar pelo documentário “Ghosts of the Abyss”, de James Cameron.

Sobre o atolamento da proa...

A proa do Titanic está hoje atolada [num ângulo bem complexo] cerca de 18 ou 20 metros dentro do solo lamacento.

Quem sou eu para me fazer de entendido e dizer que é possível fazer uma sucção deste material para uma análise mais próxima. Mas, em minha tosca opinião, acredito que seja possível uma “drenagem de lama” mas, é claro, à custo de muitos milhões para projetar, construir e realizar este "trabalho" sem precedentes. Quatro mil metros de profundidade à uma pressão de 421 Quilos por centímetro quadrado sob escuridão total não é “brincadeirinha” não. É Caro, é arriscado e extremamente complexo.

O que realmente impede que isto aconteça hoje, creio eu, é que o Titanic não é um "parquinho de diversões"; ele é, desde abril de 2012, "Patrimônio Cultural Submerso da Humanidade", um título da UNESCO. Portanto ninguém está autorizado a ir "brincar" de escarafunchar o navio sem se submeter às muitas normas, leis e regras protetivas.

Enfim, isto é apenas o que eu acho. Eu não tenho informações precisas.

victor galdino disse...

Olá rodrigo a respeito da popa do navio hj resta alguma coisa dentro dela? alguma expediçao já entrou lá?

Rodrigo disse...

Oi Victor

Segundo o que eu sei, nenhuma expedição tentou enviar robôs-câmera teleguiados para dentro dos escombros da popa, nem mesmo a ‘RMS Titanic INC’ ou o diretor James Cameron. Em parte porque não há nada que seja reconhecível à primeira vista, em parte porque os pisos estão todos "panquequeados" uns sobre os outros, ou seja, os andares desabaram e estão comprimidos.

Como não é um local visualmente atrativo, e que oferece alto risco de danos aos milionáros aparelhos de exploração, creio que sejam exatamente estes os motivos da falta de exploração interna.

Se há alguma coisa realmente atrativa e visualmente reconhecível... Aí é coisa que eu não sei dizer, não tenho este tipo de informação. É provável que não haja grandes e bons pontos de exploração, pois a área é evidentemente a mais destruída de todo o navio, isto todos sabemos.

Até mais.

victor galdino disse...

Oii Novamente Rodrigo queria saber se a faixa em amarelo cromo ainda existe hoje na proa??

Rodrigo disse...

Victor

À julgar pelo sumiço completo da tinta amarelo cromo que preenchia as letras "TITANIC" gravadas no casco do navio, posso palpitar que a tinta da linha decorativa divisória pode ter também se decomposto.

Mas não há como dizer com certeza, pois a grande maioria da linha ao longo do casco está recoberta por formações ferruginosas decompostas, impedindo que se possa ver o que se esconde por baixo.

Uma coisa é certa: de tudo o que eu já vi, em foto e vídeo, em nenhum momento a linha parece ter sido vista pelas expedições; ou pelo menos nada que tenha vindo a público.

Aparentemente nem mesmo a "BIG PIECE" não possuía a linha decorativa quando foi resgatada pela RMS Titanic INC em 1998 ("BIG PIECE" é um pedaço do casco do navio com 17 toneladas, que hoje está exposta no "Hotel e Cassino Luxor", em Las Vegas).

Há toneladas de coisas que eu não sei, e há muito mais ainda que não é tão amplamente divulgado à público.

victor galdino disse...

Oi Rodrigo sempre tive essa curiosidade para saber o que acconteceu com os coletes salva vidas?

Rodrigo disse...

Oi Victor

Eu não sei dizer qual foi o paradeiro de todas as centenas de coletes, e acredito que nem mesmo os especialistas sabem o fim de todos eles, pois certamente mais de 500 coletes foram trazidos para bordo do Carpathia pelos sobreviventes, que em sua maioria ainda estavam vestidos.

O que eu realmente sei, é que aparentemente foi feita uma grande pilha de coletes amontoados no convés dianteiro do Carpathia. Até mesmo o filme “Titanic” (1997) mostra uma grande pilha de coletes amontoados no convés, diretamente às costas do personagem “Caledon Hockley”, noivo de “Rose” (no final do filme)..

O paradeiro destas centenas de peças é incerto, mas alguns sobreviventes acabaram ficando com coletes para si próprios; como no caso da passageira da 1ª classe Madaleine Astor, viúva de John Jacob Astor. Ela manteve o colete consigo durante décadas em um armário. Hoje este colete pertence à Sociedade Histórica do Titanic e encontra-se exposto nos EUA (não sei se está exposto em museu, ou nas acomodações particulares da Sociedade Histórica).

Em 2008 a casa de leilões "Christie's" vendeu um colete que teria pertencido ao Titanic por mais de 140 mil reais; não sei quem arrematou a peça.

Seja qual tenha sido o paradeiro das outras centenas de coletes, hoje aparentemente restam menos de duas dezenas de exemplares. Alguns expostos em museus na Europa, outros em mãos de colecionadores particulares e pelo menos um deles está exposto hoje no ‘Titanic Museum’, na cidade de Branson, nos estados Unidos.

Bem, isto é o que pude levantar de informações.

victor galdino disse...

Olá robrigo queria saber se existem vídeos do titanic sendo lamçado ao mar pela primeira vez por que assisti o filme somente deus por testemunha e passa imagems de quando o titanic parte de quando é lamçado ao mar pela primeira vez essas imagems são reais?

Rodrigo disse...

Oi Victor

Não existe hoje qualquer gravação do Titanic feita no dia do lançamento do casco. Mas há relatos que o lançamento foi gravado pelos cinegrafistas. Só não me pergunte porque estes filmes nunca vieram à público, ou porque se perderam, ninguém parece saber os motivos, nem os estudiosos estrangeiros. O mais curioso mesmo é que o lançamento do casco do Olympic (20/10/1910) e do Britannic (26/02/1914) foram gravados, e as gravações ainda hoje existem e podem ser assistidas por qualquer um de nós, ambas estão disponíveis no You Tube.

As cenas de lançamento em "Somente Deus por Testemunha" foram feitas com as gravações reais do lançamento do casco do RMS Queen Elisabeth ( lançado em 1938).

Mas há uma pequena mistura de gravações, porque pois bem no final, quando os créditos surgem na tela, o navio que se vê já dentro d'água é outro; infelizmente não sei qual navio é aquele, sei apenas que aquele não é o Elisabeth, e obviamente também não é o Titanic.

A única gravação real do Titanic que se conhece hoje, foi feita em 03 de fevereiro de 1912, quando o Titanic estava adentrando a Doca seca Thompsom para os trabalhos de finalização e pintura (67 dias antes da partida). Para conferir este único filme real (se é que você já não conhece), basta conferir aqui no blog a matéria "O único filme real do Titanic" (acesse a matéria pela barra lateral direita, basta procurar).

Até mais.

victor galdino disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
victor galdino disse...

Olá Rodrigo Desculpa esta perguntado uma cosa que vc talvez nem saiba mais sempre tive a vontade de saber por que o RMS Queen Mary continua atracado na praia e não navega eu sei que é um navio bem antigo mais parece ter ótimas condições de navegação por favor poderia me dar essa imformaçao?

Rodrigo disse...

Oi Victor.

Na realidade é apenas uma impressão sua. O RMS Queen Mary não está tão belo e preservado quanto as fotos aparentam. É evidente que ele está relativamente bem conservado, mas numa "olhada mais de perto" é possível ver os fortes sinais da avançada idade do navio, que já ultrapassa 76 anos.

Ele não navega mais, pelo simples fato de que todos os aparatos de máquinas e motores foi removido no final da década de 1960, quando ele foi finalmente aposentado e estacionado para uso como museu e hotel.

O final dos dias do Queen Mary chegará quando ele já não oferecer mais lucro com esta utilização, ou quando não houver mais interesse em explorá-lo para este fim.

Quando será?

Aí eu não sei dizer. Mas um dia inevitavelmente ele se tornará velho demais, corroído demais, e então será demolido. 10 anos, 20 anos, 40 anos, 80 anos.... Aí só o tempo dirá.

Até mais.

victor galdino disse...

Queria saber se em 1912 quando o titanic naufragou,a aqui no brasil também teve repercussão do caso na época ou não?

Rodrigo disse...

Oi Victor

A repercussão foi a nível internacional, o mundo inteiro publicou sobre o caso. Em alguns lugares mais, em outros menos. No Brasil também houve publicação nos jornais, não tão detalhada, longa e duradoura quanto na Europa e na América do Norte, mas também de destaque. Vi alguns poucos jornais brasileiros de época disponiblizados via Internet, mas sei que há muito mais; lamentavelmente não tenho referências agora porque nunca me concentrei em artigos brasileiros de época sobre o caso, inclusive nunca procurei por jornais impressos.

Tudo o que tenho e pesquiso sobre o Titanic proveniente diretamente do Brasil vêm de tempo mais recente, a partir de 1944 (nunca jornais em papel, que são itens complicadíssimos de serem encontrados intactos).

victor galdino disse...

olá rodrigo queria saber por que em nenhum video de expediçao nos destroços do titanic aparem a saa de maquinas por que nenhuma expediçao foi lá?

Rodrigo disse...

Oi Victor

A sala de máquinas foi quase completamente devastada durante a quebra e naufrágio. As máquinas em si estão expostas na secção da popa. Até os desenhos de Ken Marschall mostram este detalhe. O documentário "Ghosts of the Abyss" (2002) também mostra com detalhes os imensos motores à mostra.

Agora se você quiz se referir à Sala das Caldeiras... Ninguém tentou entrar em nenhuma das várias salas (segundo o que eu sei). Mas na secção extrema da proa do Titanic, especificamente na área da quebra, há um conjunto completo de 05 caldeiras ainda firmemente presas ao fundo do navio que estão plenamente visíveis. Este detalhe também é mostrado nos desenhos de Ken Marschall e também pode ser visto claramente nas cenas reais do documentário "Ghosts of the Abyss".

Henrique disse...

Oi Rodrigo, o letreiro que ficava na popa, ficava exatamente no meio, ou um pouco de lado?

Rodrigo, Titanic em Foco disse...

Exatamente no centro Henrique, assim como nesta arte do futuro game "Titanic Honor and Glory".
http://65.media.tumblr.com/3b5c3ef3ac11984db8f1632cba3c0302/tumblr_mllou4X6iD1rnh1c7o1_1280.jpg?.jpg

Henrique disse...

Valeu Rodrigo, nunca pare com o seu blog!

Davi, Por dentro do Titanic disse...

Olá, Rodrigo, vejo muito seu trabalho e dou nota de 1 a 10, 1001. Tenho um blog também deste assunto: o Titanic. Também vejo outros navios como Olympic, Lusitania, Britannic, etc,etc,etc. Por favor, meu blog pode ser parceiro? obrigado.

Rodrigo, Titanic em Foco disse...

Oi Davi,

agradeço o apoio. Sim, pode enviar seu link que eu o adiciono aqui no blog.