oncontextmenu='return false'>expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

O Titanic e o iceberg

Seja bem vindo ao TITANIC EM FOCO

A matéria de hoje dispensa longos textos e descrições e traz uma curta, mas significativa, reflexão do que realmente causou o naufrágio do R.M.S. Titanic. O TITANIC EM FOCO refaz uma versão de uma conhecida imagem publicitária que não necessitaria sequer de texto para "gritar" por sí própria o seu real significado.

SIGA A MENSAGEM

LinkCrédito

Composição de imagem e reedição de texto: Rodrigo, TITANIC EM FOCO

10 comentários:

Anônimo disse...

Sua postagem é incrível, adorei sua reflexão, Estou abismado com o conteúdo encontrado no seu blog, coloquei seu link no meu, e toda vez que tem postagem nova entro para ler, essa para mim foi a mais tocante, pois todas as perguntas que você faz no final é a mais pura e verdadeira realidade, adorei seu Blog. Esta de parabéns !!!


André M. - TITÂNICOS em ação

Luciano Spears disse...

Adorei

André disse...

Pois é Rodrigo, nem de longe tem como culpar o iceberg por essa tragédia, ainda mais considerando que o Reino Unido era a maior potência marítima daquela época. E o iceberg por seu lado sempre tem esse ciclo de navegar á deriva até derreter.
Acredito ser a ganância a maior causadora dessa perda incrível de tantas vidas - e pela forma como morreram: congeladas! Ismay tinha uma ambição tão absurda que menosprezou o sistema de segurança do navio em favor do conforto para a classe opulenta que ingressasse no Titanic, e pelo prestigio que essas condições trariam para White Star. Ainda mais depois que o Olympic resistiu a colisão com o Hawk.
O governo britanico também tem sua parcela de culpa nesse capitulo sinistro da história da navegação, por permitir que leis que regem a segurança das embarcações não acompanhassem a evolução dessas máquinas que eram de suma importância, não apenas para a economia britanica, mas para as vidas que neles cruzavam os mares.
Acidentes acontencem, e por isso mesmo todo cuidado é pouco. Vamos lembrar que o desvio do Titanic no meio do Atlântico foi uma medida de segurança seguida. Mas não é suficiente para livrar a culpa dos responsáveis pelo destino das pessoas que não tinham vaga nos botes.
A perda do Titanic foi uma tragédia anunciada por que as medidas de segurança estavam sempre em segundo plano.

Lucas Rubio disse...

Linda montagem e lindas palavras... o tempo de reflexão sobre este enigmático navio não é definido e sim infinito...

Abraço amigo!

Rodrigo disse...

André, obrigado pela visita, meu único compromisso com o blog é a qualidade do que eu pesquiso, escrevo e publico, claro dentro de minha pouca experiência. De resto nada mais me preocupa, a única meta é PESQUISAR, EDITAR e PUBLICAR apenas enquanto isto for algo empolgante e interessante, ou seja, quando eu estiver muito bem disposto, sem nenhuma preocupação com a quantidade e nem com a freqüência destas publicações. Para mim é só assim que vale a pena.

Seja sempre bem vindo, adc. O link de seu blog também.


André, é isto mesmo, a época em que o Titanic foi construído era um tempo onde o deslumbramento pela tecnologia e a ânsia pelo dinheiro cegavam a sociedade, não muito diferente do que acontece hoje, dias em que esta cegueira e ambição causam desgraças iguais ou até maiores do que o naufrágio do Titanic.
Já que coisas deste tipo são relativamente inevitáveis, a única saída é tirar lições destes desfechos para que no futuro as coisas possam ser melhores, sem os mesmos erros cometidos. Tudo o que acontece, de ruim ou de bom, sempre deixa ensinamentos, sempre foi assim...

Lucas, o Titanic é um navio que gera reflexão, se interessando ou não por sua história todos têm um momento de refletir sobre este caso, e a história segue imortal, uma história que teve um começo mas que dificilmente terá um fim, um ponto final.

Anônimo disse...

Eu me impressione com essa reflexão.
Ismay foi a pessoa que teve a maior parcela de culpa no naufrágio do Titanic. Ele achava que o navio seria inafundável só porque o Olimpic havia resistido ao impacto com o Hawk. Ele tinha que ter morrido no naufrágio.
E o site é muito bom.

Anônimo disse...

Eu me impressione com essa reflexão.
Ismay foi a pessoa que teve a maior parcela de culpa no naufrágio do Titanic. Ele achava que o navio seria inafundável só porque o Olimpic havia resistido ao impacto com o Hawk. Ele tinha que ter morrido no naufrágio.
E o site é muito bom.

Rodrigo disse...

Fazer julgamento de pessoas e situações acontecidas sob condições tão adversas e há tanto tempo é muito fácil para nós, que não vivemos e nem sentimos o que aconteceu na madrugada de 15 de abril.

Eu sei e entendo que muita gente teve sua parcela de culpa naquela noite, e muitos fatos naturais, técnicos e acidentais contribuíram para a tragédia. Mas não faço julgamento de ninguém, pois nenhum de nós temos o entendimento e a capacidade histórica para determinar "quem ou o quê".

Desejar morte à pessoas ou julgar suas atitudes é muito fácil, difícil mesmo é se debruçar sobre um acontecimento histórico com um olhar totalmente isento e fazer um estudo e, só assim, tirar conclusões após uma análise profunda.

60 % do que sabemos sobre o Titanic nada mais é o famoso "boca a boca", ou fatos distorcidos ao passar dos anos.

E é por isso que digo, julgar situações sem base histórica profunda é algo vazio. Não julgo nada porque não tenho base histórica para isto.

Fabiana Priscila disse...

Adorei !vc sabe tudo sobre o Titanic!
eu adoro a historia dele!sempre vejo se sei tudo!e aqui consegui saber mais sobre esse lindo navio !
mais pra mim QUEM afundou o grande navio foi Deus pq eles debocharam falando que nem Deus afudaria oesse navio ai !sabe Deus mostrou!bjos

Rodrigo disse...

Oi Fabiana, grato pela atenção ao blog.

A verdade é que sou apenas mais dos dos milhares de curiosos a respeito do Titanic. Não sei sequer 1 % de sua história, e o que publico no blog é apenas produto de minha simples disposição e vontade de pesquisar, traduzir e fazer uma pesada edição de texto e imagens.

E é justamente neste processo que encontrei a maneira de estar em contato com a história, e aprender mais: Tanto a rspeito do navio, sua história e legado, quanto sobre o processo de manter e editar um blog (que nem sempre é fácil, especialmente quando ele não têm apoio técnico ou fins lucrativos).

Tenho admiração pelo navio, e respeito pela história. E receber a atenção sobre meu simples meio de divulgar, com o blog, é sempre um prazer.

Até mais, seja bem vinda.