oncontextmenu='return false'>expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

segunda-feira, 27 de junho de 2011

"O Resgate do Titanic", a maior maquete já construída

Seja bem vindo ao Titanic em Foco
 .
Sem dúvida nenhuma, um dos aspectos artísticos mais notáveis e interessantes relacionados ao Titanic é o nautimodelismo, a bela arte de reproduzir embarcações em escala reduzida. Dos muitos filmes já produzidos sobre este navio, "Raise the Titanic" ( "O Resgate do Titanic", no Brasil ) é o que construiu e se utilizou da maior maquete já feita do fabuloso barco até os dias atuais. Conheça mais desta história.

Fotos: Coleção Jonathan Smith
.
Boa leitura
O Resgate do Titanic é um filme americano do gênero aventura lançado em 1980, o projeto foi financiado por Lew Grade's ITC Entertainment, dirigido por Jerry Jameson e escrito por Eric Hughes (adaptação) e Adam Kennedy (roteiro). O filme é estrelado por Jason Robards, Richard Jordan, David Selby, Anne Archer, e Alec Guinness..

O filme foi inspirado pelo popular livro “Resgatem o Titanic” de Clive Cussler, no entanto, a produção foi mal recebida pela crítica e provou ser uma bomba nas bilheterias, perdendo a maior parte de seu orçamento.
SINOPSE
Uma corrida submarina para salvar o Titanic e sua carga de defesa vital. Adaptado do best-seller de Clive Cussler, a história segue as aventuras do agente especial americano Dirk Pitt (Richard Jordan), e seus companheiros (Jason Robards, David Selby e Alec Guinnes) em sua jornada para recuperar um material que tornará os EUA inatingível aos ataques atômicos. O navio está muito fundo para os mergulhadores e a única solução é trazê-lo de volta à superfície. O incrível projeto deve ser gerenciado em segredo absoluto, devido à interferência mortal de uma nação rival. Mas quando o Titanic finalmente é trazido à tona, descobre-se que a aventura está apenas começando!
Assista o trailer
Divulgação - Jimusnr
A maquete
.
Para rodar as cenas de efeitos especiais onde o navio era resgatado das profundezas do Oceano Atlântico-Norte, fora construída uma enorme maquete, que até os dias atuais é a maior maquete completa do Titanic já construída.. 

* A gigantesca réplica cenográfica do Titanic construída para o filme "Titanic" (1997) media 236 metros de comprimento [quase o mesmo tamanho que o navio real], mas não é considerada tecnicamente uma maquete, visto que era praticamente do mesmo tamanho que o verdadeiro navio. Soma-se o fato de que a réplica não era completa, pois possuía apenas a lateral de estibordo (direita do navio) plenamente construída.Acima: O gigantesco modelo no tanque, plenamente iluminado e preparado para um das tomadas do filme.
Este trabalho teve um custo de cerca de 5 milhões de dólares para ser concluído em 1980. Na verdade era um modelo impressionante, pesando 10 toneladas, com uma altura de 3,65 m e comprimento de 17 m. A estrutura principal do casco era uma fôrma de fibra de vidro e a estrutura superior e os detalhes do convés são de madeira, aço e resina. O interior do casco era equipado com tanques de flutuação e tubulações que permitiam a passagem da água para que o modelo viesse à tona durante as gravações.
Abaixo: Medindo 17 metros de comprimento, a imensa maquete produzida para o filme Raise the Titanic tinha apenas 6,2 % das dimensões do verdadeiro Titanic, o qual media 269 m. de comprimento. Se colocado na posição vertical, o modelo teria aproximadamente a mesma altura de uma chaminé do grande transatlântico real. Cada uma das quatro chaminés do Titanic media 19 m. de altura, portanto tinham 2 metros a mais do que o comprimento total da maquete.
Esquerda: O modelo tal qual ele era quando foi finalizado e preparado para a gravação das cenas do naufrágio. Direita: um dos membros da produção reboca o modelo já convertido em "navio apodrecido" através do tanque especialmente construído.
.
O modelo foi construído com a ajuda do historiador e artista Ken Marschall em 1979, nos estúdios da CBS na Califórnia. Originalmente, a maquete foi construída como o Titanic em perfeito estado, tal como era quando foi concluído em 1912. As imagens iniciais do filme iriam mostrar o naufrágio do Titanic, mas por razões desconhecidas, as cenas de naufrágio foram removidas e substituídas com uma sequência de fotos de época e a maquete não foi mostrada em seu "estado de glória". A maquete gigantesca teve de ser transportada dos Estados Unidos para a ilha de Malta, no Mediterrâneo, a bordo de um navio de carga. Para a surpresa dos construtores ela sequer passou pela escotilha de carga do navio, obrigando-os a transportá-la sobre o convés externo do cargueiro.

Acima - Ken Marschall posa ao lado da obra na qual ele foi o consultor e uma imagem atual do artista. As suas obras mais conhecidas são as ilustrações do RMS Titanic, que hoje são o mais respeitado referencial de arte em relação ao navio, tendo inclusive servido de inspiração e guia do diretor James Cameron nas gravações de Titanic - 1997 - no qual o próprio Ken Marschall atuou também como consultor técnico.
No início de 1980, depois de gravadas as cenas iniciais onde o navio apareceria na noite da tragédia, a equipe de efeitos especiais passou a trabalhar na alteração do modelo para que se parecesse com um navio que já havia passado 68 anos debaixo de água.


Acima e ao lado - Uma das cenas do naufrágio que estaria incorporada no início do filme, mas que não foi utilizada e só reapareceu em 1983, incorporada no capítulo 13 da série "Voyagers", onde os protagonistas são levados ao passado a bordo do Titanic. À direita um membro da produção trabalha sobre o convés do imenso modelo para uma nova tomada, nesta etapa todo o navio já havia sido "maquiado" para que apresentasse toda a corrosão de um barco resgatado do fundo do mar.
Assista no vídeo abaixo (a partir de 0:26 min) as cenas iniciais cortadas do filme, onde o Titanic seria mostrado durante o naufrágio.



Como as cenas de convés foram filmadas a bordo do SS Athinai (da Companhia Grace Line), um antigo e abandonado navio de passageiros, algumas partes do modelo do Titanic tiveram de ser alteradas para que casassem com o design do Athinai. Uma pequena antepara foi adicionada no arco da proa, seguido por dois grandes respiradores de convés. Em seguida a segunda chaminé foi propositalmente danificada, de modo que parecesse perdida nos destroços .
.
Acima - À esquerda o SS Athinai, o navio já estava parcialmente deteriorado e fora de serviço quando foi locado para as gravações de "Raise the Titanic". A seta vermelha indica a antepara adicionada na proa do modelo e as setas amarelas indicam os respiradores adicionados ao convés de proa; todas as alterações foram feitam com propósito de que o Titanic se assemelhasse com o SS Athinai, o qual foi usado nas cenas de convés. Estas alterações grosseiras, dentre outras coisas, são muito criticadas até os dias atuais pelos admiradores do Titanic.
No convés da maquete alguns respiradores foram removidos e alguns foram mudados. Um item final foi acrescentado ao modelo: 08 grandes aros de metal que podem ser vistos no convés de botes durante a cena do vôo sobre o navio quando ele é resgatado.

Acima - As quatro fotos mostram quatro aros aparafusados ao convés de botes. Curiosamente os membros da produção esqueceram de remover estes detalhes funcionais antes que a cena fosse rodada. O primeiro aro fica acima do teto da sala de fumantes, o segundo foi instalado ao lado da 3ª chaminé, o terceiro alocado junto do teto elevado da sala de leitura e o quarto aro localiza-se abaixo das janelas dos quartos dos oficiais.
 .
Com um olhar mais atento na parte superior do modelo, vê-se uma separação abaixo do convés B, esta é a junção móvel da maquete. A estrutura superior podia ser retirada fora do casco principal, para que os tubos e tanques de flutuação dentro do casco pudessem ser alcançados, e é por isso que o modelo tem os aros instalados no convés de botes, serviam como ganchos de suspensão.

Esquerda: A seta vermelha indica a linha de separação da estrutura do modelo. Direita: imagem atual do interior oco da maquete.
Também foi construído para o filme 3 submarinos, 5 navios da marinha, e mais 2 modelos Titanic, um de 2,5 m e o outro de 1,25 m.
 .
O tanque que foi construído para abrigar o modelo custou 2 milhões de dólares, tinha 74 m de diâmetro e 13 m de profundidade e demorava cerca de 15 horas para ser enchido por completo. Na base do tanque havia um grande tablado giratório que foi feito para representar o fundo do Atlântico Norte.
Acima - Numa vista aérea o enorme tanque circular onde as cenas com a maquete foram gravadas.
Acima - Membros da equipe de efeitos especiais preparam o modelo para a tomada de uma nova cena. Note a linha divisória que separa a água contida no tanque e a água do Mar Mediterrâneo, que fica à frente da piscina onde está o modelo.
A maquete foi construída para suportar o enorme desgaste causado pelas constantes tomadas de resgate do fundo do tanque, o resultado final é de tirar o fôlego, uma explosão do Titanic das profundezas do Oceano.

 
Assista a cena do resgate do Titanic no vídeo a seguir.


O filme todo custou 38 milhões de dólares em 1980, com 11 milhões dólares de arrecadação nos cinemas, portanto não se pagou e se tornou um fracasso de bilheteria. O homem por detrás do filme, o magnata do cinema britânico Lord Lew Grade (ao lado) que financiou o projeto, comentou depois :
.
"Teria sido mais barato drenar o Atlântico"
 .
De certa forma, O Resgate do Titanic tornou-se um clássico do cinema, e há uma parte em todos nós que deseja que o Titanic real ressurja das profundezas, assim como se vê no filme.

Abaixo: Dois filmes diferentes e duas maquetes diferentes. Em "Resgatem o Titanic" o modelo fora construído em escala 1:16, media 17 metros de comprimento e foi gravado enquanto imerso em um tanque de água salgada. Em "Titanic" (1997), o principal modelo visto nas tomadas de efeitos especiais foi construído em escada 1:20, media 13,45 metros de comprimento e foi gravado epenas em estúdio seco fechado, longe da água dor mar, que só foi adicionada na pós-produção inserida através de computação gráfica e animação.
O abandono
 .
Ao término das gravações o enorme modelo foi armazenado sem nenhuma proteção, curiosamente não houve interesse em preservá-lo, nem mesmo armazená-lo mais adequadamente. À época de seu lançamento o filme não foi muito bem recebido pela crítica, e a empresa entrou em colapso quando não conseguiu alcançar o esperado retorno em orçamento das bilheterias, deste modo o modelo do Titanic foi deixado à sua sorte no pátio dos estúdios onde ocorreram as gravações.
 .
 .
Os restos do modelo maltratados pelo tempo estão rapidamente se desintegrando, e o casco hoje oferece um vislumbre assombroso de um navio que apodrece a céu aberto. Trinta e um anos de decadência tiveram um alto preço desde que o filme foi concluído e o modelo armazenado ao ar livre sem proteção.
E a maquete do Titanic... Se transformou em Britannic
 .
Em 1991 a maquete ganhou nova aparição na mídia, quando foi "maquiada" com as cores do navio HMHS Britannic, o navio irmão do Titanic, e reaproveitada nas cenas do drama televisivo "Mountain of Diamonds", produzido em cooperação entre Itália, França e Alemanha.
Na época o gigantesco modelo já se apresentava bastante deteriorado, mas teve toda sua lateral de estibordo (direita do navio) repintada na cor branca, marcada por uma contínua faixa interrompida por três cruzes vermelhas, símbolos dos navios que atuaram como hospitais durante a 1ª guerra mundial.
Além da realização pequenos reparos, a reinstalação da chaminé nº 02 veio a completar a aparência integral do navio, que durante as gravações de "Resgatem o Titanic" teve a 2ª chaminé propositadamente danificada. A despeito das cores da maquete e das chaminés estarem parcialmente incorretas em sua versão navio-hospital, as cenas tornam-se bastante interessantes.
Ao lado: Nesta ilustração do artista norte-americano ken Marschall, a coloração correta do Britannic à época em que naufragou, enquanto atuava como navio hospital. Abaixo - Cenas da microssérie "Mountain of Diamonds", onde o modelo fora reutilizado, maquiado como Britannic.
.
Após as gravações do drama "Mountain of Diamonds", a deterioração natural recebeu um empurrão da natureza, quando em janeiro de 2003 uma tempestade atingiu os estúdios onde o modelo permanece. A tormenta causou danos consideráveis, inclusive derrubando a terceira chaminé para o lado de bombordo e causando estragos irreversíveis nos conveses superiores.
.
.
O resultado é que a estrutura agora está arruinada de fato, e se encontra tão - ou mais - deteriorada que o próprio Titanic no fundo do Atlântico Norte. O modelo era primoroso, tinha exatamente o número de janelas que o navio original e detalhes precisos que nem mesmo na tela poderia se ver. Um grande desperdício de dinheiro e de uma obra primorosamente executada.
Crédito
Pesquisa, tradução e adaptação de texto e imagens: Rodrigo, TITANIC EM FOCO
Fotos: Coleção Jonathan Smith 

15 comentários:

Marlon Delano disse...

Que post fantástico heim cara, gostei demais demais demais mesmo, essas mudanças na maquete realmente me deixou meio P da vida quando fui assistir pea primeira vez.

Rodrigo disse...

Valeu amigo, obrigado pelo apoio. Para quem não conhece muito da história deste filme, ou até para quem já sabe um pouco mais, é um total absurdo quase tudo que se passa, uma história que ultrapassa a barreira da ficção e quase entra na área do delírio,,,kk é muita deoideira. Mas ainda com estes erros, com as maluquices todas, é muito interessante de se ver e redescobrir um pouco mais da produção.


O filme é uma piração?

É


Mas continua interessante de qualquer modo.

Tirano Sauro Rex disse...

Eu não cheguei a ver esse filme. Eu estava baixando lá, mas qdo fui baixar a ultima parte, o link saiu do ar ¬¬ Talvez eu consiga outro dia.
Eu até sentiria pena da maquete se ela não fosse alterada daquele jeito. Achei um absurdo terem alterado ela, modificar em relação a aparencia real d RMS Titanic ssó para combinar com o navio usado nas gravações. Senão tivessem feitos elas, é possível que teriam até arecadado mais. Eu não sei se iria ao cinema e pagar sei lá qto para ver um filme em que o Titanic esteja diferente. Por favor néh?
Mas, O filme e a maquete são até interessantes. Gosto de saber coisa por trás dos filmes, os modelo, e essas coisas. Acho interessante.
E parabéns pela postagem. Muito boa, rica em informações, como sempre.
Fique com Deus.

Rodrigo disse...

Pois é Tirano, estas alterações foram muito grosseiras, não só porque são muito evidentes, mas porque acabaram por modificar o aspecto visual tão bem orientado que Ken Marshall havia executado.

Como eu gosto da "arte pela arte" para mim não tem grande diferença estas alterações, pelo contrário, só servem para enriquecer as histórias e fazer com que queiramos "revirar o fundo do baú" para descobrir mais e mais...e até mesmo entre os erros, alterações grosseiras, tramas históricas absurdas há boas curiosidades de:

PORQUE FIZERAM ASSIM?

Adoro estas reviravoltas,,, é pura arte vertendo de todos os lados.

O que relamente me deu pena é que fizeram um modelo tão grande e tão bonito para depois "apodrecê-lo" com maquiagem,,, e depois ainda deixaram esta bela versão "apodrecida" se estragar no tempo,,,, é muito desperdício de talento e de arte.

Mas é assim, nem tudo pode ser guardado numa redoma de vidro para que dure para a eternidade.

Se nem mesmo o Titanic pôde, porque uma maquete poderia?

Sidão BH disse...

Ai mãno, gostei demais deste documentário que vc disponibilizou.
Sempre gostei da hitória do navio mesmo antes do filme de 1997, mas só fiquei sabendo a pouco tempo atrás sobre este filme de 1980.
Apesar de todas as falhas, eu prefiro entrar no clima do filme e imaginar que um dia esta cena seja real, ver i TITANIC saindo das profundezas, mesmo que seja aos pedaços como está, acho que seria uma das maiores fassanhas da humanidade.
Fiquei pê da vida com o final da maquete, mesmo alterada achei muito, mais muito massa se morasse perto pegava pra mim, kkkkkkkkkkkkkkkkkk.
Obrigado pelas informações , valeu demais!!!!
Abraço.

rander disse...

este filme é realmente raro muito dificil para acha-lo para fazer donwload é mais facil a gnt ir nadando ate o titanic do q achar ele para donwload ^^

Rondao disse...

Boa noite Rodrigo.
Por estar construindo uma maquete do Bismarck, me interessei pelo assunto.
Gostei muito de ter feito uma correção histórica que estava em minha cabeça.
Há uns 30 anos atrás, eu assistia aos documentários de Jacques Cousteau, onde ele diz e monstra em documentário, que o Britanic afundou pq atingiu um mina lançada por aviões alemaes.
No documentário, ele ainda leva uma enfermeira, sobrevivente para ver o Britanic no fundo do mar.
No documentário ele mostra o que realmente aconteceu.
Pois, até então era simplesmente inacreditável que uma simples mina, poderia levar ao fundo o "inafundável".
Depois de passar mais de 40 anos acreditando no documentário, finalmente eu sei que, o navio, que pelas convenções de Genebra, jamais poderia ser torpedeado, afundou porque foi torpedado.
Só gostaria de saber como o Jacques fez as cenas dos destroços, mostrando a explosão de dentro para fora. Será que ele tb usou maquete e criou a cena? Será que a "velhinha" que ele mostra levando ao fundo para ver os destroços, não passava de uma artista, como apareceu no Titanic?
Como eu gostaria de saber!!!

Um forte abraço.

J. Rondão

Deixo as minha paginas, se for possível, agradeço.

https://www.facebook.com/jalmir.rondao

https://www.facebook.com/pages/Construindo-o-Bismarck-News/116517625123287

Rodrigo disse...

Oi Rondao

Olha só, que interessante sua memória, eu também conheço há anos o documentário, e adoro o conteúdo. O episódio chama-se "Calypso's Search For The Britannic", e chegou a ser lançado aqui no Brasil em forma de VHS; acabei encontrando porque eu tenho grande interesse pela história do Britannic, inclusive em breve vou editar uma matéria apenas sobre ele.

Pode continuar acreditando no documentário, pois aparentemente todas as informações levantadas por Cousteau eram fidedignas, ou peo menos tão corretas quanto se podia obter. Ele conseguiu mostrar a área dos danos tão bem porque o Britannic está a não mais de 130 metros de profundidade, portanto acessível aos mergulhadores profissionais, não é necessário o uso de submarinos.

Oficialmente hoje sabe-se que o Britannic colidiu com uma mina submersa, ali instalada pelos submarinos alemães. Há também uma dúvida quanto a um possível torpedeamento, mas a crença maior é de que realmente tenha sido uma mina.

A passageira levada aos destroços foi Sheila Macbeth Mitchell, uma sobrevivente verídica, há inclusive foto dela a bordo do Britannic, posando com duas colegas na "Grande Escadaria" não finalizada. Ela é historicamente reconhecida pelos historiadores, e inclusive faz uma aparição no livro "Lost Liners", de Robert Ballard e Ken Marschall, não publicado no Brasil.

Como você pode notar, Cousteau foi honesto, ele era um explorador sério, e contribuiu positivamente para a história. Eu achei extraordinário o fato de ele ter levado Sheila aos destroços a bordo de um submarino, algo totalmente incomum para uma senhora em idade tão avançada.

Se James Cameron tivesse optado por reproduzir em seu filme o mesmo ato, certamente muitos veriam esta "viagem insólita de uma velhinha a bordo de um submarino", algo extraordinário demais para ser real. Nem mesmo a Rose da ficção conseguiu o mesmo feito.

E Cousteu fez, inacreditável, mas fez. E de maneira emocionante.

Infelizmente estou fora do face, mas desejo muita sorte e criatividade com a elaboração de seu modelo. Eu tenho planos de construir um modelo digno do Titanic, em escala 1:100, e estou me preparando para isto há anos.

Conheço um ínfimo da história do Bismark, como consequência de minha curiosidade sobre o Titanic. Eu tenho um livro juvenil chamado "Exploring the Bismark" (Robert Ballard), tenho o documentário "A Expedição de James Cameron ao Bismark" (de excelente conteúdo) e o filme dramatizado "Afundem o Bismark", de 1960, com o ator Keneth Moore, que também atuou no filme "A Nigh to Remember" (1958), como o 2ª Oficial Lightoller do Titanic.

Assim como o Titanic, o Bismark foi um marco, e os destroços estão bem preservados, cheios de história e marcas da batalha.

Até mais, abraço.

Rondao disse...

Boa noite Rodrigo.

Obrigado por me responder e obrigado por me esclarecer.

Até ver a sua resposta, eu estava muito triste. Pois, a frase da enfermeira, sobre a descida dos botes salva vidas "...Voce podia escolher entre morrer a esquerda (BE) ou a direita (BB)" me marcou profundamente. Referindo-se a decisão do Cmte de não parar as máquinas, por não acreditar que uma mina levaria a embarcação a pique. Jacques, mostrou que a mina explodiu para dentro e o depósito de carvão para fora.
Mas, esclareceu que as minas foram postas por U-bolt e em minha memória, estava aviões.
O documentário do James Cameron eu já no YouTube. E o filme "Afundem o Bismarck" - Celebre frase do Almirantado Britânico - Vi em minha infância e recentemente, por causa de estar construindo o Bismarck, consegui comprar em DVD.

Rondao disse...

Poxa... como é a minha montagem de nautimodelismo, sua opinião seria de muta valia para mim. Mas, fazer o que, né? Se vc tivesse alguem para entrar para vc emitir sua opinião.

Gostaria de enviar-lhe uma foto.

No YouTube, apesar dos mais de 430 vídeos que postei, ele não aparece por inteiro, só em partes. Mas, se tiver curiosidade, deixo o link do meu canal.

http://www.youtube.com/user/Longengo?view_as=public

Um forte abraço e um excelente fim de semana na paz!!!

Rondao

Rodrigo disse...

Oi Rondao, desculpe a demora na resposta.

Dei uma breve olhada em um de seus vídeos, e o que notei foi um trabalho super cuidadoso e clean; exatamente da maneira que este tipo de kit deve ser montado, pois eu sei da extrema qualidade das peças, à julgar pela beleza que foi a coleção "Titanic" da Salvat, que tive o grande prazer de poder montar há cerca de 4 anos.

Eu sequer contava com ferramentas adequadas e boa metodologia, mas fui tão cuidadoso quanto pude, e usei minha experiência longa com artesanato na época. Hoje tenho o modelo em escala 1:250, protegido dentro de uma redoma de vidro tão novo quanto estava na época em que o concluí, creio que é um bem que nunca irá se deteriorar.

Posso te desejar muito boa sorte, porque aparentemente você está bem preparado para o trabalho; muito melhor preparado do que eu estava quando montei meu modelo.

E é claro, quando terminá-lo faça questão de protegê-lo numa redoma de vidro, porque este tipo de modelo merece ser exposto devidamente protegido, para permanecer na família durante gerações.

Até mais.

Rondao disse...

Boa noite Rodrigo.

Obrigado... obrigado... obrigado!!

Não sei nem por onde começar.... mas, vamos lá.

Não houve demora nenhuma, apenas a minha ansiedade em saber a sua opinião.

Que lhe pedir desculpa por ter sido afoito em postar um comentário, baseado apenas no filme do poste, sem ter lido até o final.

Hoje, tirei um tempinho e li até a ultima linha. E no final está bem exposto que o Britanic chocou-se com uma mina.

Alem de todos as curiosidades sobre o Titanic, fantásticas, que iria morrer sem saber. Minha maior surpresa foi com o terceiro navio, que jamais havia ouvido falar.

Bom! O passado influenciando o presente. Graças a esse pequeno afoitamento de minha parte, pude ter o prazer, e porque não dizer, o privilégio de trocar essa palavras com uma pessoa tão atenciosa.

Muito obrigado! Espero que os caminhos nos leve a nos conhecer pessoalmente algum dia!!

Um forte abraço.

Rondão

Anônimo disse...

Doideira por doideira ainda perde pra aquele episodio dos superamigos em que eles enfrentam um Titanic monstro radioativo.O abandono dele me lembrou os restos do Trovão Azul que também tava jogado ao ar livre num estúdio.

Kalel Luis disse...

Aonde eu encontro o filme do ountain of diamonds para completar mineha coleção do titanic? adorei o psot abraços!!!

Rodrigo Titanic em Foco disse...

Bom, em DVD certamente deve ter por importação. Mas via download vc pode procurar por "Burning Shore" ou "Mountain of Diamonds". Só não sei se há disponível para baixar. Boa sorte, agradeço o apoio. Feliz Ano Novo ;)